Arquivo de etiquetas: puta

Sou Put@, e que? (Parte 1)

Estou num daqueles dias mesmo caóticos. Tudo me corre mal desde que acordei.

Acabei de chegar a casa e tenho de me despachar, pois tenho uma saída marcada com umas amigas. Tiro a roupa e entro para o duche. Abro a agua e: “Ahhh!” Merda não tenho agua quente. Mas que mal fiz eu para merecer este dia tão mau? La tenho eu de me lavar em agua fria. Saio do duche e vou me vestir. Cueca de renda, sutiã com details rendados. Liga? Hum não. Assim como me corre o dia hoje, não vou precisar de liga. Pego no creme hidratante e começo a passar pela perna esquerda. Começo de baixo para cima. Depois de esfregar lentamente pelo corpo fora, meto um pouco de creme na mão direita para poder esfregar no peito e pescoço. Estou quase a acabar quando olho para a janela e vejo um vizinho do outro lado da rua de binóculos na mão esquerda e o seu sexo na direita.

Preciso do vestido. Onde raio esta o vestido? Na sala! Vou lá sem me preocupar se os vizinhos estão a janela e visto. Impecável! Pode ser que a noite me corra melhor. Olho para o relógio: “Merda!” Já estou mais que atrasada.

Peregrinus #69Letras

Fotógrafo: Helder Mendes Photography

Olá minha paixão fogosa e voraz!

Olá minha paixão fogosa e voraz!
Como é bom te rever, olhar para ti e em ti, e nada mais querer a não ser a ti.
Hoje quero que tu me laves o corpo, me limpes a alma e me deixes todo cheiroso. E depois deixo que te entregues a mim, ás minhas mãos e ao meu libido, á minha vontade de te ter, de fazer de ti minha donzela e minha puta.
Hoje quero sacrificar esse teu cheiro Dior, essa tua suavidade de óleo de Amêndoa, e trocar pelo meu e teu suor, pelos nossos fluidos e pela vontade de nos perder.
Hoje quero mudar esse sorriso de menina, trocá-lo pelo de mulher lasciva e dominadora. Se me vais mostrar essa boca, que seja de prazer e de tesão desenfreado.
Hoje quero-te, assim toda minha, pois eu, nestes momentos que estou contigo, sou todo teu… De corpo e alma…
Lava-me, tira-me as impurezas que trago comigo, pois hoje quero entregar-me ao teu mais belo e sincero prazer…
O Vizinho #69Letras

 

Não consigo parar de te foder…

Texto Erótico|M18

Por mais forte ou mais suave seja a minha a investida, por mais que te puxe o cabelo ou marque as minhas mãos no teu rabo, por mais que te puxe para mim e faça de ti minha puta, não me consegues dizer que não!

“Ai Foda-se! Dá-me mais! É tão bom! Não pares! Aaahhh!!! Siimm!” São os únicos sons que te saem por essa boca de fada… O teu desejo é não me voltar a ver mas o teu corpo quer mais do meu. Não me sabes dizer que não e eu não consigo parar de te foder…

“Vamos tomar café.” dizes-me… Nossos cafés são tão doces e húmidos, prazerosos e carnais, intensos como Café da Colômbia e de uma suavidade sensual que nem um Arábico.

“Temos que nos deixar de ver…” refilas comigo…

“Temos sim! Não suporto mais chegar a casa ás 3h da manhã e ter que me levantar ás 7h!” respondo eu…

“Ui! Não gostas?”

“Porra! Adoro! Melhor foda que tu não há!”

“Eu sei!” diz-me ela, deixando-me sem reação mas a pensar no que lhe faria neste momento…

Sim, ela é uma boa foda, uma boa queca, uma boa tarde, uma boa noite… Whatever!! no entanto nas minhas horas de reflexão penso para mim, “É isto que eu realmente quero?” A resposta sai de rompante do meu tesão, “És infeliz meu caramelo? Não gostas??”

Esta minha resposta matou-me sem facas ou sem pistolas, sem força e com muita suavidade, deixando-me ressuscitar logo de seguida num pensamento quase que paisagístico e belo…

“Eu não consigo parar de a foder…”

O Vizinho #69Letras

 

 

…sei que estava a cometer um erro, mas era bom demais.

1917576_1644438789135185_3450647220144314681_n

 

A terminar de dar as aulas aos seniores, a preparar tudo para o merecido descanso.
Um bom banho, um bom vinho, uma refeição quente e o descanso dos deuses, era o que mais queria.
De costas para a porta, não senti que tinham entrado.
Sinto umas mãos fortes abraçarem me a cintura.
Virarem-me, agarrou-me na nuca, puxando um pouco os meus cabelos e beijou-me sofregamente e com paixão.
Não tive reacção, mas aquele beijo quente e forçado, fez-me ceder. Deixei a minha boca entreabrir-se.
Quase a perder o fôlego, senti-o afrouxar o beijo, abri os olhos e reparei que era um dos meus alunos.
Tentei escapar das garras dele, mas ele puxou.me mais para ele.
Disse-me que não resistia mais, tinha-me de sentir, de me possuir. Retorqui e disse-lhe que era impossível, questões de ética.
Tentei de novo desembaraçar-me de seus braços, mas ele entalou-me entre seu corpo atlético, torneado e o quadro.
Subiu-me o vestido, senti as suas mãos a percorrerem cada parte da minha intimidade. A minha respiração acelerava e não conseguia libertar-me.
Queria fugir, mas o diabo que ele estava a despertar em mim, queria ficar. Tentei resistir, mordendo o meu lábio para regressar à realidade, mas esse gesto foi como se o incentivasse ainda mais.
Pressionou-me mais contra o quadro, enquanto me beijava senti toda a virilidade dele em mim. Arfei…Afrouxou o beijo e começou a acariciar-me por todo o meu corpo, sempre dentro de mim.
Até me ouvir soltar gemidos de prazer, até ver o meu olhar vidrado de gozo e o meu sorriso de puta satisfeita.
Os meus poros cederam em todos os aspectos.
Disse-lhe que não poderia acontecer de novo. Acenou a cabeça com o sorriso de cabrão.
No dia seguinte, durante toda a aula sentia o olhar dele a percorrer todo o meu corpo e sentia-me a queimar. Sentia-me nua. Terminei a aula.
Ele parecia que não tinha ouvido o que lhe disse na noite anterior, pois voltou a carga e desta vez não lhe resisti.
Queria-o sentir de novo, sei que estava a cometer um erro, mas era bom demais.

Aquela sala de aula………

LOLA #69Letras

O sangue em frenesim!

11140076_1527159357601605_7155331153649792590_n

 

Ele não suporta o meu nariz empinado, nem o jeito com que o provoco fazendo exatamente as coisas que ele não gosta e ainda lhe sorrio descaradamente, sorriso esse que se rasga ainda mais ao ver a veia na testa dele a latejar… já sei o que me vai esperar…
É uma especie de bullying para quem não entende para mim é vida! É ter o sangue em frenesim! É poético!
Quando ele se zanga comigo fica cego com tanto calor, leva-me para o quarto e fecha a porta. Aqui me confesso que gosto destes tratos (são os melhores) e por isso não consigo parar de o provocar, gosto dele assim, autoritário e agressivo.
‪#‎ConfioNele‬
Dentro das quatro paredes ele chama-me de puta, sorrio com o olhar e ele derrete-se com a minha putice. Quer-me possuir a seco, mas já estou mais que molhada e pronta para o receber. Sempre quente para ele! A minha taradice em satisfaze-lo não tem limites, sou gulosa com os seus gemidos!
É… sofro de bullying, o meu namorado humilha-me dentro do quarto, faz de mim sua escrava, fode-me com indiferença é cruel nas palavras que me dirige…

e eu…

… renasço no meio de tanto bom trato. Sinto-me por fim, leve e liberta. Reponho por fim as noites mal dormidas e descanso como uma princesa, feliz e segura. Ele expulsa os demônios do meu corpo, faz-me chorar a dor que escondo dentro de mim… faz-me suar a prisão em que vivi.
Renovo-me nas mãos do meu namorado.