Desatinas-me o corpinho todo, homem!

Mas que carrossel me saíste homem! Ora pega, não pega! Ora chove, ora faz sol! CREDO!  Pões-me o corpo a pedir esmola à porta do diabo!  Contigo a minha alma não tem descanso! Adrenalina sempre a mil à hora, numa descida e sem travões.  Tanto me atiças as vontades, como despejas um balde de água…