Arquivo de etiquetas: roupa

Sem destino saio.

Hoje resolvi sair, festejar não sei bem o que.
Não preciso de motivo.
Festejo porque quero, como tudo o que faço. É porque quero.
Quero estragar a minha alma com sexo sem sentido, o meu corpo com álcool caro e a minha pessoa sem vergonha nenhuma nesta cara.
Sem destino saio.
E sabe deus que é escassa a minha roupa.
Gosto desse teu ar.
Como seguras o copo e mordes o lábio enquanto me penetras com o olhar.
Já perdi a conta aos copos… às garrafas que por mim já passaram.
Anda comigo que se faz tarde.
Transpiras confiança em me ter … isso excita-me para além do racional.
E se dar por isso já estou estragada.
Debruçada de rabo empinado para te servir mais uma bebida nesta longa madrugada neste quarto de hotel.
Manda vir mais uma garrana que está calor, e sem medos bebe-a em cima de mim.
Meu estranho faz-me feliz,
Leva-me ao limite.

Porque eu hoje saí para festejar e assim vamos continuar.

©Krishna 2017 #69letras

DESEJO ANIMAL

received_10208278843427672

Vem depressa por favor…
Acalma-me esta urgência…
Arranca de mim esta dor…
De toda esta carência…
Hoje quem manda sou eu…
Vem, arranca-me a roupa…
Toca-me como só tu sabes…
Não pares, deixas-me louca…
Devora-me com gosto…
Usa-me para teu prazer…
Sente-me, faz-me vibrar…
Tens tudo o que podes ter…
Encosta-me contra a parede…
Com esse desejo animal…
Hoje só quero sentir…
O teu instinto carnal…
Faz das minhas as tuas vontades…
Possui-me, entra dentro de mim…
Enlouqueces-me, fazes-me vir…
Nunca te senti assim…
Com esse desejo animal…
Hoje a noite foi minha…
Arrancaste-me esta dor…
E dei-te tudo que tinha…
Depois de uma noite assim…
Cheia de tanto sentir…
Lamento meu amor…
Não te vou deixar partir…

Miss Kitty

SINTO-TE…

received_10208281844022685

Escrevo como te sinto…

Sinto-te em mim, sem me tocares e, não precisamos de dizer nada, pois basta um olhar, para sabermos como e quanto nos queremos e precisamos um do outro. Olhares que se trocam e sem querer dizem tudo, traem-nos, revelam os nossos desejos, por mais íntimos e secretos que sejam, e aos quais deixamos de resistir.

Sinto a tua respiração no meu ouvido enquanto proferes palavras doces que me inibiram e me derretem por dentro fazendo o teu coração que bater acelerado. Sinto o calor da tua boca na minha quando me beijas com sofreguidão, e me reclamas como tua. Beijos calados que falam por nós com esta cumplicidade que nos caracteriza.

Sinto o toque dos teus dedos na minha pele enquanto me tiras a roupa lentamente, toque esse que provoca um arrepio gostoso que traduz toda a química explosiva que nos envolve, um misto de dois componentes num jogo de acção-reacção que nos cativa deixando-nos tão rendidos.

Sinto-te quando te toco, cada poro, cada centímetro, cada pedaço teu se contrai à minha passagem, provocando, seduzindo, querendo mais de ti e de mim, nessa dança de sentidos e de corpos, de toques, de cheiros, que nos fica na memória. Corpos que se veneram, completam e falam entre si sem ser necessário dizer uma única palavra, só mesmo o toque, para se compreenderem e saberem saciar desejos.

Sinto o teu gosto doce e salgado, a gota de prazer que sem querer libertas por não a conseguires conter. Levo-te ao limite, sei que gostas, que te deixo louco, sem reacção, faço-te esquecer do mundo e de ti próprio, deixas de resistir e entregas-te a mim satisfazendo os teus desejos e os meus, quando me sentes, me provas e me deixas sem fôlego de tanto prazer e urgência de te ter dentro de mim e, sem nada precisar de dizer, te apressas a satisfazer.

Sinto os nossos corpos ansiosos por libertarem as almas. Corpos que se dominam, falando por nós como nenhum poema o poderia descrever. O calor do teu corpo por traz do meu quando me envolve num abraço urgente e lentamente me possui, centímetro a centímetro, com tanta doçura e suavidade, preenchendo-me, completando-me, tornando-nos num só. Sintonia perfeita entre corpo, alma, amor, paixão, tão incondicional e natural como se tivéssemos sido feitos por medida. É nesse momento que deixamos de existir, somos um, esquecemos todas as cicatrizes do passado, as dores do presente e o futuro que não conhecemos, e vivemos esse momento, tão íntimo, tão sentido e tão nosso. Amamo-nos, pertencemo-nos, possuímo-nos e nada mais importa, só nós.

Olhos nos olhos, entre toques, beijos e gemidos, testemunhamos o nosso prazer, que nos preenche e inunda de tão intenso e sentido que é. São breves momentos, inexplicáveis e tão insanos que se tornam eternos em segundos. Momentos que teimamos em prolongar com carícias e beijos, por não nos querermos separar, ficando cada toque tatuado na pele e gravado na mente para sempre.

Por fim adormecemos, tal como estamos, exaustos de tanta entrega mas tão saciados, transbordando amor. Sentimo-nos e protegemo-nos, mais nada importa… Como vês, sinto-te como escrevo…

Miss Kitty

 

HOJE QUERO-TE AQUI!

received_1211470978886508

Hoje quero-te aqui…
Os meus lábios na tua boca…
A minha pele na tua pele…
Os dois assim, sem roupa…
E nessa tua cama…
Onde dormes sozinha…
Hoje quero ser eu…
Tua eterna companhia…
Hoje quero-te aqui…
Nossos corpos entrelaçados…
Prisioneiros deste Amor…
Que tanto desejamos…
Já não faz mais sentido…
Eu sozinho na minha cama…
E tu na tua cama deserta…
Longe de quem te Ama…
Hoje quero-te aqui…
Dar-te todo o meu Amor…
Matar esta distância…
Que nos causa tanta dor…
Hoje quero-te aqui…
De corpo e Alma presente…
Quero dar-te o meu Amor…
Para sempre!

POETA SOLITARIO

Quero o teu olhar…

received_10208212198161582

Sabes o quanto gosto de ver esse teu olhar quando me vês, sentir-te o prazer nos olhos quando os semi-cerras de tanto desejo, o teu olhar não mente.
E ver-nos, sabes tão bem como gosto disso, de nos ver juntos, entrelaçados e rendidos de corpo e alma, como se o amanhã não fosse chegar.
Deliro quando te aproximas por trás de mim de mansinho em frente ao espelho e me despes a roupa de viver, lentamente, deixando o meu corpo nu, tal como sou, ao abandono das tuas mãos, e a alma mais nua ainda.
Conheces-me bem, posso ver essas mãos no espelho vaguearem por mim, com destino incerto, só para meu prazer, e ao mesmo tempo ver o teu olhar. Oh, esse olhar que me cativa, me incendeia, me diz tanto e me deixa completamente rendida.
Incrível como cada toque teu me faz voar, sair de mim e deste meu mundo que passo a ignorar. Nada mais importa, nada faz sentido sem esse toque que me trás à vida e me faz sentir.
E vejo, vejo através do espelho, consigo ver esse sentir, meu e teu. Por tudo isso quero tanto o teu olhar…

-Dizem que os olhos são o espelho da alma, e é assim que te deixo ver a minha, através do nosso olhar que se cruza no reflexo do espelho, no olhar que aprecia o teu corpo, o olhar que sente o teu desejo.
E os nossos olhares fundem-se num só enquanto acompanham as minhas mãos que te tocam, as mãos que percorrem a curva dos teus seios, que tocam o teu ventre liso, que descem e sentem o teu querer.
E assim, com os nossos olhares fixos no espelho possuo-te lentamente, vemos os nossos corpos suados os movimentos lentos e ritmados e sinto aquilo que adoro, o teu prazer, sabes bem como o adoro, como me sinto realizado e penso que a imagem devia ficar imortalizada, que este momento tão perfeito devia durar para sempre…

 

Miss Kitty & Sir Wolf

Hoje queres-me em ti, dentro de ti…

Que belo dia para sair de casa, vestir os calções e a camisa de Linho, usares aquele vestido leve e florido que compraste nas férias em Ibiza.
O Sol quente e iluminado que nos enche de Vitamina D, a leve e cheirosa brisa de Maio com toques de Alecrim e Malmequeres, a frescura de uma Imperial numa esplanada junto ao mar… Certeza não há melhor que isto para dias como o de hoje…
Mas não… Não é isso que queremos fazer… Nada de roupa, somente a nossa pele… Nada de sol nem brisa cheirosa, apenas a luz do candeeiro e a odor do nosso corpo… Nada de sabor refrescante, somente o salgado e quente da nossa pele…
Hoje ficamos no sofá, na marquise, na cozinha, na casa de banho, na cama… Percorremos todas as divisões e cantos da casa, ora húmidos de vontade, ora molhados do banho; ora famintos de prazer, ora desejosos um do outro…
Hoje queres-me em ti, dentro de ti, em cima de ti, debaixo de ti… E eu em mim te quero, onde nus e desprovidos de quaisquer pudor ou vergonha gritamos em uníssono o nome um do outro…

O Vizinho #69Letras

Conto – Parte 1

Começou com uma mensagem provocadora, conversas banais. Estando ele tão longe dela eram as mensagens que lhe restavam. Ela bem tentava ignorar o “bip” do telemóvel quando entrava uma mensagem. Mas ela não resistia em ver se tinha sido ele ou não. Assim que via, ter sido dele ela lutava consigo mesma para não abrir e ler o que ele escreveu. Essa “luta” não demorava muito. Ganhava sempre a tentação. Era um vai e vêm de mensagens quentes. Arrepios e as cuecinhas molhadas era uma reação constante lendo as palavras escritas por ele – Aquele homem tão seguro de si mesmo, tão mais velho que ela. Tão bom que já a tinha na palma da mão. – Passavam os dias a conversar sobre tudo um pouco.

Um dia ela ouve o som do seu telemóvel à tocar, sem ver quem era ela atendeu. Uma voz masculina, bonita – que lhe causou um arrepio imediato entre as pernas – cumprimenta-à. Era ele. Ela nunca tinha ouvido aquela voz tão sensual. Sem saber o que dizer ou fazer ela simplesmente sorriu. Passados alguns segundos ele pergunta se ela esta lá. Apercebendo que ainda não tinha dito nada ela cumprimenta-o. “O que estas a fazer neste preciso momento” pergunta ele. A resposta dela é quase imediata: “A vestir-me.” Ela ouve um curto gemido. “Muito bem. Despacha-te e sai para fora. Hoje não vais dormir em casa.” O mundo a volta para. Será que ouvi bem? – pensa ela. Como se ele lhe tivesse ouvido os pensamentos ele responde: “Sim ouviste bem. Estou a tua porta. Despacha-te.” Ele desliga. Incrédula ela fica olhando para o seu telemóvel. Passados alguns minutos ela começa a vestir o resto da roupa e olha-se no espelho. Calças rasgadas e um T-Shirt de andar em casa. Eu não posso sair assim – pensa ela. Estando calor na rua ela despe a roupa novamente e veste um vestido lindo que nunca usou por vergonha. É um vestido que lhe destaca as curvas sensuais. É provocador e encantador. Ficando a ver o seu reflexo no espelho ela começa a pensar se ele realmente estará à espera ou não. Passa um batom vermelho nos seus lábios carnudos e cheios. Puxando o elástico que lhe prendia o cabelo começa a cair o seu cabelo ondulado sobre seu rosto e costas. Ajeita um bocado o cabelo para trás. E sai do quarto com a sua bolsa. Calça umas belas sandálias e sai porta fora. Lá esta ele. Aquele homem tão seguro de si mesmo, tão mais velho que ela. O homem mais bonito que ela alguma vez viu. Sentindo suas pernas a tremer e suas cuecas a molhar ela segue em frente e para quando estão cara à cara. Tocando no rosto dela e puxando-a contra si ele beija os lábios dela que a tanto desejava. Com uma mão na sinta dela ele puxa-a ainda mais contra ele. Ele quer que ela sinta à tesão dele. À tesão que ela lhe causou no momento em que a viu. “Foda-se és tão bela.” Diz ele enquanto a beija. “Quero-te possuir aqui mesmo.”

…. continua..

Peregrinus #69Letras