Não abro mão!

Demasiada chantagem! És fera presa em movimentos subtis que dançam com as luzes da noite, essas que entram pela janela do teu quarto. Não me querias ontem, mas hoje vais me chantagear com esse corpo. Se fazes inconscientemente eu não sei, mas por favor não me deixes com estas ganas, esfomeado por ti! Sabes bem que…