Sem olhar a quem!

Sei que poucos de vós me conhecem a cara, ou mesmo o espirito, mas posso-vos dizer que sou eterna criança. Sinto-me todos os dias como se fosse uma gaiata que descobre tudo pela primeira vez. Sou leve, levinha a quem me olha e pesada quem me quer mal. Vibro com cores, formas e feitios. Estudo…

Toda a minha alma respira liberdade…

Sinto-me leve, livre e solto. Sinto que renasci! Ahhh como é bom respirar em plenos pulmões! Consegui finalmente soltar-me de tudo o que a ela me ligava. Não consigo explicar o quão radiante isso me deixa. Foram anos a esperar por isto, cheguei a pensar que não ia conseguir. Ahhh como é bom respirar em…

Amor e Ódio…

Não há passado que se sepulte sem o seu luto e tu teimas em não permitir o meu. Falta-me a derradeira conversa, tu sabes-o tão bem. Acredito que a ti também falta. Tenho para mim que ainda estás perdida entre o ódio e o amor que me tens. Se por um lado me odeias e…

Por me ter afogado em ti.

Que sede. Que sede esta que tenho neste deserto de desejos. Que sede maldita que me enlouquece. Que sede perversa que adoro e me arde na pele. Que sede esta que aumenta quando te revelas. És um rio que corre para mim, um oásis de perversão, uma fonte que jorra para mim sem controlo, és…

15 Chocolates…

Texto Erótico | M18 Estou farta de estar à espera!!! Disseste que estavas a sair há uma hora atrás quando por norma demoras 10 minutos! Preparei-me para te receber, a pele a cheirar a mel, a lingerie rendada turquesa que me ofereceste sobre a mesma! Já liguei várias vezes, e vai directamente ao Voice Mail……

Sensorial…

Leio-te… As tuas letras são música numa pauta de maestro onde apenas quem sente a tua melodia saberá o que significam… Vejo-te… És uma bela e hipnotizante pintura, de pinceladas e contornos magníficos onde apenas quem tu permites ver conseguirá decifrar esse teu olhar e brilho… Ouço-te… A tua voz é um deleite para meus…

Só mais uma vez…

Texto Erótico|M18 Chega o final de tarde de mais um dia cheio de calor. Lá estava eu a relaxar na cama de rede presa às árvores, exausta de um dia de praia, a ouvir o som da natureza. “- Queres café?” – Aquela voz não me era estranha mas eu nem cheguei lá só queria…