Uma rapidinha entre canais e uma porta fechada!

Não consigo pensar em nada mais triste do que um fim de um amor. Uma porta fechada, um quarto morto apenas com o som de uma rotina: deitar para cedo erguer para trabalhar, voltar jantar e tornar a deitar.

Sessão de Cinema

TEXTO ERÓTICO| M18A  󾬥 󾬥  󾬥 󾬥  󾬥 󾬥 Ultima sessão, apeteceu-me ir ao cinema sozinha. Ultima fila para poder ter a perspectiva toda da sala. Meia dúzia de pessoas para ir ver um filme erótico-romântico. As luzes diminuíram… e senti um casal sentar-se ao meu lado. Pensei..,- Fogo queria estar só!! O filme começou.

O(s) meu(s) Orgasmo(s)

Texto explícito | M18  Pediram-me uma visão do orgasmo, do meu orgasmo… Não consigo. Não consigo descrever uma sensação, um sentimento, um tipo único… Todos os orgasmos são diferentes…

Eis a questão…

TEXTO M|18Anos   F@der é amar? … Eis a questão!… Com certeza amar é f@der… simples assim quem ama f@de… Mas quem f@de pode perfeitamente não amar… ou será que o facto de partilhar corpos significa de alguma forma que se ama aquela pessoa? Até que pode ser perfeitamente aceitável, se colocarmos o amor no…

Quando os meus olhos se fecham….

Quando a noite cai e os meus olhos se fecham, vejo-te a correr livremente pelo meu pensamento, de cabelo solto ao vento, feliz como as chitas de Shamwari. Vagueias em mim de pés descalços, de seios despidos, de sorriso rasgado e com o sol a clarear esse teu corpo de menina feito mulher. Teimas em…

Rendição de Lilith, parte 2

M18/Texto erótico  A ponta da língua que brinca com os meus mamilos, vergastadas de um flogger no meu estômago ao de leve, um Strap entalado em mim que se manifesta inesperadamente em estocadas cada vez mais profundas e rápidas e um pénis enfiado na minha boca sôfrega e desesperada. Uma autêntica orgia nos meus 5 sentidos!

Eu, tu e uma dúzia de gaivotas…

Deslizo os meus dedos macios pela tua pele eriçada, como que numa dança de cereais maduros nos longos campos livres da Califórnia do Sul, à mercê do vento e com sabor a maresia. Aprecio o teu tremor.  Demoro-me. Dedilho calmamente o teu dorso como numa valsa de Viena, sem pressas, e empenho-me na descoberta incessante do estimulo dos teus sentidos. Perco-me livremente…