Arquivo de etiquetas: penetrar

Numa praia qualquer

Texto Erótico|M18

No quarto de hotel as coisas aqueceram, começou por me beijar a boca. Sugava os meu lábios, a minha língua… A boca dele preenchia a minha por completo. Estava um dia maravilhoso de praia, mas nos só queríamos acabar o que a tanto desejávamos. Ele foi deslizando com a boca para o meu pescoço e descendo para o meu peito. Puxou-me a camisola por cima da cabeça. Deslizou as suas mãos para dentro das copas do meu sutiã e endurecendo com o seu toque os meus mamilos, continuava por me beijar pelo peito fora. Senti um leve sopro e depois um sugar no mamilo direito. Aquilo me deixava louca de tesão. Tive de me deitar.

Já em cima da cama, puxou de uma vez os calções e o fato de banho. “Humm…”, dizia ele. Antes de se abocanhar entre as minhas pernas. Lambeu, sugou, soprou e penetrou-me com os dedos vezes sem conta. Já tinha perdido a conta dos meus orgasmos quando o seu telemóvel tocou. “Tenho de atender”, desculpou-se ele antes de se levantar e sair do quarto.

Ali estendida e exposta comecei por me sentir mal. Mal conhecia aquele homem, mas tinha tido mais prazer do que com qualquer outro antes. Ele entrou e disse-me que teria de ir me embora. Fiquei parva a olhar para ele. Ainda agora estava ele a lamber-me e agora mandava-me embora? Foi ai que veio a explicação chocante dele. “A minha namorada esta a chegar. Ela não te pode ver.” Em choque com o que tinha acabado de ouvir, levantei-me e vesti-me o mais rápido que pude. Estava a sair porta fora quando ele me puxou e me beijou uma ultima vez. “”Adorei e quero repetir.” Foram essas as ultimas palavras dele antes de eu sair.

Mas será que eu vou querer repetir? Ele namora… Mas eu adorei estar com ele. Bem, veremos como corem o resto das férias.

Peregrinus #69Letras

Fotógrafo: Helder Mendes Photography

Modelo: Sarah Schwarzenbach

Sobre ontem!

image

Texto Erótico | M18
Ontem, há esse tempo, havia decidido vê-lo! O desejo saltava-me aos olhos, as células, o corpo manobrava ondas de vontade! Olhei-me no espelho após fechar a presilha  que prendia a meia preta e vi cabelos negros a emoldurar o meu rosto! Minha boca carnuda, vermelha do batom que acabará de acarinhar estava, especialmente, melhor naquele momento. Baixei o vestido até as coxas, calcei os sapatos. Desci calmamente as escadas. Quando o táxi parou na porta do prédio… Segui firme com e mente leve e lábios molhados. Ao entrar em sua sala ele estava acompanhado de outros engravatados! Fumavam charutos e bebiam algum etílico, pelo perfume que senti. Ele estava sentado atrás de uma mesa! Fui até ele e sem pronunciar uma palavra empurrei a sua cadeira e ajoelhei! Mergulhei seu sexo em minha boca que o desejava intensamente! Detive-me ali por longo tempo, sentindo cada centímetro daquele homem dentro da minha boca… logo, sinto o meu corpo ser levado à mesa! Vejo papéis serem retirados rapidamente, gemidos e vozes desejosas… sinto-o beijar meus quadris e segurar com força cada lado dele. Ele me invade! Lenta e profundamente! Solto um gemido que faz alguém aproximar-se e beijar a minha boca com mordidas e lambidelas, enquanto ele diminuía o tempo entre a busca de uma profundidade e outra. Sinto outro a acarinhar os meus cabelos, enquanto pergunta se eu o quero, também! Ele levanta meu dorso, nisso sinto mãos e bocas tomarem os meus seios e sou apresentada a outro, grande pénis, que invade a minha boca num vai e vem delicado! Ouço gemidos vindos de todos os lados e meu corpo entra em tesão profundo, lateja e quer mais e mais… eles seguem ali, me presenteando com estocadas, lambidas, mordidas caricias e eu rouca pela profusão de gemidos! Ele solta-me de mãos, bocas e membros duros e volta-me para ele… Segura meus seios e os lambe e os suga e faz molhar-me intensamente. Acarinha-me com os dedos! Puxa-me o quadril e novamente busca a profundidade  molhada com estocadas fortes e apenas diz: olhe para mim! O que faço gemendo e sussurrando até o gozo!

Fah Ruiz #69Letras

“… estás-te a babar toda!”

Texto Erótico|M18

Há uns meses atrás combinei ir beber um copo com alguns amigos meus. Fomos até a um bar e dai para um salão de jogos. Chegando ao salão reparei num homem esbelto. A cara dele não me era estranha, mas não me conseguia lembrar de onde o conhecia.

Os meus amigos decidiram ir jogar snooker… Eu sentei-me perto da mesa e fiquei a escrever para vos. Estávamos todos animados. Os que não estavam a jogar foram jogar as setas. Eu continuava ali sentada quando olhei para a mesa dos meus amigos e vi-o. Ele estava com o olhar fixo em mim e a falar para um dos meus amigos. Fiquei completamente parada no tempo. Aquele olhar penetrava-me alma e deixou-me com as pernas a tremer. Fiquei a olhar para ele, enquanto ele se preparava para uma partida contra os meus.

Eu estava tão enfeitiçada que já não dava fé das outras pessoas. E foi ai que ele se virou para mim e me começou a provocar. Sentia as minhas cuecas a molharem-se. Ele chamou-me para ir jogar com ele, mas eu negava dizendo que não sabia jogar. Ele pegou na minha mão e levou-me até a mesa dizendo que me ia ensinar. Deu-me o taco para as mãos. O toque de seus dedos na minha pele me deixou arrepiada. Chegou-se por trás de mim e encostou-se para também poder posicionar as suas mãos no taco. Senti de imediato o seu pénis a roçar no meu rabo. As minha pernas tremiam e as minhas cuecas já estavam encharcadas…

Com um movimento rápido ele largou o taco e fez me larga-lo também para me virar de frente para ele. Estávamos agora cara a cara e eu sentia a minha respiração a acelerar. Depois de me penetrar com aquele olhar misterioso e sedutor agarra-me pelo pescoço e beija-me com intensidade. Sinto a sua mão percorrer o meu corpo… Parando nas ancas também a sua outra mão percorre o meu corpo. A minha camisola desliza para cima deixando os meus fartos seios envoltos de um sutiã vermelho de renda aparecer. Ele para de me beijar e aprecia o que agora esta a vista. Com um olhar maroto desliza o seu polegar direito para dentro da copa e começa a fazer círculos a volta de um dos meus bicos e este fica rijo com aquele toque suave o que me faz soltar um gemido. A sua mão esquerda desliza para as minhas costas. Enquanto isso ele se encosta mais contra mim e eu sito a sua tesão enorme a fazer pressão contra a minha vulva inchada… O sutiã cai.

“Peregrinus! Peregrinus!”… “Ah?” Oiço alguém a chamar por mim. Viro-me e dou de caras com uma das minhas amigas. “Peregrinus, estás-te a babar toda.” Literalmente! Que vergonha. Saio dali a correr…

Peregrinus #69Letras

 


Regista o  teu cartão de cliente e obtém 10% de desconto em todas as tuas encomendas!

www.aubaci.com/69letras

SEM TE TOCAR!

received_1208459322521007

Deixa-me deitar-me a teu lado…
Encostar-te no meu regaço…
Prometo que não te toco..
Só te envolvo no meu abraço…
Quero penetrar-te os olhos…
Só com o meu olhar…
Quero Amar-te…
Sem te tocar…
Quero sentir o teu cheiro…
Sem sequer respirar…
O teu arrepio…
Que me faz arrepiar…
Afagar-te os cabelos…
Nos meus dedos nús…
Deitados na mesma cama…
Somente eu e tu…
Deixa-me entrar na tua mente…
Ler os teus pensamentos…
Deixar de ser a recordação…
Dos nossos momentos…
Deixa-me beijar a tua boca…
Sentir de novo o teu sabor…
Sentires que na minha Alma…
Tu és o meu único Amor…

POETA SOLITÁRIO

A culpa é tua. Não tinhas nada de trazer esse vestido transparente

Texto Erótico|M18

“- Adoro as tuas transparências…
– Eu sempre fui transparente. Não gosto de iludir as pessoas.
– E nunca o fizeste mas hoje estás mais transparente que nunca.
– Gostas deste vestido?
– Adoro! Quando estavas a caminho da casa de banho o Engº Antunes parou no corredor e ficou de olhar lascivo e entesoado. E eu só não fiquei de boca aberta pois conheço bem cada curva do teu corpo, cada sinal, cada estria.
– A sério? Ai! Não trago mais este vestido! Ainda sou despedida por distrair os colegas.
– Ou então fazes com que eles sejam despedidos por assédio sexual. Bem me recordo da primeira vez que te abordei. Estava a tremer pois não sabia qual seria a tua reação, mas agora não estou nada arrependido.
– Ainda bem que vieste ter comigo, estava mortinha para te pôr as mãos!
– Hum… Se soubesses o que me apetece agora…
– Diz-me ao ouvido…
– Não. Logo depois do pessoal sair todo. Venho ter contigo… ok?
– Mal posso esperar… até logo!

Estonteante! Não há melhor adjetivo para classificar a colega do gabinete 6. No alto do seu 1,78mt, pele tom de café com leite com um brilho encantador, cabelo negro longo e encaracolado. Seus olhos são negros, tão belos, tão puros. E o Sorriso? É o mais belo, o mais perfeito, o mais lindo que vi. Não adianta ser bonita se não sabe sorrir! E o corpo? É melhor descrever enquanto o saboreio…

No final do dia subi ao piso 1, gabinete 6. De óculos e concentrada no último mail do dia, lá estava ela. Os últimos raios de sol entravam pela janela, iluminando-a. Fiquei à porta apreciando a forma como ela digita o texto, como se concentra de forma séria no ecrã do computador… Que pensamentos pecaminosos estes que me invadem a imaginação. Aproximo-me lentamente, desfazendo o nó a gravata e desabotoando a camisa. Passo o dedo indicador desde a mão até ao seu ombro, abrindo a mão e apanhando o seu longo cabelo. Com um elástico prendo-o, deixando ao descoberto o seu belo e cheiroso pescoço… Hum, que belo e intenso aroma é o seu. Com um beijo faço-a arrepiar e suspirar, e relaxadamente ela se encosta à cadeira. Tiro a gravata e faço dela uma venda, deixando-a assim com o coração aos saltos de expectativa.
“- Que me vais fazer?” pergunta-me.
“- Relaxa e aprecia…” respondo.
Com um beijo no pescoço faço-a libertar um longo e intenso gemido, descendo lentamente os lábios até ao ombro direito onde lhe retiro a alça do vestido, e com a mão esquerda a alça esquerda. Peço-lhe que se levante e o vestido cai. Como é bela e sedutora de conjunto de sutiã e cueca rendado branco na sua pele morena… Com um beijo doce envolve-me nos seus braços obrigando-me a encostar meu corpo ao seu. O calor do seu desejo e a doçura dos seus lábios deixa-me em completo tesão e vontade de a possuir ali mesmo, em cima da sua secretária. Habilmente abro o seu sutiã, deixando descobertos o seus belos seios e seus rijos e apetitosos mamilos. Enquanto a beijo vai me despindo a camisa e desapertando o cinto das calças, sentando-me de seguida na sua cadeira para me tirar a as calças juntamente com os boxers. De joelhos, debruça-se sobre a minha cintura e coloca todo o meu tesão na sua boca, fazendo-o desaparecer todo lá dentro, sugando-o… Deito a cabeça para trás gemendo. Um arrepio invade-me a espinha deixando os restantes sentidos completamente entorpecidos. Olha-me no olhos enquanto habilmente me chupa, o que me deixa ainda mais entesoado. Que delicia! Que mulher, que língua e boca mágicas! Contenho-me para não me vir no momento pois não o quero já. Debruço-me sobre ela e beijo-lhe suavemente, levantando-a para lhe retirar as cuecas. O odor da sua vagina invade-me as narinas, abrindo o apetite á minha boca. Com um abraço e um beijo longo invertemos os papeis, ficando eu de joelhos e ela sentada na cadeira. Uma perna para um lado, outra para o outro assim fica, toda aberta para mim esperando ansiosamente pela minha língua. Desde o joelho vou percorrendo um longo e extasiante caminho até ao interior das suas coxas, onde me espera uma linda e apetecível vulva, assim como um rijo clitóris. Desde a abertura da vagina até ao Monte de Vénus minha língua percorre vagarosa e prazerosamente, descendo até ao clitóris onde dispenso a atenção dos meus lábios e da minha língua… Com a mão direita subo seu corpo, desde o umbigo até á sua boca, passando pelos seus voluptuosos e perfeitos seios, acariciando seus mamilos e dando de seguida meu dedo para sua boca o chupar. Com dedo do meio da mão esquerda penetro-a, e enquanto lhe chupo clitóris, atinge um intenso orgasmo, sentindo-o a jorrar na minha boca, quente e saboroso… Pego-a pelos braços, beijando-a, e deito-a em cima da secretária. Retira a venda e diz-me:
“- Fode-me!”
De olhar fixo um no outro, intenso e lascivo, com as suas longas e perfeitas pernas enroladas a apertar-me contra si, obriga-me a uma deliciosa e profunda penetração.
“- Tão quente e húmida que és.
– Tão duro e gostoso que estás!”
Que delicia de mulher! Que maravilha de serão!
“- Fode-me por trás! Quero me vir contigo dessa forma!”
Rapidamente vira o seu belo, rijo e perfeito rabo para mim. Fecho-lhe as pernas, empino-lhe o rabo, deixando a sua bela “ameijoa” exposta para mim. Com a mão esquerda agarro-a pela cintura e penetro violentamente, deixando de seguida a marca da mão direita na sua nádega. Com estocadas certas e fortes, e puxando-a pelo seu rabo de cavalo, fodo-a mesmo ali, em cima da sua secretária, elevando-nos ao nosso belo, intenso e mutuo orgasmo!
“- A culpa é tua. Não tinhas nada de trazer esse vestido transparente.” – digo-lhe a recuperar a respiração.
“- Agora que sei que adoras vou o vestir mais vezes…” – diz-me ela com o seu olhar safado e tesudo.
“- Veste, já sabes o que te acontece de seguida…
– Um saboroso e intenso castigo…
– Gostas pouco gostas…”

 

O Vizinho #69Letras

 


A bailarina

Texto Erótico|M18

A música pára e eu acabo na formação que tantas vezes repeti. Estou cansada. Dancei o dia para a competição de ballet. Pego nas minhas coisas e sigo para os banheiros. A roupa cai no chão. Ligo o chuveiro… A água está bem quente. Hum, que relaxante. Os meus olhos estão fechados e estou virada contra a parede. A água escorre pelo meu corpo abaixo. Sinto uma mão envolver o meu seio direito. O que é isto? Abro os olhos e tento virar-me, mas a mão que ainda agora envolvia um seio agora me agarra e puxa contra um corpo musculado. Sinto um pénis duro contra o meu rabo… Fico cheia de desejo. Ouço um sussurrar no meu ouvido. É o meu treinador! Com uma mão envolve o bico do seio esquerdo e com a mão direita desce até a minha vulva. “Hum. Estas bem molhada. Desejo-te desde o primeiro dia que entraste na minha sala.”, diz enquanto forma círculos no meu clitóris. Com uma mão agacha o meu peito enquanto agarra com a outra a minha anca. Enquanto me afasta as pernas diz: “Segura-te nas tuas pernas e relaxa.” Sem entender bem o que está acontecendo mas com um desejo enorme faço o que me disse. Sinto a ponta do seu pénis entrar na minha cona. Hummm. Ele sai e entra novamente. Fode-me é o meu único pensamento. Agarrando me bem nas ancas sai e desta vez penetra-me com força. Ainda bem que me segura, se não tinha caído para a frente. Com movimentos rápidos começa a penetrar-me bem fundo. Hum, estou a adorar. Sinto o pulsar dentro de mim e entro em êxtase. Um orgasmo profundo envolve o meu corpo assim como o dele. Depois de recuperamos o fôlego, ele sai de dentro de mim. E puxa-me para cima. Ainda de costas para ele, sussurra-me ao ouvido: “Quero repetir, mas não vai ser hoje. Isto nunca aconteceu.” Com um beijo no pescoço larga-me e desaparece. Ligo a água novamente e pergunto-me se isto terá realmente acontecido.

Peregrinus #69Letras

 

Isso não é febre querida, és tu a ressacar

12654172_1652375441674853_6744580287176442470_n

Louco. Possuído. Excitado.
É o meu estado normal,
para ti o ideal.
Babas-te quando me vês assim
não vale a pena mentir,
entre nós não vale a pena resistir.

Minha musa,
vem-me levar à exaustão
vamos misturar vontade
com imaginação.

Traços de perfeita loucura larga esse estado de negação,
porque quando estás sozinha é em mim que pensas e começas a suar.
Isso não é febre querida,
és tu a ressacar
do meu corpo nu
na tua alma a penetrar!

CJah #69Letras