Arquivo de etiquetas: recomeços

A casa | Texto escrito por: Inquilino 69 Letras

Esta semana uma amiga disse me sobre a mudança de casa, ” que não ficasse triste, porque são só coisas “. Pois bem, essas ” coisas “, têm para mim mais importância do que algumas pessoas. As ” coisas “, têm cheiro, têm memórias, têm paredes com choro, gritos, lavar de alma, corpo e até paladar têm. Foram nessas ” coisas ” que escrevi muito dos textos, que aqui publiquei, entre quatro paredes ou fora de quatro paredes, sentimentos. Uma casa tem história, tem vidas passadas e vidas presentes, tem memorias de pessoas presentes e ausentes, tem crescimentos, tem tudo o que fez parte da nossa vida durante determinado tempo.

Passei por diversos hotéis enquanto vivi nela e nunca um hotel por melhor que fosse me soube tão bem, como o cheiro do regresso a casa, ao aconchego da cama, a minha cama. Foram nestas janelas cheias de ” coisas ” que a vida lá fora, me trouxe cor e a transportei cá para dentro, as arvores, os risos, os abraços e os beijos, os recém casais, as gravidas, os bebés, as crianças os jovens e os adultos, tudo passou pela minha janela, a chuva, o vento, o sol que espreita logo pela manhã num bom dia, os temporais que adoro quando me assombram a janela do quarto e me deleitam a escrita numa revolta apressada, como se o mundo acabasse naquele momento. Uma casa compõe-se de nós, tem o nosso cunho pessoal, cresce connosco, acompanha nos no silencio e quebra-nos na solidão, faz nos companhia.

De todas as ” coisas ” que mais vou sentir falta é sem dúvida das recordações, quer boas ou quer más, estão lá, metidas entre quatro paredes, vou fazer o obséquio de as levar comigo porque ela deixa, mas um dia será como um rosto que se vai atenuando com o tempo, ficam réstias de rosto, os olhos talvez, ou talvez a boca, como uma porta ou uma janela. Serei o mesmo, mas não serei mais a ” coisa ” que invadiu aquelas quatro paredes. Vou ter saudades, das vozes que por lá passaram, dos convívios, das gargalhadas.

A vida é uma recordação ténue de uma série de ” coisas “, mas as ” coisas ” ficam, os corpos esses um dia serão ” coisas ” inertes.

Quem sabe um dia, se corpo será cinza e da cinza será casa, de  ” coisas cheias ” num retorno ao cheiro que outrora foi meu, gravado entre quatro paredes. Uma certeza apenas, como disse uma vez ” A saudade é um lugar com história ” e eu, já tenho saudades do meu lugar. 

O Inquilino #69Letras 

Amores desencontrados…

ELE anda cansado das baladas e dos casos furtivos sem sentimentos. Aprendeu a gostar da sua própria companhia, sem precisar estar num grupo de amigos todos os sábados. Decidiu que quer um amor verdadeiro… que pode nem ser eterno mas que traga um sabor doce às suas manhãs, que seja a melhor companhia para olhar a lua, que ele possa exibir os seus dons na cozinha e o seu conhecimento em vinhos, só para ela.
Quer uma mulher que ele reconheça pelo cheiro dos cabelos, pelo toque dos dedos, pela gargalhada que vai ecoar pela casa transformando um domingo sem graça, no melhor dia da semana. Quer viver uma paixão tranqüila e turbulenta de desejos… quer ter para quem voltar depois de estar com os amigos, sem precisar ficar “caçando” companhias vazias e encontros efêmeros. Quer deitar no tapete da sala e ficar observando enquanto ela, de calção de algodão, com a minha T-Shirt e um rabo de cavalo, lê um livro no sofá. Quer deitar na cama desejando que ela entre no quarto em lingerie de tirar o fôlego.
Quer guerra de travesseiros, até que o vencido vá á cozinha buscar água para saciar a sua sede. Quer o poder que nenhum dos seus super heróis da infância tiveram… o poder de amar sem medo, sem perigo e sem ir embora no dia seguinte.
Quer provar que pode fazer essa mulher feliz!

ELA quase deixou de acreditar que seria possível ter vontade de se envolver novamente. Foram tantas dores, finais, recomeços e frustrações que pensou em seguir sozinha para não mais se magoar. Então percebeu que a vida de solteira já não faz tanto sentido. Decidiu que quer um amor verdadeiro… que pode nem ser eterno mas que possa acordá-la com um abraço que fará o seu dia feliz. Quer um homem que ela possa cuidar e amar sem receios de que está sendo enganada. Quer a alegria dos finais de semana juntinhos, as expectativas dos planos construídos, o grito de “golo” estremecendo a casa quando o equipa dele estiver a ganhar… a cumplicidade em dividir os segredos.
Quer observá-lo sem camisa, a ler o jornal na varanda… quer reclamar da bagunça da casa de banho, rindo e gritando quando ele responde puxando-a para o chuveiro, completamente vestida.
Quer a certeza de abrir a porta de casa e saber que mesmo ele não estando, chegará a qualquer momento trazendo o brigadeiro da confeitaria que ela gosta tanto. Quer beijar, cheirar, morder, beliscar e apertar para ter certeza que a felicidade está ali mesmo… materializada nele.
Quer provar que pode fazer esse homem feliz!

ELES estão por aí… sonhando um com o outro… talvez ainda nem se conheçam… mas é só uma questão de tempo, até o destino unir essas vidas que se complementam e estão ávidas para amar e fazer o outro feliz.
Ou alguém duvida que o universo traz aquilo que desejamos?

Autor desconhecido

O Vizinho #69Letras