Arquivo de etiquetas: possuir

O meu pedido.

Texto Erótico [ maiores de 18 ]

Peço-lhe que se toque para mim.

Anui, mas faz-me um pedido estranho.

Pede para que coloque aquele espelho, antigo, no chão.

Satisfaço-lhe a  vontade, pensando no significado.

Olha-me nos olhos e vai tirando a roupa lentamente, até nada mais a cobrir, a não ser ela mesma , em si.

Observo-a colocar-se  de gatas e percorrer o chão, da porta até ao espelho, posicionando-se, de pernas parcialmente abertas, sobre ele.

Sempre naquela posição… Vejo-a observar o seu corpo, através do espelho deitado no chão.

O peito que balouça…

A mão que lhes toca …

Quase que me perco … o meu corpo está em ebulição, com esta cena, que eu próprio provoquei.

Os dedos que correm o seu corpo…

O  afastar mais as pernas , para poder olhar-se, enquanto se toca intimamente.

Os movimentos do seu corpo… tão eróticos, tão sensuais…

Vejo o reflexo da sua humidade escorrer em fio para aquele vidro frio.

Vejo aquele tocar no seu próprio corpo, aumentar de ritmo, quase que a fundir-se nas arestas da madeira ….

Não resisto mais…

Rastejo até ela e tomo-a para mim…

Sim! Com um desejo louco e incondicional…

De repente é o nosso reflexo que se vê!

São os nossos sucos que escorrem e marcam aquele espelho …

 

©The Oyster 2017 #69Letras

Não sei o que será pior

Não sei o que será pior um amor não correspondido ou a ausência de amor?!

Quando se ama, apesar de não sermos correspondidos, sentimos que estamos vivos porque transbordamos dum sentimento de desejo carnal e possuir a alma da outra pessoa, de beijar, de acariciar, de abraçar, de fazer amor! Quando passamos para palavras e expressamos os sentimentos à pessoa amada, ela diz-nos “Gosto de ti mas apenas como amiga…” É um balde de água fria… Mas sentimos algo… Embora não correspondido… sentimo-nos vivos.

Quando existe a ausência sentimo-nos vazios, questionamos se voltaremos a amar, a sentir desejo, a sentir entusiasmo de receber aquela sms, aquele telefonema, aquele convite… Apenas nos sentimos vazios… Sem alma, sem nada… Apenas o vazio!

Ladybug

DESEJO ANIMAL

received_10208278843427672

Vem depressa por favor…
Acalma-me esta urgência…
Arranca de mim esta dor…
De toda esta carência…
Hoje quem manda sou eu…
Vem, arranca-me a roupa…
Toca-me como só tu sabes…
Não pares, deixas-me louca…
Devora-me com gosto…
Usa-me para teu prazer…
Sente-me, faz-me vibrar…
Tens tudo o que podes ter…
Encosta-me contra a parede…
Com esse desejo animal…
Hoje só quero sentir…
O teu instinto carnal…
Faz das minhas as tuas vontades…
Possui-me, entra dentro de mim…
Enlouqueces-me, fazes-me vir…
Nunca te senti assim…
Com esse desejo animal…
Hoje a noite foi minha…
Arrancaste-me esta dor…
E dei-te tudo que tinha…
Depois de uma noite assim…
Cheia de tanto sentir…
Lamento meu amor…
Não te vou deixar partir…

Miss Kitty

MECO.jpg

Texto Erótico|M18

Festival do Meco de uma conhecida marca de cerveja.
Além de coordenador técnico, acumulava funções de segurança e organização. Não sendo novidade para mim era normal serem uns dias com excesso trabalho e pouco descanso. Nas horas em que todos dormiam, aproveitava a vantagem da moto 4 e, lá ia eu até ao Meco aproveitar o sol e a paz da manhã.
Era o segundo dia de montagens e queria aproveitar o nascer do sol, adormeci ao de leve. O calor e a brisa fresca embalavam-me. Passado algum tempo senti-me observado, não era anormal ali, mas tão cedo??!!, Abri os olhos e renasci, a poucos metros de mim uma Deusa, cabelo castanho claro entrançado, olhos azuis cristalinos, um sorriso que ofuscava o sol. O corpo de pecado numa pele ainda a ganhar côr, peito redondo perfeito, mamilos salientes, uma cintura perfeita e a vantagem do Meco, não há segredos. Vagina de lábios perfeitos, em cima um risco de pêlo castanho com tanto de atrevido como erótico. Já o meu corpo mostrava uma erecção quando ela diz o meu nome. Gelei por segundos, mas… – Conheces-me??
E ela – Claro que sim. Já ontem o tinha visto, hoje ganhei coragem e resolvi aproximar-me. Estava com vergonha, mas pela tua reacção acho que fiz bem. E sorriu.
– Claro que fizeste bem, como é visível…, disse eu meio encaralhado. Mas de onde nos conhecemos??
– És meu colega, trabalho na pré -produção, normalmente só falamos ao telefone, mas desta vez quiseram-me cá. Ainda bem não achas?
– Acho! Acho bem! Eu já venho.
Para reduzir o constrangimento de estar completamente entesado na frente dela fui à água rezando para que estivesse fria. Quando regresso, a sua toalha estava ao lado da minha. Deitei-me fixando-a nos olhos.
Beijou-me apaixonadamente..
– Hum!!, Sabor de mar… Adoro!! – Disseste. Mais um beijo envolvente e não resisti.
Percorro o teu pescoço com a minha boca e as minhas mãos exploram o teu peito, preparo-as para a chegada da minha língua, que chega logo. Primeiro um, depois outro e já as pontas dos meus dedos afloram a tua vulva húmida.
Vou descendo esfomeado pela tua barriga, afundo a minha língua bem fundo na tua púbis, tilinto o teu clitóris na ponta da minha língua insistentemente até te vires.
Delicio-me com o teu sabor, enfio os dedos em teus orifícios e dou-te a provar. Absorves tudo avidamente, já massajas o meu pénis duro nas tuas mãos, forças-me a deitar. Curvas-te sobre mim e ele desaparece quase totalmente na tua boca, atinjo o limite da tua garganta, queres mais mas não consegues. Que boca!!!!!, Adoro a tua delicadeza e vontade, quase me venho. Percebes a tempo, paras e, saltas para cima. Enfias-lo todo duma vez, gritas bem alto.
Felizmente aquela hora não há ninguém para ouvir, excepto eu que deliro com os teus gemidos e gritos. Cavalgas como uma louca, sempre intensa e bem fundo em ti. Vens-te enquanto me beijas, prova disso as unhas que me cravas no dorso no momento do clímax. Sem o tirar rodas sobre o meu membro, que vislumbre as tuas nádegas e vê -lo desaparecer no seu meio…., contínuas a montar-me a teu belo prazer.
Lês-me o pensamento, sobes um buraco. JASUS!!!!, Que cú apertadinho!!, Sinto-me a vir, tu também,
Saltas de repente, matas-me na tua boca e recebes até à última gota.
– HUMMMMM!!!!!Delicioso! – Dizes com um sorriso de sacana. Sabes onde me encontrar de manhã, um bocadinho antes do dia nascer.
Foi um belo festival, e a perfeição começava sempre pela manhã..
Nú naquela praia.
Bastardo #69Letras

Não, não posso ceder!

6f74bd80d9762c50d97c89bca6325f0f.jpg

Texto Erótico|M18

Acordei, e lá estavas tu a seduzir-me mais uma vez. Sabes como sou, não cedo assim tão facilmente aos teus encantos, mas hoje estou com uma enorme vontade de te possuir… Não, não posso ceder e fico quieta. Tento controlar a minha respiração e esta minha vontade de te querer mais uma vez, enquanto tu exploras o meu corpo. Já sabes onde estão os meus pontos fracos e sabes como me excitar. Não consigo resistir-te mais. Fujo da cama, aquela onde tu me fazes maravilhas, vens atrás e puxas-me o lençol. Encostas-me à parede gelada, sinto o teu corpo a escaldar e a encostar-se em mim. Puxas-me o cabelo daquela forma que só tu sabes e beijas-me intensamente, como se não houvesse amanhã.

Foda-se! Gosto tanto desses beijos, intensos e quentes!

Começas a descer, começo a me contorcer, e a pensar que não aguento muito mais. Ganhaste! Não consigo resistir-te mais. Salto para o teu colo e sorrio… Nem imaginas o quanto quente estou. Vais buscar um cubo de gelo, aquele que refrescava o nosso champanhe, colocas nos teus dentes e começas a passa-lo em torno dos meus mamilos, deixando-os rijos. O cubo de gelo desliza pelo meu corpo preso nos teus dedos, enquanto tua boca se mantém nos meus mamilos, onde começas a trincá-los e a chupá-los. Neste momento o meu corpo já se encontra bem mais quente do que o teu! Sinto a tua respiração ofegante, e o teu corpo a colar ao meu. Lembras-te e vais buscar o resto do champanhe que sobrou, dás um trago e dás-me a beber da tua boca. Vens lamber a gota que me escapou e me escorre pelo pescoço… e as outras que espalhaste pelo meu corpo. Assumo o comando, meto-te uma venda e beijo-te loucamente. Sento-me em cima de ti e deixo que me penetres. Beijo-te o pescoço enquanto te cavalgo devagar, pois sei que isso te excita ainda mais… o comando inverte-se, tiras a venda, prendes-me os braços e mexes-te acompanhando o ritmo da música. Tudo em ti é especial, tudo em nós é mágico…

DamaDeCopas

OLHOS VENDADOS!

13237643_1697816233797440_1501549144220513706_n

Hoje vou vendar-te os olhos, não quero saber se chamas o meu nome ou se pensas noutro,
deixei de me importar com os factos.
Hoje só te quero possuir, entrar em ti e fazer-te vir, levar-te à loucura,
mesmo que não seja eu no teu pensamento.
Quero-te encostar na parede e deixar-te sem fuga possível,
arrepiar-te o corpo, humedecer-te por dentro, fazer parte de ti.
Quero ver os teus joelhos fraquejarem a cada investida minha,
e enquanto tu imaginas de olhos vendados, nem sabes como gosto de ver parte de mim dentro de ti, a desaparecer.
Adoro ver-te a cravar as unhas no lençol, adoro ver-te morder a almofada tentando sufocar o grito do prazer…
Deixo-te louca e eu fico louco e é somente um jogo, sem vencedores ou vencidos,
apenas os nossos odores, onde praticámos nossos vícios.
Viciei-me em ti e no teu corpo que me liberta o prazer, ao mesmo tempo que o teu corpo suado Liberta espasmos e gemidos.
Exausta, quase perdes os sentidos…
Tiro-te a venda, olho-te nos olhos e digo-te:
“Não sei com quem fodeste mas sei que fodi contigo”…
Olhaste-me e sorriste…
“Não importa o teu nome ou quem és, só quero repetir tudo outra vez”…

Poeta Solitário

 

Serei ninfo?

Texto Erótico|M18
Dentro do carro vamos em direção daquele Motel que tanto falas. O mar ficou para trás e o desejo aumentou. Adorava que me possuísses aqui mesmo dentro do carro mas tu preferes as quatro paredes. Chegamos. As minhas cuecas estão molhadas. Não aguento mais… Entramos no quarto, a porta fecha e eu já te agarrei. Meu desejo é enorme e até tu te assustas. A roupa cai no chão e tu deslizas para dentro de mim. Ahhh isto é tão bom. Mexo as minhas ancas por baixo de ti e tu entendendo a minha dica, começas a penetrar-me mais fundo e mais rápido. Tu já te vieste mas eu ainda não. “Não pares! Estou quase a vir.” A minha mão desliza para o meu clitóris e começa a ajudar a festa. “SIIIM” Sou envolvida num orgasmo intenso… Ah que isto é tão bom. Exausto deslizas para fora e vais para o duche. Eu sigo-te e começo a esfregar em ti. Sim meu querido, ainda não estou satisfeita. Um duche demorado com muitos beijos e apalpões a mistura. Sinto-me bem contigo mas continuo a não estar satisfeita. Quero-te aqui e agora! Tu sais do duche e secas o corpo, e eu pego na minha toalha e faço o mesmo. Deitas-te na cama. Humm é agora. Salto para cima de ti e começo a roçar a minhas partes íntimas nas tuas. O desejo aumenta, assim como o teu pénis gostoso. Subindo um pouco coloco-o dentro de mim e deixo-o entrar todo. Ah sim… É mesmo disto que preciso. Com movimentos lentos começo a mexer-me em cima de ti, enquanto tuas mãos já deslizaram para os meus seios. Coloco as minhas mãos por cima das tuas e aperto. É assim que gosto – a bruta! Eu começo a mexer com mais rapidez e atinjo um orgasmo intenso. Depois de recuperar o fôlego, desço de cima de ti e ponho-me de gatas. Cabeça na cama e rabo empinado para ti. “Fode-me!” O efeito é imediato. O teu pénis endurece e tu colocas-te por trás de mim, e sinto-te deslizar para dentro de mim enquanto desço a minha mão para o clitóris. Os nossos movimentos estão sintonizados. Uma mão na curva das minhas costas e outra no cabelo. “SIM” atinjo o orgasmo. Tu continuas a penetrar-me com força e acabo por atingir outro. “Ahhhhh, foda-se que isto é tão bom!” Sinto um dedo deslizar para dentro do meu rabo. Humm, adoro. “Vem-te dentro dele.” Tu esboças um sorriso enorme e colocas o teu magnífico pénis com cuidado dentro de mim. Com movimentos lentos começas a penetrar-me. A minha mão começa a mexer com a mesma intensidade. Os movimentos intensificam e aumentam a velocidade. “SIIIIIIIIM!” Atingimos os dois o êxtase ao mesmo tempo. Tu deixas-te cair para cima de mim, e ao fim de algum tempo sais de cima de mim, deitas-te, tapas-te e adormeces. Mas eu quero mais! Não podes dormir.
Serei ninfo ou simplesmente estou cheia de desejos por já não ter tido uma noite de prazer a muito tempo?