Corres-me nas veias…

Corres-me nas veias, como a nascente corre para o rio, nestas noites de estio, em que sem me tocar me tacteias, e me assoberbas de ideias, intensas e envolventes, de desejos tão urgentes, da carne que ao toque queima, devido ao tanto querer que em mim teima, dos teus toques tão ausentes. Da minha pele…

Tu sabes quando é amor…

  Tu sabes… Tu sabes quando é amor… Quando o teu corpo fervilha porque tens certeza que este é o caminho mais certo. Eu sei! Não porque ele me diz que me ama… Mas porque eu sinto… Verdadeiramente sinto sem “comos” nem “porquês”. Sem “quandos” nem “ondes”. Só “quem”. E o quem sou eu e…