Arquivo de etiquetas: som

E a vontade de te ter dentro de mim começou a invandir-me..

– Hoje acordei com a chuva a bater na janela.
Aquele som maravilhoso, fez-me esboçar um sorriso e vontade de me aconchegar em ti!
Rapidamente o desejo apoderou-se de mim e fui tomar banho!
Ao sentir a água quente a cair sobre o meu corpo, fechei os olhos e imaginei as tuas mãos a percorrê-lo. Comecei a ferver por dentro..
E a vontade de te ter dentro de mim começou a invandir-me..
Quando já não conseguia imaginar mais nada no meio daquela loucura envolta da minha cabeça…
Tocam à campainha!
FODA-SE!

– Ai São Pedro! Chega de mau humor!!!
Queremos sol, cerveja na esplanada e bikinis nos corpos!!!
Todo molhado à porta do teu apartamento sinto o odor saboroso do teu gel de banho que me invade as narinas, e depressa fico-te imaginando nua, de pele húmida e brilhante, me pedindo para a hidratar com aquele creme maravilhoso de Amêndoas Doces… Sim, nada me dá mais prazer do que te ter nas minhas mãos, inteira á minha disposição.
“Olá! Posso entrar?”

– Fico petrificada na porta a olhar para ti, ainda meio húmida em todos os sentidos e com a toalha à volta do corpo..
Só me apetecia dizer-te “Por favor, termina o que a minha cabeça iniciou!”, mas da minha boca só saiu um simples:
“Podes”.
Olhaste-me nos olhos e não os desviaste enquanto entraste. Pegaste-me pelo queixo, roçaste a tua barba na minha pele macia e beijaste-me a testa. Senti o meu corpo a vibrar! Entraste na sala e começaste-te a despir..
“Apanhei muita chuva! Importas-te?”
Deixei cair a toalha e respondi: “Agora não.”

– Esse teu sorriso lascivo e olhar desejoso deixa-me louco!
Caminhas até mim vagarosamente, e a cada passo que dás meu coração acelera e minha libido aumenta…
“Aquece-me nos teus braços…” dizes.
Pego em ti e no meu colo te aconchego, na minha boca te tomo… deitamo-nos confortavelmente no sofá, e enquanto isso olhas-me nos olhos, mordes o lábio e por telepatia dizes “Estava mesmo a pensar em ti.. Como adivinhaste?”
Nada respondo.. Apenas sei que hoje nada nem ninguém nos tira daqui, deste ninho onde frio não entra e a chuva fica lá fora, a bater na janela…

Annastasia
&
O Vizinho #69Letras

Conto – Parte 1

Começou com uma mensagem provocadora, conversas banais. Estando ele tão longe dela eram as mensagens que lhe restavam. Ela bem tentava ignorar o “bip” do telemóvel quando entrava uma mensagem. Mas ela não resistia em ver se tinha sido ele ou não. Assim que via, ter sido dele ela lutava consigo mesma para não abrir e ler o que ele escreveu. Essa “luta” não demorava muito. Ganhava sempre a tentação. Era um vai e vêm de mensagens quentes. Arrepios e as cuecinhas molhadas era uma reação constante lendo as palavras escritas por ele – Aquele homem tão seguro de si mesmo, tão mais velho que ela. Tão bom que já a tinha na palma da mão. – Passavam os dias a conversar sobre tudo um pouco.

Um dia ela ouve o som do seu telemóvel à tocar, sem ver quem era ela atendeu. Uma voz masculina, bonita – que lhe causou um arrepio imediato entre as pernas – cumprimenta-à. Era ele. Ela nunca tinha ouvido aquela voz tão sensual. Sem saber o que dizer ou fazer ela simplesmente sorriu. Passados alguns segundos ele pergunta se ela esta lá. Apercebendo que ainda não tinha dito nada ela cumprimenta-o. “O que estas a fazer neste preciso momento” pergunta ele. A resposta dela é quase imediata: “A vestir-me.” Ela ouve um curto gemido. “Muito bem. Despacha-te e sai para fora. Hoje não vais dormir em casa.” O mundo a volta para. Será que ouvi bem? – pensa ela. Como se ele lhe tivesse ouvido os pensamentos ele responde: “Sim ouviste bem. Estou a tua porta. Despacha-te.” Ele desliga. Incrédula ela fica olhando para o seu telemóvel. Passados alguns minutos ela começa a vestir o resto da roupa e olha-se no espelho. Calças rasgadas e um T-Shirt de andar em casa. Eu não posso sair assim – pensa ela. Estando calor na rua ela despe a roupa novamente e veste um vestido lindo que nunca usou por vergonha. É um vestido que lhe destaca as curvas sensuais. É provocador e encantador. Ficando a ver o seu reflexo no espelho ela começa a pensar se ele realmente estará à espera ou não. Passa um batom vermelho nos seus lábios carnudos e cheios. Puxando o elástico que lhe prendia o cabelo começa a cair o seu cabelo ondulado sobre seu rosto e costas. Ajeita um bocado o cabelo para trás. E sai do quarto com a sua bolsa. Calça umas belas sandálias e sai porta fora. Lá esta ele. Aquele homem tão seguro de si mesmo, tão mais velho que ela. O homem mais bonito que ela alguma vez viu. Sentindo suas pernas a tremer e suas cuecas a molhar ela segue em frente e para quando estão cara à cara. Tocando no rosto dela e puxando-a contra si ele beija os lábios dela que a tanto desejava. Com uma mão na sinta dela ele puxa-a ainda mais contra ele. Ele quer que ela sinta à tesão dele. À tesão que ela lhe causou no momento em que a viu. “Foda-se és tão bela.” Diz ele enquanto a beija. “Quero-te possuir aqui mesmo.”

…. continua..

Peregrinus #69Letras

É assim que me trazes de volta a ti

11d2117576b43c2f595f05eff9145614

Fotografia: Via Pinterest

Veloz é o voo da minha mente rumo ao melhor destino de sempre: o meu mundo ilimitado feito de tudo o que eu quiser, a cheirar ao meu aroma favorito e habitado pelas pessoas que mais amo!

As viagens são frequentes e até já viajo no piloto automático, o regresso é que é sempre mais complicado e muitas das vezes abruptamente forçado…mas TU trazes-me à terra numa aterragem incrivelmente suave com esse teu jeito tão certo sem ter precisado dizer seja o que for.
Sabes-me.
Ao teu lado, as insuportáveis perguntas não tem voz:
– Estás aí? – Em que é que estás a pensar? -Estás bem?- o que é que tens?
Nem os teus olhos me fixam como se fosse uma evadida de um sanatório…
Tu olhas e vês-me.
Ouves e escutas-me.
Observas e descobres-me.
Sabes quando ao teu lado deixo o corpo e voo para terras distantes e fantasias que coram e que deste modo automático, me perco, por tudo e por nada.
Sem caricia ou movimento, tocas-me num toque que pousa. A palma da tua mão ferve, não na minha pele, mas abaixo, e tal chama que inflama com o gás, assim sou eu. O gás.
É assim que me trazes de volta a ti. Sem som, sem barulho ou perguntas que me fazem sentir envergonhada por ser assim deste jeito…
Sorrio, aconchego-me mais a ti, encho-te de beijos e beijinhos e fico-me perguntando se estou no meu mundo, ou ali, naquele instante, nos braços dele…

Os teus lábios são o teu cartão de visita.

fda37f41257416b8e85fff7f5352677b

Impossível esquecer a bela Margarida, morena magra com curvas deliciosas, olhos doces e penetrantes, lábios perfeitamente desenhados, sorriso escondido pela timidez mas impossível de resistir, cabelos negros e suaves como a seda que lhe escondem o rosto, e subtilmente discreta.
Foi quando ela estava a picar o gelo para as bebidas que me aguçou a curiosidade.
O jeito como a bela Margarida colocou o cabelo atrás da orelha acordou os meus instintos de predadora, revelou um delicioso pescoço acompanhado por uns ombros que dão vontade de morder, o que me fez perguntar o que mais esconde aquela Margarida.
‘vou-te beijar’, deixei escapar quando me levantei e fui para junto dela. Retornei ao meu lugar e deixei-a estar entre o gelo e as palavras que lhe deixei.
A festa estava animada e o som das pessoas satisfeitas ecoava no ar, mas ela deixou se estar ali, perto de mim, encostada à bancada da cozinha sem nada dizer.
‘és minha’ pensei.
Fui para junto dela, levanto-lhe o rosto escondido pela timidez, com a mão esquerda seguro-lhe os cabelos na nuca e exponho a beleza daquele rosto com a mão direita trago a boca dela à minha… Doce e intensa Margarida de fazer ferver o sangue ao sentir a ansiedade dela no peito a arfar contra o meu. Deliciosa morena que se rendeu aos meus caprichos.
Beijo doce e delicioso… Fui provar o resto….

Gosto de ti.

3c63a4cec1226c7b94783597d3a12bf7
Espera vou repetir: gosto de ti!
Posso saber a que te soa o som destas palavras através dos meus lábios?
Gosto de ti, mas não gosto de não partilhar o que sinto contigo.
Faz-te diferença que goste de ti, ou vento é mais forte e afasta o som de ti?
Ouves o meu grito?
Sentes o meu desespero?
Num grito, diz-me, guardo o que sinto, ou amachuco e atiro do penhasco?
Liberta-me ou prende-me, mas despacha-te!
As lágrimas pesam no peito e as pernas já não conseguem suster este corpo de pé.
Gosto de ti.
Num grito… Tu gostas de mim?

Beija-me!

image

Beija-me!
Um pedido teu
Olhos nos olhos
E a timidez com que me vestiste.
Beija-me!
Um som que me estremeceu
Faces rosadas e
Sorrisos envergonhados.
Beija-me!
Olhos nos lábios, Lábios nos olhos.
Beija-me!
…. E beijàmo-nos!

?A vizinha #69Letras