Arquivo de etiquetas: pele

Hoje, mando eu….(talvez)

Texto M/18

Hoje não te vou mimar…vou amar-te rigidamente…
Olha bem fundo no meu olhar…e prepara-te para as putices que te vou sujeitar…
Vais sentir a dureza das minhas mãos…a agarrar-te, puxando-te para mim… Continuar a lerHoje, mando eu….(talvez)

Perdidos no tempo…

Hoje não quero perder tempo, quero que o tempo se perca em mim, em ti, em nós…
Hoje quero-te assim, sem limites, nem de tempo… Continuar a lerPerdidos no tempo…

Apenas sente…

Apenas sente…
Deixa-te levar, deixa-te ser conduzida pelo teu lado mais escondido que não abdicas mas teimas em ocultar…

Continuar a lerApenas sente…

Apeteces-Me!

Hoje apetecia-me olhar-te de frente e abraçar-Te!
Apetecia-me aconchegar-me nos teus braços, sentir o teu calor e o teu cheiro que sei que me acalmam!
Apetecia muito sentir o beijo dos teus lábios nos meus!
Queria fechar os olhos e ouvir a tua voz sussurrar-me com mimo ao ouvido!
Hoje ….
Hoje é a primeira palavra de todas as paginas de um Diário!
Onde todos os dias são importantes de lembrar e os desejos e sonhos são repetidos!

©My Sighs 2017 #69Letras

Perfume…

Hoje não sou eu…
Também tenho os meus momentos de insanidade controlada que me descontrola. Continuar a lerPerfume…

Quando os meus olhos se fecham….

Quando a noite cai e os meus olhos se fecham, vejo-te a correr livremente pelo meu pensamento, de cabelo solto ao vento, feliz como as chitas de Shamwari.
Vagueias em mim de pés descalços, de seios despidos, de sorriso rasgado e com o sol a clarear esse teu corpo de menina feito mulher.
Teimas em chapinar nas poças das minhas ilusões, baralhas-me a razão e excitas-me com o teu perfume de flores silvestres e águas bravas de Niagara.
Sinto-me teu, tão teu, que chego a tocar o teu corpo imaginado, a beber dos teus seios, a morder a tua vulva selvagem.
Perco-me nos teus cabelos. Agarro-os com força, quase tanta quanta a força que abuso do teu quadril.
Beijo-te o ventre, deslizo a minha língua descontrolada pelo teu corpo, acaricio-te o rosto, sorris, para por fim beber do mel que jorra de ti.
Sou teu, sabias?
#PSassetti 26.06.2017
#69Letras

Eu juro que poderia ser feliz

Prometeram-me a felicidade, continuo sentado pacientemente à espera, numa espera sem esperança, como quem espera por quem invariavelmente não vem.
Será a vida mesmo assim?
Será a felicidade um momento e apenas isso? Um conjunto deles? Uma mão cheia de “ais”?
Ou será algo que só está ao alcance dos escolhidos pelo criador?
Sabes, eu julgava ser feliz nos nossos momentos de prazer, nos nossos momentos de loucura, nas nossas fantasias e devaneios tresloucados dentro das quatro paredes do nosso quarto de hotel, naquelas tardes em que teimamos incendiar a nossa cama a cada beijo, a cada penetração, a cada gemido, a cada grito de prazer.
Eu juro, se não fosse este vazio que me assola quando bates a porta do carro, com esse olhar minguante e esse teu passo apressado, eu juro que poderia ser feliz.
#PSassetti
#69Letras 20.06.2017