Arquivo de etiquetas: segredos

Conheces-me de todas as formas, sob todos os prismas…

Como já vi escrito por aí,  eu sou daquelas mulheres que tem um lado doce e meigo, um lado rabugento e refilão e aquele lado que nem vale a pena mencionar… Tu já os viste todos, de todos os prismas e ainda assim continuas a conseguir virar-me do avesso e descobrir novos lados, novas facetas…

Quando digo que me violas a alma é tão verdadeiro que penso que me conheces melhor que eu mesma que gosto de dizer que me conheço na medida em que me criei…

Pergunto-me se haverá alguma coisa que eu consiga manter em segredo quando os teus olhos penetram os meus, se haverão palavras por dizer cada vez que o meu corpo responde ao teu toque… Mas bem pior que isso pergunto se algum dia conseguirei compreender todas as palavras que me devolves… Eu ouço-as, sem dúvida que me falam… Mas a linguagem, o registo que usas ainda me ultrapassa…

Ah… Abraça-me, beija-me… Nesse momento falamos a mesma língua…

©VickyM 2016 #69letras

Segredos da Alma…

Noites quentes, manhãs escaldantes, palavras por vezes hesitantes, pelo medo de chocar, demais revelar, mas tanto querer saber, tudo o que te está a corroer, esses teus segredos que teimas esconder.

Entrego-te a Alma, todo o meu ser, de Anjo que te dá calma, os teus medos apazigua, quando sentes o meu toque, e o da minha pele nua, que os teus Demónios tenta, mas acalma e serena, numa entrega total, que não há memória igual, em poesias escritas a pena.

E é neste render, que tudo nos faz esquecer, que as emoções se liquidificam, os sentimentos se multiplicam, tornamo-nos um, e as Almas surpresas, baixam todas as defesas, neste querer tão estranho e fora do comum.

Miss Kitty #69Letras

POEMA SEM PALAVRAS!

received_1209047555795517

 

Hoje nesta madrugada…
Quero que te sintas tão Amada…
Vou escrever Poema sem Palavras…
Só com o Amor que tanto ansiavas…
Tua pele arrepiada, em Braile…
Onde te leio na ponta dos dedos…
Neste Poema sem Palavras…
Revelo-te os meus segredos…
Hoje não vou usar letras ou palavras…
Nem qualquer tipo de sinalização…
O Poema que escrevo na tua pele…
Será escrito com Amor e Paixão…
Na minha boca levo os beijos…
E na Alma a vontade…
De realizar nossos desejos…
De te Amar de Verdade…
No teu corpo tatuo o Amor…
E provoco-te o arrepio…
Quero ser o teu calor…
Nas tuas noites de frio…
Sou o teu Poema sem Palavras…
Escrito numa folha em branco…
Onde no brilho dos meus olhos…
Sabes que te Amo tanto…
E do nosso Amor, fazemos Poesia…
Num Poema nunca escrito…
Onde és tudo que eu Amo…
Mulher… Admito!

POETA SOLITÁRIO

Amores desencontrados…

ELE anda cansado das baladas e dos casos furtivos sem sentimentos. Aprendeu a gostar da sua própria companhia, sem precisar estar num grupo de amigos todos os sábados. Decidiu que quer um amor verdadeiro… que pode nem ser eterno mas que traga um sabor doce às suas manhãs, que seja a melhor companhia para olhar a lua, que ele possa exibir os seus dons na cozinha e o seu conhecimento em vinhos, só para ela.
Quer uma mulher que ele reconheça pelo cheiro dos cabelos, pelo toque dos dedos, pela gargalhada que vai ecoar pela casa transformando um domingo sem graça, no melhor dia da semana. Quer viver uma paixão tranqüila e turbulenta de desejos… quer ter para quem voltar depois de estar com os amigos, sem precisar ficar “caçando” companhias vazias e encontros efêmeros. Quer deitar no tapete da sala e ficar observando enquanto ela, de calção de algodão, com a minha T-Shirt e um rabo de cavalo, lê um livro no sofá. Quer deitar na cama desejando que ela entre no quarto em lingerie de tirar o fôlego.
Quer guerra de travesseiros, até que o vencido vá á cozinha buscar água para saciar a sua sede. Quer o poder que nenhum dos seus super heróis da infância tiveram… o poder de amar sem medo, sem perigo e sem ir embora no dia seguinte.
Quer provar que pode fazer essa mulher feliz!

ELA quase deixou de acreditar que seria possível ter vontade de se envolver novamente. Foram tantas dores, finais, recomeços e frustrações que pensou em seguir sozinha para não mais se magoar. Então percebeu que a vida de solteira já não faz tanto sentido. Decidiu que quer um amor verdadeiro… que pode nem ser eterno mas que possa acordá-la com um abraço que fará o seu dia feliz. Quer um homem que ela possa cuidar e amar sem receios de que está sendo enganada. Quer a alegria dos finais de semana juntinhos, as expectativas dos planos construídos, o grito de “golo” estremecendo a casa quando o equipa dele estiver a ganhar… a cumplicidade em dividir os segredos.
Quer observá-lo sem camisa, a ler o jornal na varanda… quer reclamar da bagunça da casa de banho, rindo e gritando quando ele responde puxando-a para o chuveiro, completamente vestida.
Quer a certeza de abrir a porta de casa e saber que mesmo ele não estando, chegará a qualquer momento trazendo o brigadeiro da confeitaria que ela gosta tanto. Quer beijar, cheirar, morder, beliscar e apertar para ter certeza que a felicidade está ali mesmo… materializada nele.
Quer provar que pode fazer esse homem feliz!

ELES estão por aí… sonhando um com o outro… talvez ainda nem se conheçam… mas é só uma questão de tempo, até o destino unir essas vidas que se complementam e estão ávidas para amar e fazer o outro feliz.
Ou alguém duvida que o universo traz aquilo que desejamos?

Autor desconhecido

O Vizinho #69Letras

Acordei quando o sol já me aclarava o rosto

12509761_1647609665484764_8662397098328736322_n

Ouves os pardais lá fora?
Aposto que sim, que ouves!!
jurava que no sonho da noite passada
me cantarolavas aos ouvidos
La traviata…
Foram eles, não foram?
Ensinaram-te as notas e os segredos da pauta
De batuta em punho qual bico afiado
Debulharam cantigas
E , sem mais nem menos…
Pediram-te que mas cantasses ao ouvido
no vale dos lençóis,
para que cega fosse
e o único sentido acordado
te ouvisse e sentisse…
Acordei quando o sol já me aclarava o rosto
Na rua, o menino do berlinde jogava…
O jornal debaixo da porta,
as mesmas notícias…
Os pardais partiram com as andorinhas
Uma ” Prima Vera “
escreveu-me!…
Quando voltas??

Ela

 

 

Segredos de um Tejo silencioso.

12494830_1646006908978373_7426443251064588769_n

 

Finalizei o dia exausto, e aguardei a tua chegada. Levaste-me então nesse teu carro, pensado eu que íamos jantar um belo repasto, paraste junto ao tejo, vi no teu olhar o desejo brilhar e num ápice saltaste para o meu colo, e retiras a minha gravata ferozmente atando-me na porta, a camisa foi-me arrancada num só golpe, a minha exaustão depressa desvaneceu e senti uma descarga de adrenalina, a tua subjugação tornou-me energético, fizeste-me provar o teu corpo aos poucos, deixando-me desejoso e acabas cavalgando em mim, sem piedade, e terminamos admirando as luzes de lisboa refletir no rio, satisfeitos partimos e esta ceia saciou-nos. Segredos de um Tejo silencioso.

Ricco #69Letras

Erros imperdoáveis

1929944_1636863339892730_8501448819992146485_n

Há erros imperdoáveis, que não deveriam ser cometidos,
Segredos omitidos,
Amores profanados,
Mas nunca houve intenção de magoar-te.

És a paixão da minha vida,
O meu amor eterno.
Foram ditas coisas, que não foram sentidas.
Foram ditas para tomares uma atitude.

Só queria que lutasses por mim e pelo amor que me tens.
Esperei que demonstrasses que tinhas ciumes, como eu tenho por ti.
Mas preferiste ficar no teu canto, calado.

Fiquei triste e magoada por o fazeres, tentei aproximar-me, mas tu…
Fechaste-te no teu mundo cada vez mais.
Não me deixaste entrar.

O que desejo é o teu amor, confiança e paixão de novo.
Não sei viver sem ti,
Não te ter ao meu lado é como se perdesse metade da minha identidade.

Só quero que me ames como te amo a ti.
És tudo para mim e tu és o meu mundo.

LOLA