Arquivo de etiquetas: romantico

Sous le ciel de Paris

E lá estava ela.
O olhar brilhante, o sorriso doce, as madeixas douradas a ondular ao sabor da brisa, o casaco vermelho a combinar com a boina, o corpo esbelto e perfeito.
Na ponte sobre o rio Sena lá estava ela, a contemplar a Torre Eiffel, como sempre fazia ao fim da tarde.
A neve caía-lhe sobre os ombros como se algodão fosse e ela não se importava com o frio cortante que se fazia sentir naquele Inverno parisiense.
E, como sempre, aqui estou eu sentado na escadaria à espera que ela chegasse, apenas para a contemplar.
Apenas a olhar, sem a poder tocar, sem lhe poder dizer que o meu coração se prendeu a uma estranha.
O meu coração prendeu-se a ela.
Mas hoje foi diferente.
Hoje, depois de olhar a Torre, ela olhou para mim.
O seu olhar chocou com o meu e, timidamente, ela sorriu.
Sorriu para mim. E aproximou-se.
“Posso sentar-me aqui?”
Surpreso, apenas acenei a cabeça em sinal afirmativo.
O meu corpo estremeceu quando ela se sentou e o seu perfume suave invadiu o espaço.
“A vista é linda. Todas as tardes venho até aqui para olhar para a Torre e ver o anoitecer cair sobre ela.”
“Eu sei. E eu venho aqui só para te olhar e comprovar que o teu brilho é maior que o das estrelas”, pensei.
Sorri para ela e apresentei-me.
A conversa sobre Paris e a sua beleza prolongou-se até a noite chegar.
“Amanhã irei voltar. Encontro-te aqui?”
Ela queria voltar a estar comigo.
O meu coração quase explodia com tanta felicidade.
A semana passou-se com encontros diários na escadaria.
E eu sentia-me apaixonado.
Numa dessas tardes ela contou-me porque olhava sempre para a Torre Eiffel ao anoitecer.
“Um dia gostava de ir até ao cimo da Torre e olhar as estrelas. Acredito que de lá lhes poderia tocar e que os meus desejos se realizariam.”
“E qual é o teu desejo?”, perguntei.
“Neste momento…tu”.
Os nossos olhares fixaram-se, aproximando os nossos rostos e fazendo com que os lábios se tocassem.
Que beijo tão suave e doce.
Eu amava-a. Eu queria tornar os seus sonhos realidade.
Uma tarde, antes de nos despedirmos, sussurrei-lhe ao ouvido:
“Esta noite vais mais alto. Esta noite vais tocar nas estrelas.”
E entreguei-lhe uma chave. Uma chave para a Torre.
Os olhos dela ganharam um brilho maior que o do sol.
Abraçou-me.
“Obrigado! E tu? Vens comigo? Queres ir mais alto e sentir como é tocar numa estrela?”
“Eu já senti. Eu já te toquei.”
E assim nos despedimos.
Na noite cerrada, caminhei em direcção à Torre Eiffel.
Parei na ponte onde sempre a costumava ver.
Olhei para o topo da Torre e vi uma silhueta.
Uma silhueta esbelta e mais brilhante do que o anel de diamante escondido no meu bolso.
Tocava nas estrelas pedindo os seus desejos. Estava lá, mais alto.
A mulher a quem entreguei o meu coração.
A mulher que amo.

© Fox 2017 #69Letras

Este sou eu…e eu, sou só teu!!!

Existem as pessoas que me conhecem e existem as que pensam que me conhecem. Tu és sem dúvida daquelas poucas que me conhecem.

Quem sou eu?!

Sou alguém muito complexo. Sou alguém que por norma “não gosta de pessoas”.

Aquele que cria empatia fácil com as pessoas mas, que rápido se enche das mesmas.

Aquele que em multidões entra em modo de bloqueio, ficando mais calado e reservado.

Sou aquela pessoa a quem o irmão chamou de “frio e calculista”!!

Aquele que dificilmente derramou uma lágrima na sua vida.

Aquele que nunca sofreu de grandes amores, aquele que nunca foi de pieguices e nunca se deu a grandes lamechices.

A verdade é que nem sempre fui assim. Durão ou pouco piegas sempre fui mas, lembro de uma altura em que sentia que existia um coração aqui dentro e não me sentia um ser por vezes estranho.

O que me tornou assim?!? Não sei.

Não sei, onde no meu percurso de vida, me desviei tanto do que sempre fui.

A verdade é que este sou eu agora mas, desde o momento que te conheci, muita coisa tem mudado em mim. Às vezes dou por mim com essa necessidade de te mimar e demonstrar o quanto gosto de ti, o quanto me sinto perdido no teu olhar, preso no teu beijo e no teu abraço.

Tens trazido ao de cima o melhor de mim, o meu lado doce e meigo, o meu lado romântico e dedicado. És sem dúvida como que um anjo na minha vida, a minha salvadora, a minha alma gémea.

Acredito que um dia voltarei a ser quem já fui, por ti, e que continuarei a demonstrar-te dia após dia o quanto te amo e te quero fazer feliz #Vizinha!!

Cada dia a teu lado, cada momento de mão dada, cada canção contigo partilhada nas nossas viagens de carro me fazem nos aproximar mais e mais, nos fazem viver novos momentos de amor e paixão e me fazem acreditar em todo nosso futuro juntos.

Por muito complexo que eu seja, por toda minha frieza que tenha, por ti quero ser alguém melhor e fazer de ti a mulher mais feliz.

Amo-te..

©Ricardo Vieira, Anónimo 69 Letras 2017

Estrelas

13454068_1221935061159525_904295650_n

Texto Erótico|M18

– Anda, quero mostrar-te um sítio.

– Agora? Vão dar por nossa falta?

– E o que tem? Preciso de ti mais do que nunca.

Apenas sorri. Pegaste na minha mão, entrelaçaste os teus dedos longos e grossos nos meus e enquanto nos dirigíamos para a porta, imensos olhares focavam o nosso caminhar, os nossos corpos, as nossas mãos… Por momentos parecia que estávamos a caminhar sobre uma passadeira vermelha onde toda a atenção recaía em nós. Começo a sentir borboletas na barriga, nunca me tinhas segurado desta forma, com esta certeza. Afinal não passávamos de uns meros amigos que de vez em quando se encontravam para “estudar anatomia”.

Da última vez prometemos que seria a última vez, tal como todas as outras vezes. Já perdi a conta de quantas promessas já quebramos… seria para ser só uma vez, só um contacto, só uma noite, mas esta minha carência pelo teu toque e a tua carência pelas minhas fantasias combinam na perfeição.

– Já me vais dizer o que me vais mostrar?

– Quando chegarmos, verás.

(…)

– Este será o nosso lugar. Gostas?

Sinto a tua mão a pousar delicadamente sobre a minha anca, a puxares-me aos poucos para a tua frente e sem dar por isso, já estavas abraçado a mim. O meu corpo começa com suaves arrepios, é estranho, fazes-me perder a noção das vezes que já estivemos juntos, mas ainda consegues despertar esse efeito em mim.

– É lindo! Daqui vemos a cidade toda. Nosso? O que queres dizer com isso?

– Não queres que seja nosso?

És tão bom a fugir ao assunto quando me respondes com outra pergunta. Consigo sentir o teu coração a acelerar. A tua mão hesita-se, ficas sem saber onde me tocar, pousas-la devagar, com aquele toque quente na minha barriga, a tua respiração ofegante junto ao meu pescoço e o teu tesão bem junto do meu rabo.  Adoro senti-lo e ver-te assim, mordo o lábio e encosto-me mais um pouco para o sentir, viro-me para ti. Faço aquele olhar sedutor, desaperto as tuas calças, amarro-o, olho-te nos olhos e beijo-te. Caramba, que se passa contigo hoje?  Estás desajeitado com os beijos, estranho mas ao mesmo tempo tão romântico.

– Vem, deita-te aqui comigo. Olha como as estrelas brilham.

De facto, nunca tinha reparado muito nas estrelas, nem fazia ideia de que te interessavas por estrelas. Olho e vejo-as a brilham intensamente, intensamente como o desejo que tenho em te saltar em cima. Trazes-me aqui para ver estrelas? O sitio é fabuloso, de facto, a minha mente já está a trabalhar em simultâneo com a tua… estás à espera que diga alguma coisa não é? Não me vem nada à cabeça, o meu pensamento já está muito para além daquelas estrelas. Surge-me então :

– Não podes ir buscar uma para mim?

Não era nada disto que queria perguntar, só me ocorrem perversidades, aquelas que tu adoras. Dou-te a mão.

– Para que ir buscar uma, se tu já o és.

Trocamos olhares, sento-me na tua barriga, sinto as tuas mãos a subirem-me pelas pernas parando e apertando o meu rabo. Assim sim, já pareces o “bad boy” que conheci, desinibido.  Desaperto a tua camisa, muito devagar, botão a botão, sempre de olhos nos olhos, consigo sentir o teu desejo. Rebolas, fico por baixo, a relva está húmida, tal como eu. Desapertas o meu vestido… e permanecemos lá até o amanhecer.

 

DamaDeCopas

Mar nunca antes navegado

image

Parece que foi noutra vida quando o mar nunca fora violado nem as florestas desbravadas, quando em mim habitava um coração intacto e uma mão aberta ansiosa para amar preparada para receber e se entregar. Parece uma outra vida, tão distante desta que agora conheço, foi antes da poluição, dos sismos,das erupções vulcanicas e do degelo dos oceanos, foi antes de conhecer o lobo na pele de cordeiro, o melhor de todos os atores, o incrível imbecil destruidor de sonhos. (“Quem nunca se cruzou com um?”). Tudo isto foi antes de me terem arrancado o que de mais puro tivera, dentro do peito, um coração de sangue jovem, ingenuo e virgem, eterno sonhador, crente romântico, de forma prometida, suave, leve, regular doce e apaixonado com genuíno sentimento. Fora-me arrancado, vi-o sangrar nas mãos do saqueador de histórias de amor, vi-o ser jogado no chão  e o coração que antes era  vida em pedra se transformou quando no piso tocou. No chão rolou… rolou… pelo caos atravessou e a sua forma mudou e hoje de mão fechada, na minha pele ainda sangra.

 

A Vizinha

O teu sorriso já me iluminou antes, mas tem mais encanto a cada pequeno segredo teu

943898_1637660469813017_8258252234414041366_n

 

Sente o carinho que te disponho, com toda a calma de um bom romântico, se me perguntarem, se te quero de pernas abertas, responderei que prefiro ter-te de coração aberto para mim. O teu sorriso já me iluminou antes, mas tem mais encanto a cada pequeno segredo teu, e sentir a tua pele fria aquecer a cada toque meu tornou-se evidente que atração física precede sempre de uma grande paixão, não te poder ter quando queres e quando eu desejo é o eterno impasse da sedução que nos enaltece como apenas eternos amantes platônicos. Quero tocar-te no corpo, como me tocas a alma, e beijar-te no pescoço arrepiado, sendo que é como estou ao escrever-te.

Ricco

Imagina tu…!

a4ff06e5a1f9f1dee98df2d7de167caf

Imagina a minha surpresa quando por fim vejo alguém carregar a minha alma no sorriso como se da dele se tratasse? Meu coração é tão pequeno para tanto contentamento que se sente no tom da minha doce voz, no sorriso rasgado e no olhar estrelado.
Imagina tu a minha admiração quando me senti segura nas tuas mãos quando entrelaçaste teus dedos nos meus? Por mim podia estar horas só assim contigo até mesmo debaixo de uma tempestade, estaria sempre bem desde que nos mantivéssemos sempre assim.
Imagina o meu espanto quando vi que a tua genuína alegria era consequência do carinho que te dava?
Imagina tu como me senti quando, enquanto nossos corpos descansavam, nossas almas passeavam.se de braço dado perfeitamente encaixadas, despreocupadas e profundamente felizes!
Vê lá tu quem me acompanha o dia todo nos lábios?
Meu sorriso é teu.