Arquivo de etiquetas: princesa

Simpatia com a Gata Borralheira

Eu não sou aquela mulher que arregaça a saia para que lhe vejam as pernas.
Nunca serei a mulher que se resigna ou que se cala por medo de ser sózinha.
Adoro a solidão e prefiro-a a falsos lugares para ficar. Não sou mulher de uma noite e quando chego é para ficar a vida inteira. Continuar a lerSimpatia com a Gata Borralheira

Boneca

Usa-me.

Faz de mim a tua boneca de trapos.

Desfaz os meus sentimentos em farrapos.

Manipula-me.

Faz os teus jogos de sedução.

Brinca com o fogo e parte-me o coração.

Usa e abusa.

Deixa-me feridas abertas.

Para ti sou só mais uma dessas.

Abandona-me.

Num canto, fraca e indefesa.

Mata a tua Barbie princesa.

© Fox 2017 #69Letras

Há algo de ti que vive em mim

Há algo de ti que vive em mim.
É o teu olhar sereno
Que me apanhou na sua rede
E fez de mim sereia do mar
Nos teus olhos a mergulhar.
É o teu toque carinhoso
Que me envolveu no seu véu
E fez de mim deusa encantada
À tua mão agarrada.
É o teu calor sensual
Que me derreteu no seu abraço
E fez de mim princesa das Arábias
Esquecendo-me das palavras sábias.
É o teu beijo apaixonado
Que me envenenou com o seu sabor
E fez de mim Eva no Paraíso
Perdida no teu sorriso.
É o teu amor intenso
Que me amou no seu ser
E fez de mim a tua mulher
Para contigo esta paixão viver.
Sim.
Há algo de ti que vive em mim.

© Fox 2017 #69Letras

Noite que ficou na história…

Com o luar que me ilumina, e a Lua como companheira, caminho sem destino, luto contra o meu desatino, deste sentir que me fascina, me torna tua heroína, princesa sem príncipe nem cavalo, esperando pelo meu vassalo, aquele que me faz sonhar e a felicidade alcançar.

E no alto do meu reino, aguardo-te em meus braços, onde nos rendemos aos abraços, tudo de mau se desvanece, o passado que nos magoa se esquece, o Luar ganha novo brilho, essa luz que no meu peito perfilho, e com a nossa entrega se enaltece.

Nesta nossa viagem, ao meu corpo prestas vassalagem, como se de um altar se tratasse, os teus desejos acalentasse, entre a bruma da floresta sombria, onde o Luar tece magia, sou menina e mulher, tudo o que o meu vassalo quer, numa entrega assoberbada, de sentimentos e sentidos pautada, onde não existe diferença, só dois corpos que um do outro reclamam presença, sem a títulos olhar, na forma mais pura de amar.

E quando a Lua se encontra com o Sol, tendo a terra molhada como lençol, afastam-se os amantes, sozinhos tornam-se errantes, cada um com seu destino, do seu amor assassino, ficando só na memória, uma noite que fica na história, onde encontraram a felicidade, longe de toda a maldade, mas como esta não é uma história de petiz, o seu final nunca foi feliz.

Miss Kitty #69Letras

Olá coisinha boa…

“- Olá coisinha boa!
– Olá Princesa!
– Tenho saudades tuas…
– Oh baby… E ainda ontem estivemos juntos…
– Oh, a sério? Parece que foi há uma semana!
– Ainda tenho o teu baton no meu pescoço…
– Ups…
– Vou ficar triste…
– Porquê Meu Príncipe?
– Tenho que tomar um duche e o teu cheiro vai desaparecer…
– Pois… E tu não me sais do corpo… Não te falta nada na cadeira?
– Por acaso falta a minha t-shirt de dormir… És tu que a tens?
– Vestida por debaixo da farda! Oh!! Adoro o teu cheiro! Parece mesmo que estás aqui coladinho a mim!
– És uma safada!
– E tu adoras, não é?
– De uma forma indescritível! A única maneira de o descrever é demonstrando!
– E como o vais fazer?
– Isso agora!!
– Ai Baby! Assim deixas-me curiosa!
– Logo verás!
– Vou estar contigo? Hum… Que bom…
– A minha porta está sempre aberta para ti, a minha cama tem um espaço só teu, espaço esse que adoro invadir quando lá estás, por isso trás desejo e vontade que logo temos que conversar… Tens que me devolver essa T-Shirt…
– Ai! Não sei se a devolvo! Tens que me convencer…
– Sabes bem que ganho sempre! Custa mas acabas por ceder… Sabes como sei que estás a baixar as defesas?
– Como? Ai! Quero mesmo saber!
– A tua pele fica arrepiada, a respiração mais pesada, e mordes o lábio inferior…
– Pois, sabes que não te resisto…
– Princesa, tenho que trabalhar pois o meu chefe já está a olhar de lado…
– Até logo meu Príncipe… Adoro-te!!
– Até logo Princesa… Love You…”

É tão belo e gratificante quando estamos apaixonados, não é?
Pena não ser para todos…

O Vizinho #69Letras

The Fault In Our Stars I, Birdy – Not About Angels

 


Só tu me agradarias, me farias acordar e levantar da cama para te servir o pequeno almoço…

12920235_1683014048610992_7840011494320407904_n

Neste dia em que a chuva bate nas portadas das janelas e o som aconchega-me nos meus cobertores, sinto falta de ti… Sinto falta do teu cheiro, do teu toque, do teu corpo…
Este calor solitário não me convence nem me agrada, não me trás felicidade nem aconchego… Só tu me agradarias, me farias acordar e levantar da cama para te servir o pequeno almoço… As torradas, o café e o sumo natural te serviria no nosso ninho, onde tu estás relaxada, com esse olhar de menina safada, de mimalha…
Sentas-te na cama, nua e esbelta, aos pulos para receber este pequeno mas saboroso manjar… “Comporta-te” digo… Mas tu não gostas que mandem em ti… De birra ficas deitada, espreguiçando e contorcendo esse belo corpo como que a desafiar-me…
Com o dedo indicador “ordenas-me” para colocar o tabuleiro na mesinha, virando depois a mão e com o mesmo dedo chamas por mim… Damn! Que bela e sedutora imagem! Sabes bem que não te resisto…
Bom dia Princesa…

O Vizinho #69Letras

Até breve…

Purpura princesa que a olhos vagueia,
entre lobos acantonados nas cercanias,
acorda de teu pesadelo que o corpo te medeia,
não existem medos, nem urzes queimadas em serras vadias.
Purpura princesa, de caminhos trilhados,
vontades despertas em acampamentos de corpos lavrados,
por essa vontade incerta de mexer em amor deitados,
no suor agreste da mente suja de pecados.
Purpura princesa desperta e deixa o passado,
acanta te na beira da água que nasce da serra,
bebe da vida o cálice fresco e imaculado,
corpo presente em hortelã deitado.
Purpura princesa de sorriso semi aberto,
teu pensamento divaga sobre o céu descoberto,
na cor purpura de teu corpo de duna no deserto,
onde outrora nasceram cactos na mão puro gesto,
de liberdade aprisionada a cinzel no teu corpo manifesto,
levanta te, porque beleza que tens é muito mais que cor,
exterior de princesa e alma de rainha da primavera,
cheiro a calor em lenha de castanheiro a arder,
chama acesa a queimar devagar na beira da montanha onde a dor,
que te acompanha não será favor nenhum, a ti mulher sincera,
numa cabana de porta de madeira, sempre aberta, estarei a tua espera.
Colorida princesa, de porta saída,
corpo leve, alma varrida,
cheiro a primavera em teu peito sentida,
e gesto de sorriso numa curta despedida.
Até breve…