Arquivo de etiquetas: provar

Várias linhas. Várias pessoas. Vários homens. Tantos caminhos possíveis, tantos momentos incríveis

M18 | Maiores de 18 |

Não é fácil dizer sentimentos que se embrulham num novelo apertado.
Várias linhas. Várias pessoas. Vários homens. Tantos caminhos possíveis, tantos momentos incríveis, tantos obstáculos inventados… deixamos de conseguir apreciar cada nascer do sol porque sabemos que todos os dias se põe…
Em capítulos distintos vou falar de cada um deles.
Puxando cada ponta do novelo.

O “J”
Eu escondia-me no vulto de uma conta falsa do facebook. Ele também.
É fácil sermos atrevidos nessas condições meio obscuras.
Enviei uma mensagem alusiva ao fogo da foto de capa. Alguns dias depois respondeu. Malandro. Começou um diálogo que se foi prolongando devagar por vários dias. Até que um dia coincidimos. Ambos online. Ambos onfire. A conversa  certeira. Mais do que óbvio que queríamos o mesmo. Foder. Foder muito, foder bem, foder até afogarmos todas as angústias dos nossos dias. Até deixar de pensar.
Calhou que ele vinha a Lisboa. Vinha ficar perto de mim.
Mais tarde percebi que não calhou e que essas coincidências ele procura-as. Apenas calhei ser eu.
E que sorte a minha. Um homem com corpo de Deus Grego. Musculado, alto. Moreno. Um sorriso de enlouquecer. Muito mais novo que eu.
À hora certa, no sítio combinado. O carro dele atrás do meu. Saí com as pernas a cambalear. Nesse momento todos os receios, o meu corpo gasto, as inseguranças… Entrei no carro dele. “E agora?” “Vamos tomar um copo” respondi tentando ganhar coragem para o depois… mas depois ele estacionou. Sem mais conversa aquele homem deu-me um beijo que me deixou tonta. Por entre as pernas senti um dilúvio quente. Afastei-me. Quando ia abrir a boca sou calada de novo com a dele. Um piercing na língua. Meu Deus…. agarra-me as mamas com a falta de suavidade que esperava dele… destapa-as… lambe-mas… e confesso que se não tive um orgasmo naquele momento talvez tenha sido apenas porque o carro estava num lugar exposto. Não saímos. Fomos diretos para o motel.
Tremia dos pés à cabeça. Atordoada. A consciência e os receios zumbindo perdidos no meio do desejo. Incendiada. Incendiados subimos ao quarto. À primeira parede colados um ao outro. Ele despe-me a camisola. As minhas mamas expostas e ambos brincamos com elas. Despi-o. As peles quentes tocando o ritmo da nossa dança.
Puxa-me para a cama. Despe-me as calças. As cuecas. Abre-me as pernas mostrando certeza do que sabe fazer. E sabe. Aquela boca quente fez-me fechar os olhos. Que doce, que louca, que coisa tão boa…. enlouqueci. Embriagada de tesão perdi noção. Retribuí. “Que puta de boca” … Virou-me de quatro e deixou que sentisse aquele membro perfeito bater-me no fundo. Inundei-me. Inundou-me.
Perdi a conta dos orgasmos que tive, apenas me sentia quente de febre. Ele perdia-se neste calor. Primeiro round. Sorrimos cúmplice e ambos sabendo que tínhamos cumprido as nossas promessas. Fumamos um cigarro. Tomamos um duche. Que delícia de homem.

1b540da55d0736565c0fbdd905b1bdd9Sentada na cadeira, de toalha enrolada. Ele na cama de corpo despido. Falamos de nós.
Chamou-me de novo. Deitei-me com ele.
Suavemente começa a explorar cada ponto de mim. Os dedos hábeis, a língua ensinada.. rapidamente me pôs a pedir mais. E mais. Mais dedos. Mais boca. A mão toda dentro de mim, a boca chupando-me as mamas, mordendo os mamilos de novo erectos…. de novo um orgasmo. Os músculos todos apertando a mão dele. Uma inundação. Da-me a provar. Prova comigo e tem que me foder. De frente. De costas. De rabo exposto …. fez-me pedir. Pedi. Queria tudo. Queria essa bebedeira com ele. E ele deu-ma. A noite fervia, ou ela ou nós, mas ficamos loucos naquela cama.  Desta vez acabou na minha boca…. na minha garganta…. pude sentir o sabor quente delicioso que tanto me satisfaz…. os dois satisfeitos. De novo um duche. De novo um cigarro e mais um pouco das nossas vidas numa conversa serena… de novo ao pé dele…. entre beijos e carícias de novo a vontade… de novo um orgasmo. O dele no meu, porque o meu escaldou… não aguentou…
“Dormimos aqui?” Perguntou.
“Não. Quero ir para casa e acordar amanhã sem saber se sonhei. Não te quero real”.

Voltamos a estar mais duas vezes. Ficamos amigos. Profundos amigos. Uma espécie de amor, com quem eu Partilho tudo o que faço, tudo o que temo, tudo o que sonho. Ficamos amigos. Não esquecerei o que fez por mim. Resgatou a mulher. Senti-me perfeita. E isso, apenas isso, foi tanto para mim.

Marie #69Letras

Ao teu colo sirvo-me quente…

12540922_1650060515239679_5978399154413236420_n

 

Texto Erótico|M18 Preparo-te um menu cheio de cores, disponho-te para que te sintas confortável. Com seda vermelha tapo-te a visão, não vês o prato que preparei para ti tão leve de tão crú, assim está o meu corpo, nú.
Aproximo-me do teu rosto e cheiras o repasto, no olfacto inspiras suavidade. Ecoa no ar a melodia baixa, notas de piano que preenchem o espaço, teus músculos relaxam, cede o teu corpo ao meu menu light.
A sala está quente, crepita a lenha, estalo eu a cada peça de roupa que te dispo enquanto que na tua boca se derrete um quadrado de chocolate.
A rolha da garrafa de vinho salta fora, escutas o copo que se enche, o teu nariz aprova e a boca prova o gosto que os meus lábios deixa nos teus.
Ao teu colo sirvo-me quente, nos teus lábios apertas os meus mamilos faminto de carne, esfomeado por mim.
Respira.
A música ainda toca e o fogo arde.
A manga que te dou a provar escorre-te pelo corpo, sugo-te o sumo, gosto de fruta, desço mais o pouco e trago-te a pouco e pouco.
No gosto da minha boca tu já estás.
Sabe a ti.
Tiro-te a venda.
A entrada foi servida.

A Vizinha #69Letras

Não tinhas o direito! Não podias…

 

Porque é que o fizeste?

Fotografia: Via Tumblr
Estavas a tentar provar que afinal não sou feita de gelo? E agora que já sabes que por baixo desta capa ainda existe a mulher que um dia tocaste, o que é que tu vais fazer? Se nada é a resposta então já te digo que te devias ter deixado ficar por aí… pelo nada. Valia mais!
Não tinhas o direito! Não podias…
Não podes chegar e beijar-me! Dar-me a mão e descobrires-me frágil perante o teu avanço já que não tens intenção de me amar! Não podes dar á minha boca o refresco que é o teu beijo, não podes sacudir o meu coração e deixar-me assim sem saber para onde ir e o que fazer com este gostinho de felicidade com que pintaste meus lábios.
Não se faz.
Foste o verão que nunca esqueci, foste a luz da minha noite, tocaste-me genuinamente como antes nunca fora tocada, e eu tenho saudades disso! De quem eu era ao teu lado, mesmo que tenha sido breve, a mulher que conheceste é a mesma por quem sinto saudades. Tu foste e ela escondeu-se… fechou-se numa concha, pérola essa que nunca mais foi alcançada como um dia tu a marcaste…

 © ?Cátia Teixeira, Vizinha 69 Letras 2015

Beijos suculentos.

12417651_1646593018919762_8066356828620767550_n

Como posso esquecer
Teus beijos suculentos
Que me levaram a provar
O doce prazer ao luar.
Com o Tejo do nosso lado
O curso só podia ter sido um:
Porta aberta
Vestido levantado
E a tua tesão entalada.
Servida a entrada
Para trás ficou o céu estrelado
Com os corpos em rescaldo
Dançámos entusiasmados.
Ficou assim evidente
Que entre nós nasceu um desejo ardente.
Permanente.
A Vizinha #69Letras

Duelo entre a Raven vs Ela. Tema: Amor

12552992_1650059735239757_6815701802394497273_n.jpg

Duelo entre a Raven vs Ela.
Tema: Amor

Amor de outras vidas , reencontro karmico , não é o esplendor apregoado em belas histórias e melodias , é voltar a conceber um Amor temporalmente desfasado , é reconhecer o cheiro , cada linha da face , cada reentrância da Alma , é fusão imediata de todos os sentidos , é deixar de ser dois e passar a ser Uno . Quando se tenta explicar esta dimensão as palavras falham , não chegam , perdem se no ar , pois não existem . Quando um Amor assim se reencontra é reviver um passado sem espaço no presente e sem encaixe no futuro , pois não é daqui nem de agora . A Alma fica cheia para depois ser vaporizada em mil fragmentos .

Raven

Sentir que os passos que vamos dando têm chão…
Que as palavras soltas se juntam num verdadeiro cantar das cigarras
Alimentando cada raio de sol com a plenitude de um amanhecer,
E esculpir..
Esculpir em nuvens de algodão a palavra amor!
Como quem quer falar com a lua em tom suave, calmo…
Chorar de alegria ao ver que até as estrelas partilham o seu brilho.
Umas com as outras..
Numa partilha tão única, tão verdadeira…
Como a nossa…
A nossa partilha…
Nos sonhos, nos momentos, na vida, na saliva…
No encontro e desencontro de seres que se completam.
A metade e a metade da laranja….
Que dará o sumo de uma só!!!
Os corpos que relaxam na paz de uma tarde…
Que perdura na mente criando a noite…
Salpicando de chuva uma madrugada quente…
De um qualquer país tropical onde até a terra cheira…
Sentir…
O cheiro da terra e o toque dos teus lábios…
Na pele molhada da chuva que cai sobre nós…
Que nos molha o cabelo…pingando suavemente
por nós dois…de mãos amarradas e firmes!!
Parece que levitamos no tal cantar das cigarras
Na noite de lua cheia…
Onde as corujas de olhos esbugalhados nos
miram espantadas por presenciarem tal cena…
De amor!!…
Os nossos pés cheios de lama vão deixando pegadas
pela estrada fora, como prova que ali estivemos
ávidos de desejo e de paixão..
Num virar de página que nos mostra o início..
De uma longa e profunda caminhada
Que vamos fazer…de mãos dadas …
Partilhando…
Os sonhos, os momentos, a vida e a saliva…
Bebendo juntos o cálice…
Com o sumo da nossa própria laranja!!!
Eu e tu!
Tu e eu!

Ela

 

Segredos de um Tejo silencioso.

12494830_1646006908978373_7426443251064588769_n

 

Finalizei o dia exausto, e aguardei a tua chegada. Levaste-me então nesse teu carro, pensado eu que íamos jantar um belo repasto, paraste junto ao tejo, vi no teu olhar o desejo brilhar e num ápice saltaste para o meu colo, e retiras a minha gravata ferozmente atando-me na porta, a camisa foi-me arrancada num só golpe, a minha exaustão depressa desvaneceu e senti uma descarga de adrenalina, a tua subjugação tornou-me energético, fizeste-me provar o teu corpo aos poucos, deixando-me desejoso e acabas cavalgando em mim, sem piedade, e terminamos admirando as luzes de lisboa refletir no rio, satisfeitos partimos e esta ceia saciou-nos. Segredos de um Tejo silencioso.

Ricco #69Letras

Apenas um beijo

image
Um beijo é tudo o que te peço.
Só preciso de te dar um beijo para devolver à tua alma a esperança e voltares a acreditar que poderás voltar a amar,
Apenas um beijo será suficiente para sentires que ao meu lado nunca deixarei que te falte nada e que se é o céu que me pedes é para lá que voaremos.
Só te peço um beijo, um único beijo para provares o gosto do quanto te quero e te convencer a entregares-me a tua alma, saborearás nos teus lábios o gosto do amor, e sei que não o irás desperdiçar.

A Vizinha – Segue-me no facebook. Clica aqui.