Arquivo de etiquetas: relação

Só para ti

Quando me enviaste aquele vídeo „Só de mim” foi quando percebeste que me perdeste.

Não tinhas esse direito!

Durante um ano mexeste com a minha cabeça e o meu coração. Cometi loucuras por ti. Amei-te, tentei… Esqueci-te – ou não? Era capaz de ter cometido mais loucuras por ti – por amor. Mas tu nunca me demonstraste que me querias. Agora que estou numa relação vens me confessar que afinal querias tudo o que eu queria. Mas não me ias deixar cometer as loucuras que eu ia fazer por ti. Mudar a minha vida por ti. Queres me mas ao mesmo tempo não – é isso? Porque raio agora? Dou por mim a pensar em ti, quando não o devia fazer. Queres que seja feliz. Por muito tempo desejei que fosses tu a fazer me feliz. E agora? Por um lado sei o que quero, por outro baralhas-me o sistema todo! Uma mensagem, uma imagem tua, um pensamento… tudo me afeta com uma intensidade que eu não quero admitir.

Diz-me o que devo fazer?

Peregrinus #69Letras

Não há morte pior que a da alma…

13051755_1688898544689209_7140586274251624542_n

Desengane-se quem pensa que o amor não dói, não há pior dor que a do amor, aquele que se perde, aquele em que a relação acaba mas o amor continua, chega a ser pior que a morte…

Na morte a perda é certa, morreu, enterrou-se, está ali, não há volta…

No amor não, parte de nós vai, mas está viva, ainda que não ao nosso lado, e por mais que pareça impossível, um coração que ama acha sempre que há uma hipótese, por mais remota que seja…

E dói, cada dia, cada hora, cada minuto, cada lembrança, cada cheiro, lugar ou sabor.
Não há dor pior que a do amor, não há morte pior que a da alma.

SilentSoul #69Letras

‘Bora sermos felizes?

b64cda1a21c55eab6119935c86c33e44

Fotografia: Via Pinterest

Somos tão sortudos por termos mil e uma formas de exprimir o amor por quem amamos, que me pergunto, como é possível termos os meios e a dádiva de sentir e nos esquecemos de o partilhar?
Mil e um, são também os gestos tão simples que nos ajudam a suavizar a carga que a vida nos coloca nas costas… o amor, o amor alivia. O amor dá força!
Vamos amar?
Vamos deixar que nos amem?
‘Bora sermos felizes?

A Vizinha

Ele é apenas apaixonado por um amor que já sabe que existe.

12313667_1630854267160304_6654202027443334381_n

 

Nem sempre quando escrevo é sobre um rosto específico, na verdade foram vários os rostos que à sua maneira me marcaram e deixaram de si em mim. Então pego nos vários pedaços das várias paixões que guardadas, misturo-os como se pertencessem a uma só pessoa e é para este todo que escrevo. Um rosto que não existe composto por pessoas reais que não sendo perfeitas deram-me deliciosos momentos de felicidade e quando os junto, são eternos e perfeitos. Escrevo-os como se seguisse uma receita, 10gr de emoção, 100gr de abraços, uma pitada de sedução e levo ao forno a tesão e é assim que vou escrevendo pequenos textos.
Nem sempre quando escrevo estou apaixonada, acontece é que ja estive e da mesma forma que guardo tudo o que ja vi, faço o mesmo em relaçao a tudo o que já senti. E quando tenho vontade de puxar a caneta como quem puxa um cigarro deixo fluir a mescla de sentimentos através da tinta e escrevo curtas de paixão, desejo ou saudade!

?A Vizinha