Arquivo de etiquetas: submissão

Domino-te

TEXTO ERÓTICO M|18 󾬥 󾬥 󾬥󾬥 󾬥 󾬥
Hoje quero…
Só por hoje tens-me vestida de renda e salto alto,
Mas não serás tu a ter controle
Gostas?
Gostas quando a minha mão acaricia
todos os cantos do meu corpo.
Gostas, mas não tocas.
Irás ficar privado da tua visão
Irás ficar privado do teu paladar
Só terás permissão para sentir e cheirar

Continuar a lerDomino-te

Bdsm limpinho

Olá cambada, tá tudo fixe?

Hoje resolvi falar sobre um assunto que o publico feminino vai achar brutal.

Submissos e lides domesticas, ora bem eu devo ser estranha porque embora tenha tido varias ofertas para ter um submisso para apenas tratar das limpezas e atenção “só” fazer limpezas ou seja sem sessão de bdsm e apenas a vertente de humilhação psicológica é coisa que nunca me chamou a atenção ou tivesse prazer nisso. Continuar a lerBdsm limpinho

Oiiiii cambada como vai isso??? Tudo fixe?

Cá estamos nós mais uma vez pra falarmos de cenas e BDSM e tal e coisa.

Esta semana vou fazer novamente um género de questionário a um amigo e praticante á semelhança dos outros questionários assim ficam com vários pontos de vista, pois somos todos diferentes e cada experiência é vivida de forma diferente.

De forma a manter anonimato vou chamar de “Bruno”.

Com que idade tomaste consciência que gostavas de dominação/submissão?

-Desde que me lembro tenho fetiche por pés desde os 5 ou 6 anos, tomou outras proporções por volta da minha adolescência onde descobri o meu lado mais submisso quando lidava com o sexo feminino.

Algo que mantive como segredo e só passado vários anos é que consegui ter coragem para desenvolver este lado submisso e fetichista interagindo assim com outros praticantes.

Tens muita dificuldade em encontrar Dominadora ou sempre foi fácil encontrar pessoas com gostos compatíveis?

-Pela minha experiência existem muito poucas dominadoras que realmente sintam e vivam o BDSM.

É um mundo muito egoísta e egocêntrico onde as pessoas se deixam levar pelos seus caprichos não tentando explorar e procurar conhecimento para evoluírem dentro do meio e como praticantes.

 

Dentro da BDSM o que gostas mais ou quais as práticas que te seduziram mais?

– Sou um Fetichista por natureza e sempre senti atração por este meio mas foi o fetiche por pés que levou o meu lado submisso procurar algo mais forte e que fizesse sentido para satisfazer o meus desejos, de tudo o que já pratiquei a entrega é sem dúvida o que mexe mais comigo, poder me entregar a alguém sem medos e sem limites.

Conta-me como foi a tua primeira experiencia com uma dominadora, foi como pensaste que seria?

 

Alguma vez sentiste receio por teres estes gostos?E desejaste que a submissão não fizesse parte da tua vida?

 

– Sim senti receio porque sentia-me desenquadrado da sociedade e da realidade que vivia, mas após o aparecimento da internet tudo mudou comecei a pesquisar a procurar informação e a tentar encontrar pessoas com os meus gostos e desejos.

No que diz respeito á submissão não me vejo a ser de outra maneira, eu sem este meu lado não era a mesma pessoa, custou um pouco a deixar sair este meu lado que sem ele não era eu próprio.

 

Eras capaz de misturar D/S com a tua vida baunilha? Ou achas que são coisas que a longo prazo acaba por ser incompatível manter ambos estilos de vida?

– Sempre me questionei sobre isso e por experiência acho difícil uma relação Baunilha vir um dia a dar em uma relação D/s saudável ao contrário já acho que tem tudo para dar certo porque as pessoas se conhecem num registo diferente onde a confiança e os limites, gostos e taras são postos á prova e estão em cima da mesa.

Diz-me tens algum conselho que queiras dar a quem está a querer ter o BDSM como estilo de vida?

-Que se conheçam bem a si mesmos, que aprendam e deão a oportunidade de conhecer verdadeiramente os outros sem julgamentos ou juízos de valores.

Que vivam e experimentem novas sensações, cheirem outras imagens e vejam outros sons.

O BDSM é mais que dar e receber uma palmada.

 

E ficamos por aqui, quero agradecer ao Bruno a sua participação e já sabem 69´nrs aproveitem a vida e não deixem para amanha o que podem fazer hoje.

Aqui a Kat vai pra piscina que está de férias.

A ver se apanho uma corzinha pra não parecer um zombie.

Beijos no tornozelo das meninas e um calduço aos gajos.

©MissesKat #69letras

 

Eu, ele e o gengibre maldito.

Oiiii giraças e giraços como vai isso?
Tudo em cima?
Pois é esta semana andei aqui a matutar comigo própria sobre o que iria escrever visto que eu já escrevi de tudo um pouco e claro que a ideia desta rubrica nunca foi aborrecer a malta com coisas técnicas que não vos iam servir de nada.
Então falo sempre assim por alto de assuntos meio que a resumir um pouco, e quando é algo que goste mesmo muito talvez me estique um pouco.
Tenho vindo a variar um pouco e não focar tanto no BDSM, afinal se lerem o primeiro texto das conversassem mordaças eu avisei que ia falar de chonézices e coisas assim.
Hoje é dia de dar numa de Crónica de uma Domme lol por isso vou contar uma história que aconteceu comigo alguns amigos já conhecem e obviamente sou gozada até aos finais do tempo, aliás eu ja falei um pouco desta situação noutro texto sobre brincadeiras anais que podem ver AQUI

Hoje ganhei coragem por isso cá vai.

Certo dia um prezado amigo meu que conhecia também o meu submisso e sabe que ele é uma peste dos infernos gozão até dizer chega resolveu pregar-lhe uma partida que pronto quem se lixou no fim de contas fui eu.
Eu tinha estado a privar com esse amigo a quem vou chamar de “S”, sobre ideias que pudesse fazer na minha próxima sessão.
Para que conste não faço sessões em casa logo não tenho tudo o que quero ou preciso á mão de semear, tinha que preparar com antecedência e planear o que pudesse fazer.
Pois bem passado uns tempos, uns mesitos lá fui ter com o “S” e ele assim em tom de gozo diz-me que tem uma prenda pró meu submisso.
Meu espanto quando vejo um saquinho com um bocado de gengibre.
Eu sabia bem para que servia o gengibre já vos falei da prática de figging que podem ler no link que deixei aí em cima.
Mas resumindo nada mais é que tortura física que consiste em inserir uma raiz de gengibre pelo ânus ou vagina.
A preparação não tem grande ciência mas pronto, adiante.

A verdade é que nunca me tinha dado para fazer figging e como eu sabia que mal ou bem conseguia até preparar na hora levei para a sessão seguinte.

Chega à altura de fazer a preparação da coisa, para que conste a raiz de gengibre quanto mais fresca melhor e mais forte é o efeito de ardor que provoca.
A Kat lá vai descascar o bichinho assim com um aspecto de um plug, fui molhando em água fria (convém que fosse gelada mas apenas uma nota lol)
E pronto tá na hora de experimentar…
-” Bicho!Lembras quando disse que o “S” tinha te mandando uma prenda e andavas aí a roer-te todo sem ideia do que podia ser?! Pois é isto…”
E mostrei a minha bela obra prima ali esculpida com tanto amor e carinho.
Ele ainda soltou um “Filho da mãe”.
Assim de ódio pelo presente envenenado que eu lhe estava a mostrar, pois sabia para o que servia e já estava a antecipar os calores infernais que ia ter.
Disse-lhe pra se por na posição que desse mais jeito para inserir pois não convém usar lubrificante nesta altura senão tira as propriedades do gengibre logo só a água é que ajuda.
Insiro e espero….espero…
De repente vejo a cara do meu submisso a ficar assim vermelha e a contorcer-se muito.
Atenção que foi passado uns 2 minutos se muito ele já estava todo aflito a dizer que aquilo era horrível.
Eu a rir-me que nem uma perdida pois em tanto tempo que o conhecia nunca o tinha visto prestes a pedir-me que parasse com algum mal que lhe infligisse.
Confesso que delirei com aquilo, pergunto-lhe se está bem enquanto ele mordia a almofada e todo suado ali de olhos a lacrimejar eu lá fico mais séria e pergunto se quer parar e ele diz que sim.
Devem ter sido uns 8 minutos não foi 10 isso sei de certeza.
Pois bem meus amigos eu por norma assim como outros Top´s (Alguns) temos por regra experimentar algumas coisas em nós próprios antes de fazer a alguém.
Mas neste caso não o fiz ehehe e estranhei como uma pessoa que aceita ser cortada com uma faca ao fim de 5 minutos com aquilo no rabo quase que pede para parar.
Resolvi ali mesmo experimentar…
Mas primeiro claro que chamei de maricas ao meu bicho por não ter aguentado e ele ali a segurar o rabo como se fosse cair.
E assim foi, fui tirar uma camada de gengibre pra ficar com sulcos e soltar o suco, e zimbasssss dentro da minha vagina, deite-me e esperei.
Esperei, ahhh tá a ficar quente …espero e espero até que digo.
“Porra isto não é assim tão mau, tá quente mas nada de especial és mesmo mariquinhas”
E ele assim meio que com vergonha diz.- “Ohhh Dona meta lá isso mas é no rabo”.
Pois bem amigos….eu meti e não sei se foi de não estar preparada mentalmente ou porque me contraí pois estava de pé lol .
Hummmmmm nem 5 minutos aguentei, toda eu ardia.
O meu coração começou a bater tão rápido que pensei que ia me dar uma coisa má até mal disposta fiquei credo.
A sensação que eu tive é que tinha o ânus todo cortado e alguém me meteu álcool, juro foi mau assim.
Soltei um “FODA-SE CARALHO!!!!” e vou a correr para a banheira meto aguá fria chamo o meu submisso para vir ter comigo.
E acabamos os dois a molhar as partes baixas numa banheira de agua fria eu com o chuveiro direccionado pro rabinho assim com água gelada e ele a fazer “Chap chap” como as meninas a lavar o pipi.
Só vos digo que assim que passou o mau estar desatámos a rir os dois das nossas figuras ridículas e como o “S” nos lixou aos dois com uma pinta dos diabos.
Mais tarde vim a saber que ele pensava que eu ia fazer antes pra ter uma noção, mas eu fui assim mesmo á maluca e olha lixei-me.
A verdade é que para uma Dominadora isto não foi um momento maravilhoso e que deva ser partilhado mas como eu sou assim estranha mesmo e não tenho problemas em rir e fazer rir resolvi partilhar a minha tragédia anal.

Espero que tenham gostado desta minha aventura, escusado será dizer que não aceito mais presentes do “S”…lol
Uma beijoca a todos , © MissesKat #69letras

 

 

fotografia-Misses Kat

Fetiches

Olá cambada de taradinhos como vai isso?

Está um calor que não se pode né? Por falar em calor resolvi esquentar o tema da semana e focar num assunto apenas.

FETICHES….Yeahh, são uma carradas deles mas antes de vos mostrar uma listinha catita vou explicar a definição da palavra, pois muita gente confunde fantasias com fetiches e para que a coisa fique clara e não se enganem mais cá vai.

Fetiche- (francês fétiche, do português feitiço) Continuar a lerFetiches

Perigos do BDSM

Oiiiiiiiiii pessoal, como vai isso?
Mais uma quarta feira, né?
Vocês ainda não se fartaram disto?!
Como fiquei sem assunto tava a pensar começar a escrever poemas sobre BDSM, que acham?
Nahhhhh tava no gozo, vocês não queiram que escreva coisas dessas, isso fica para as autoras do blog como a Lola e a Lilith que percebem disto.
Eu sou mais de acção que de escrita, por isso é que a rubrica é um desafio.
Juroooooo que estou a fazer um esforço para não dizer muitos disparates e manter alguma seriedade no que vos trago semanalmente, apesar de ser difícil pois a minha vontade era avacalhar.
Mas vá, eu já estico a corda demasiado qualquer dia recebo um raspanete aqui da Dona do condomínio e lá fico eu de malas à porta e depois? O que vai ser de mim?!
Quem vai ler os meus devaneios das quartas-feiras?!
Pois bem, tá na hora de falar sobre assuntos sérios, malta ponham as vossas caras de jogador de Poker que o assunto assim o exige.

PERIGOS DO BDSM.
Sim em caps lock e tudo que é pra ser mais visível e não meto em Bold porque já era demasiado.

Agora fora de brincadeiras, sim o BDSM pode ser perigoso já vos falei de práticas que tinham advertências do género “Não fazer isto em casa”
E sempre que possível dei conselhos de como podem minimizar os perigos se resolverem experimentar por vossa conta e risco, quem é amiguinha?Quem é?!
A ideia é que se tente não correr riscos desnecessários, a não ser que seja propositado, ehehe aí pronto temos pena e vão se queixar ao Tota.
Mas ir ao supermercado também pode ser perigoso, já vi muito boa gente a provar uvas antes de comprar que nem lavadas estão com paletes, resmas de germes.
Pahhh até andar de metro hoje em dia é um perigo.
Por isso podem praticar BDSM que às tantas aleijam-se menos.
NOT, a não ser que sejam Top´s aí não se aleijam muito é verdade, bem eu fico com as mãos negras das palmadas que dou e fico ás vezes com nódoas negras em sítios estranhos, mas é do entusiasmo nem dou conta que me estou a aleijar.

Se eu fosse falar de todos os perigos que envolve a prática de BDSM tinha de escrever um testamento daqueles, por isso vou resumir um pouco.

Definir limites e Contratos.
Pois bem se formos a ver uma das formas de uma pessoa se proteger também passa por saber ao certo os seus limites físicos, psicológicos, emocionais e éticos.
À partida se isso estiver bem estipulado entre participantes a coisa corre bem, caso não estejam pode dar para os dois lados.
Ou a parte dominante opta por ir aos poucos testando limites sempre com bom senso e tomando as devidas precauções ou então se for assim tudo abandalhado dá merd@, desculpem a franqueza.
Eu pessoalmente não faço contratos, não porque ache desnecessário muito pelo contrario mas sinceramente acho que não se aplica, como o tipo de relacionamentos D/s que gosto existe muito diálogo então facilita bastante nesse aspecto.
Tenho contratos verbais vá.
Além que para efeitos legais os contratos não têm qualquer legitimidade.
Mas voltando aos limites, é a base de tudo e de qualquer tipo de relação que possam encontrar neste meio.
Limites são isso mesmo, limites e serve para serem respeitados.
Claro que existem limites ultrapassáveis e limites intransponíveis acho que não preciso explicar a diferença de ambos.
Agora caso já tenham lido sobre relacionamentos TPE (total troca de poder) como relações D/s de Dono/a e Escrava/o podem ter ficado com a impressão que limites não há nenhuns mas ao meu ver, sim, têm limites dentro do que se considera legal.
Pois mesmo dentro do BDSM , abuso é isso mesmo abuso logo é crime, qualquer tipo de relação se algo for feito contra a vontade de um dos participantes não deixa de ser criminoso.
Dou-vos um exemplo, imaginem que se trata de uma relação Dono e Escrava e supostamente não existem limites nenhuns, certo dia ao Dominante dava-lhe na cabeça de prender e forçar a Escrava a ter relações sexuais recorrendo a violência contra a vontade da mesma.
Isso não deixa de ser uma violação, dentro de uma relação sim mas temos de dar nomes às coisas.

É crime.
Não é por uma pessoa aceitar uma relação TPE que deixa de ter palavra no que lhe acontece.
A ultima palavra é sempre de quem se entrega, acho que já disse isto várias vezes.
Talvez alguns praticantes de BDSM Hard discordem de mim, mas heiiiii quem escreve aqui sou eu.
Não sou a Dona da razão mas é este o meu ponto de vista.

Perigos silenciosos.
Depois existem aqueles tipo de perigos que uma pessoa nem dá conta que pode se dar mal.
A importância da palavra SEGURO.
Pois já falei várias vezes na importância de ter o material limpo e etc e  tal wiskas saquetas para prevenir fungos, infecções bacterianas entre outras.
Mas e coisas mais importantes como fazer exames regulares, principalmente se existirem mais que um parceiro sexual e se forem praticantes de BloodPlay.
Não partilhar brinquedos ou material como floggers, canas chicotes e afins.
Pois bem, muitas vezes em espaços de BDSM como bares e afins é comum haver plays com material fornecido pela casa, não acho piada nenhuma a isto.
Quem vos garante que aquele objecto já não foi usado em alguém até rasgar a pele?! Quem vos garante que não vos faça um rasgo em vocês?! Entendem onde quero chegar?!
É uma questão de bom senso NADA DE PARTILHAR material faz favoriiiiii, e se por ventura acharem por bem irem numa brincadeira onde é usado um objecto que possa resultar em ferimento que não saibam que foi devidamente higienizado pahhh deixem lá isso de lado.

Pessoal, claro que perigos existem, muitos sim, é um facto mas claro que quando se tem acesso a informação não há desculpa para cometer erros básicos que podem pôr em risco a integridade física, mental ou emocional de cada um.
Por isso tenham cuidado, acima de tudo tenham a certeza que confiam o vosso corpo e alma à pessoa a quem se entregam, isto para Bottom´s, quanto aos Top´s falo para quem está ainda no começo, leiam, aprendam, não tem mal nenhum dizer.
“-Eu não sei muito sobre isso, mas vou me informar.”
Humildade para assumir os seus pontos fracos e respeito pela pessoa que confia em vocês.

E com esta vou encerrar por aqui a conversa que já dei muito assunto para lerem.

Uma valente lambidela no nariz pra todos.
Até prós ranhosos que torcem o nariz com as coisas que escrevo.
©MissesKat #69letras

 

E porque falei em abuso  e violência deixo aqui os contactos da APAV porque falar pode fazer a diferença.

Podem contactar através da Rede Nacional de Gabinetes de Apoio à Vítima e da Linha de Apoio à Vítima: 116 006 (chamada gratuita, dias úteis 09h-19h) ou www.apav.ptapav.sede@apav.pt

 

Perguntas para a Kat

Oi malta gira cá estou de novo para a segunda parte das “perguntas para a Kat ” adorei poder responder a algumas questões colocadas por vocês, estava à espera de perguntas assim do arco da velha, mas até que todas foram pertinentes.
Para a próxima semana as #ConversasSemMordaças já voltam ao normal.
Mas espero que com estas perguntas e respostas os leitores fiquem a conhecer um pouco mais deste mundo que é o BDSM.

– Como mulher é fácil separar a Domme do roleplay para a vida real? Continuar a lerPerguntas para a Kat