Arquivo de etiquetas: sexo oral

Como vamos voltar?

M18 | Texto erótico

“Parabéns a você, nesta data quer…”, olho-te de relance e vejo-te fazeres-me sinal para ir ter contigo. A minha voz desaparece do coro que canta os parabéns à nossa amiga, e em três tempos desapareço também eu dali.
Um pouco confusa, procuro-te no corredor. Está escuro e não te vejo em lado nenhum. Um barulho ensurdecedor vem da sala com copos a bater uns nos outros, gargalhadas, conversas em tom mais alto… Mas nada de ti.
Começo a pensar que estou a ficar louca e volto para trás, mas assim que me viro sinto o teu braço à volta do meu peito, puxando-me para uma sala escura e cheia de livros.
Fechas a porta e empurras-me logo contra uma dessas estantes atoladas de páginas e páginas de história. Beijas-me sofregamente o pescoço e começas a despir-me.
– O que é que estás a fazer?! – pergunto eu a sentir a adrenalina a correr-me pelo corpo.
– Sabes bem o que estou a fazer! – respondes-me com um sorriso triunfante.
– Está aqui muita gente, isto não é boa id… – calas-me com um beijo e a partir daí entrei no modo quero-lá-saber-dos-outros!
Pus os braços à volta do teu pescoço e as pernas à volta da tua cintura, para nos mudarmos para o sofá. Ancorada em ti, não perdemos um segundo nesse trajecto. Se já estava doida, ainda mais fiquei…
Quase como se estivesse noutro mundo, ouvia ao longe toda aquela gente a confraternizar na sala. Alguém teria dado pela nossa falta?
Não importa! Deitas-me no sofá e serves-te do meu corpo, como tu gostas. Como eu gosto. Levas-me à loucura sempre que usas os lábios, a língua e os dentes para brincar comigo. Sinto-me a ferver! Sinto-me a ressacar de ti! Desejo-te tanto que perco completamente a noção de tudo o resto.
– Fode-me! Vá lá! Pára com isso! – Imploro…
Obedeces… Mas percorres o meu corpo com pequenos beijos até alcançares os meus lábios. Sinto o meu sabor misturado com o teu e ao mesmo tempo, sinto-te a entrar em mim.
Hum… Uma imensidão de sensações novas apodera-se do meu corpo. O teu vai vem constante, passa para o modo acelerado e só não grito porque me tapas a boca. Abafas o som do meu prazer e o meu orgasmo explode quase ao mesmo tempo que o teu. Intenso, forte, libertador.
Olhamos um para o outro e estamos mesmo com ar de sexo!
Como vamos voltar para a festa?

©Raio de Sol 2017 #69Letras

Segredos de mulher

Olá, olá!
Já é terça-feira outra vez e cá estou eu para falar de sexo com vocês.
Hoje decidi trazer um tema para nós mulheres, visto que o “nosso dia” até está próximo!
Querem saber qual é?
Orgasmos! Vamos lá…
Um estudo realizado em conjunto pela Universidade de Chapman e a Universidade do Indiana, conta-nos que 65% das mulheres (heterossexuais), conseguem atingir o orgasmo durante o sexo. Já nos homens, o valor eleva-se para os 95%.
Mas como hoje o tema é centrado nas mulheres, vamos falar sobre isso e não sobre homens. Portanto, segundo esse estudo, há um relatório publicado no Archives of Sexual Behavior, onde se diz que existe um “trio de ouro” para as mulheres.
Isto é, beijos (beijos booooons), sexo oral (receber, pois claro) e estimulação dos órgãos genitais, são os três segredos para as mulheres terem mais orgasmos.

O que me dizem vocês? Sim ou não?

Eu voto no SIM!

Até para a semana!

Kiss kiss

©Aphrodite 2017 #69letras

Fonte: http://observador.pt

Já não era o meu corpo. Era o teu.

| Texto Erótico | Enquanto dançávamos com uma taça de vinho na mão, passaste a tua mão nas minhas coxas no exato momento em que elevava o vinho aos meus lábios… descontrolaste o meu corpo com o teu toque possante.

Fraquejei. Estremeci e derramei o vinho que escorreu dos lábios, descendo pelos peitos até ao ventre…
Olhaste-me nos olhos, e vi neles, o diabo a sorrir pela visão do sangue a envolver a minha pele branca… a tua sôfrega mão, percorreu a minha pele ao embalo da corrente de sangue, enquanto rasgavas o vestido pelo caminho… deste-me a tua mão pintada de vermelho, para que a lambesse e absorvesse a tinta… enquanto o fazia, a tua língua de cobra era impiedosa com o meu corpo.

Meu corpo? Já não era o meu corpo. Era o teu. 

Pegaste-me ao colo e sentaste-me sobre a tua secretária… e com o teu cinto ataste os meus pulsos atrás do pescoço… o som do cinto a ser recolhido das calças, travou a minha respiração e senti as minhas entranhas a pedir-te… exposta, rasgada, com a pele ensanguentada penetras o teu olhar nas minhas cuecas brancas tingidas de pecado… com o abre cartas, rasgaste-as… molhaste os teus dedos na taça… e manchaste-me ainda mais.

Afastas-te.

O demónio rejubilava através do teu olhar… o teu rosto estava marcado pela tesão. Tesão essa, que avistei sob as tuas calças, apenas com o fecho e o botão desapertado.
Caminhaste de volta para mim e sussurraste ao meu ouvido, que me ias compensar pela visão que te estava a proporcionar… e desces até ao meu ventre. Pernas separadas, sinto-te a inspirares o cheiro do meu desejo misturado com aquele vermelho e intenso vinho que tomámos.

Tocaste-me suavemente… muito suavemente, e beijaste as minhas coxas com vontade, cravaste os teus dentes, mas no centro da minha tensão, eras leve… não queria isso.

Queria ser devorada ferozmente, mas tu, tu sabias disso. Viste no meu olhar desapontado, notaste na minha respiração. És mau. Tão bom.

Quando fechei os olhos e respirei profundamente para tentar acalmar o fogo com que me encontrava, mergulhaste os teus lábios sobre o meu sexo. Cai sobre a secretaria, exposta para ti, a tremelicar com o corpo aos espasmos e sem avisos, uniste-te a mim sem licença, puxando-me pelas pernas.

Foi ao ritmo de movimentos longos e intensos que caíste sobre mim… sobre o meu peito a exalar o cheiro do nosso vinho, mas com a cor do pecado…

 

?Cátia Teixeira, Vizinha 69Letras® 2013

 

Viagens de prazer

Texto erótico | M18

São vinte e duas e cinquenta e seis. Temos ainda muitos km pela frente, mas vamos em silêncio. Ok, eu confesso que vou calada para reprimir tudo o que estou a sentir.
Tivemos uma discussão enorme antes de sair e eu estou amuada. Tenho esse direito! Mas o meu corpo não está e continua a desejar o homem que vai sentado ao meu lado a conduzir, como se o mundo fosse acabar amanha.
Quero-o tanto que às vezes nem consigo pensar direito!
Quero-o tanto que às vezes atiro as nossas chatices para trás das costas, só para o ter dentro de mim.
E esse desejo estava a pairar sobre mim. Vê-lo tão concentrado, com aqueles braços musculados a segurar firmemente o volante… Ah, já o imagino a agarrar-me assim. Já me sinto molhada! Merda!
Para de pensar! Para de pensar! Para de pensar!
Quem me dera conseguir… Olho-o pelo canto do olho, mordendo o lábio inferior. A vontade de lhe saltar para cima, já é maior do que a mágoa que eu sentia quando iniciámos a viagem.
– Quando puderes encosta. Estou um pouco mal disposta e preciso apanhar ar. – Pedi-lhe, olhando para as árvores que passavam diante dos meus olhos a alta velocidade. Não podia olhar para ele. Ele conhece bem o meu olhar sedento de sexo.
Parámos a poucos metros. Nada me disse. Saí do carro e fui, de facto, apanhar ar. Estava frio e era mesmo o que estava a precisar para arrefecer o meu interior. Encostei-me à traseira do carro e ali fiquei por uns bons pares de minutos.
Assim que achei que já estava fria o suficiente para terminar a viagem, decidi voltar.
– Está tudo bem? – Perguntou ele tentando não demonstrar qualquer sentimento.
– Sim. Podemos continuar.
E continuamos. E o meu desejo também continuou. Raios! Desisti de lutar contra ele, quando me cheguei para a ponta do banco e sem dizer qualquer palavra, lhe desapertei o botão das calças. Depois abri o fecho. Depois puxei os boxers para baixo e… Vi-o engolir em seco! Hum… Posso avançar!
Sem dizermos nada, arranjei forma de me baixar e de me dedicar àquele pedacinho dele que me leva à loucura tantas vezes. Quanto mais o ouvia praguejar e gemer mais vontade me dava de lhe roubar um orgasmo assim mesmo. E consegui, mas só depois de ele parar o carro.
Missão cumprida. Ajeitei o cabelo, limpei os lábios com as costas da mão e estava pronta para seguir viagem.
Ok, não não estava! Estava pronta era para  mais acção. E ele sabia disso… Mal consegui usufruir do meu triunfo alcançado minutos antes e já ele me estava a puxar para sair do carro e me sentar no banco de trás.
Ah, finalmente! Numa fracção de segundos, já havia roupa espalhada, palavras quentes trocadas, a boca dele nos meus seios, a mão dele a brincar com o meu clitóris, e eu a gemer. A implorar para ele me foder, sem dó nem piedade.
Só ele sabe como eu gosto de sexo sem romantismos à mistura. E o meu desejo era tão grande que em minutos, presa naqueles braços musculados, fui invadida pelo prazer no seu estado puro.
Uma e outra e outra vez….

#RaiodeSol 69Letras® 26.02.2017

Homens & Sexo oral

Porque é preciso falar de sexo, cá estou eu!

E hoje trago um tema para discutir com vocês, que me deixou quase quase chocada. Ora então, um estudo realizado por uma empresa chamada Sex Wipes, revela que 43% dos homens não gosta de fazer sexo oral à sua parceira. Isto é uma tragédia, a meu ver!
Portanto, se me está a ler e faz parte destes 43% continue a ler por favor! Os outros 57%, continuem a ler também porque vão gostar de ter noticias sobre a vossa saúde. Ah pois é!!!
Bom, continuando… As causas apontadas para não o fazerem, ou o evitarem fazer às suas companheiras, são nada mais nada menos que………. O sabor, o cheiro, os pelos, a vagina não ter uma beleza apelativa, medo de contrair doenças e até questões religiosas. Dá para acreditar nisto?
Eu cá acho que isto é tudo uma questão de comunicação e intimidade, neste caso falta de ambas!
Até porque e agora muita atenção ao que vou escrever… Outro estudo realizado por um grupo de investigadores da State University of New York, nos Estados Unidos, revela que fazer sexo oral faz bem à saúde!!!! Tanto de quem recebe como de quem o faz! Isto é quase como que juntar o melhor de dois mundos, ou não é?!
Reduz o stress, a ansiedade, relaxa, melhora a qualidade do sono e claro, da intimidade também! Isto acontece porque são libertadas hormonas que fazem maravilhas pelo nosso corpo e segundo consta vão até prevenir algumas doenças.

É preciso mais razões para fazerem sexo oral às vossas princesas?

Sejam saudáveis!!!

Kiss kiss, Aphrodite

Fonte: https://catracalivre.com.br

Guloso.

075bed98ccf9391784e25cecbbbc24d4

Fotografia: Via Pinterest

Num sussurro revelas que me vais saborear muito devagar e que ao céu rapidamente iria chegar. Deves! Escarneci mentalmente. Nessa mesma tarde havia sofrido de um desejo subito e por três vezes, fui minha… Tão molhada e só minha… Há hora de jantar já estava nos braços dele, ou melhor na boca dele! Sem pressas, como se o tempo não existisse, vasculhou cada segredo meu, e na sua boca, senti-me como que a redescobrir-me. Sem relógios apressados, ele maravilhava-se entre as coxas,com o sabor adocicado do meu desejo, e a cada exclamação da sua degustação mais lhe dava a beber do meu suco… E sem avisar este meu corpo sucumbiu em espasmos de prazer, gemidos de fervor e mar de satisfação. Ele, ainda com a cabeça entre as minhas, deixou-se estar até deixar de sentir o meu coração a palpitar na suavidade dos seus lábios. Tentei puxá-lo até a minha boca para o beijar e lamber da barba o que restou de mim… Que estás a fazer? Pergunta ele – Ainda agora comecei. Guloso.

Ponto fraco

355df89bcc8f0819b40e48439012a8b5

 

Foi a tua boca que tomou conta do meu ponto fraco e acredita que é por isso que tolero e aceito este teu vai e vem e entra e sai da minha vida, podes continuar a ir e a vir, entrar e sair que o meu coração não quer nem saber mas é o meu ponto que pede por ti. Entre as pernas choro saudades por isso é um alivio quando voltas apesar de pensares que te aceito porque me cantas a canção do bandido quando nem oiço metade das tuas palavras. És um bom orador para dares à língua entre as minhas pernas, mas não para os meus ouvidos.
Desconcertas-me quando te ajoelhas no chão e não é para rezar mas para me deliciares com a tua língua entre as minhas coxas.
O meu vicio são os teus beijos sugestivos nos meus lábios que me fazem antever a excitação de te ver cair de boca no meu sexo. E é por isso que te deixo brincar ao vai vem, não porque gosto de ti, mas porque adoro o teu talento oral!

 

A Vizinha