Arquivo de etiquetas: passado

Depois do Adeus

Depois do adeus…
Fica o vazio, a tortura,
O que ficou por dizer…
Ou o que foi dito em momentos de raiva
Dos quais não há volta a dar.
Partiu-se tudo em cacos,
Olhas mas não sabes por que ponta pegar
Dás um passo atrás na esperança de voltar
Atrás..
Mas o passado não volta, não se redime.
Vives um presente distorcido, tudo à tua volta parece desmoronar-se.
Perdeste o norte e o sul do teu caminho.
A estrela que te iluminava perdeu o brilho,
E ficas cega e não vês tantas outras que brilham
e que te podem redireccionar de novo.
Acorda!! Reage!
Esse amor, essa dor não é a primeira, nem vai ser a última.
Luta!
Vai de novo à busca do que te faz feliz,
Conquista de novo esse buraco no teu peito.
Respira!
Não deixes os teus sentidos morrerem,
Deixa-os despertos, atentos às novas conquistas.
Se o passado regressar, e te magoar de novo, 
Joga-o a um canto.
Diz-lhe que o tempo dele é passado e que queres viver um presente radioso, sem mágoas
©Lola 2017 #69Letras

Como se nada fosse certo meu amante ?

Como se nada fosse certo meu amante ?
Ausenta-te por favor…
Preciso de mais uma vez poupar a minha alma a mais um sermão interno.
A minha mente calça os sapatos e palmilha em direção as recordações das noites passadas.
Até à próxima, digo-te eu de cueca molhada.
Este desejo carnal,
Preocupa-me.
Possui-me.
Amiga de segredos
Amante de orgasmos.
E mais uma vez nesta noite..
Seremos o que ?
Amantes ou amigos?
Sinto-me mais uma vez um salto alto bonito…
Anda por umas horas.
Não digas mais.
Curto e grosso
Sem modos e maneiras.
Não me faças apaixonar-me por ti.
©Krishna 2017     #69Letras

A química do físico

M18|ContoErótico

Era mais uma noite normal.
Enquanto as horas passavam, o meu pensamento pairava e infelizmente esbarrou contra ti.
Senti um frio, um arrepio de tal forma que até branca fiquei.
Recordei-me de tanta coisa…
Tanta fod@, tanto gemido.
Tanto suor, tanto prazer.”
Não houve um dia mau contigo em cima de mim.
A verdade é essa! E embora o silêncio reine entre nós, tens de admitir que fizemos uma óptima corrida..!
Lembras-te de certeza… daquele sushi?
Se não me saltou o sushi da boca pouco me faltou!
Cheirosos e bonitos saimos a rua, como se namorados fôssemos, (amigos de queca) e sem parares um segundo,fazias questão de me seduzir a cada peça, roubavas-me sorrisos em público, despias-me a inocência em privado.
Jantar comido e só pensava na sobremesa…ou em ti era algo do género, já andava a vaguear nessa tua cabecinha(se ao menos soubesses o quanto eu adorava quando lhe dava logos e profundos beijos)
Hora de pegar no corpo e sair.
O nosso problema era definitivamente o contacto.
A química do físico.
Abalava qualquer coisa que de mal tinhas, e isso era a nossa maior perdição. Ambos sabíamos que amor era escusado.
Bastou entrar no carro, o toque de mãos e a insistência de olhares para que pouco demorasse…
Só parei quando o sítio era escuro o suficiente.
Ouviamos as ondas do mar.
Mas o som principal eram os meus gemidos.
Essas mãos agarram o meu rabo como nunca ninguém tinha agarrado, e deitada sobre o capô do carro, tinham-o todo penetrado dentro de mim.
De frente e de trás passavas as mãos em cada parte de mim… algumas até abusavas da profundidade…acredita que só me fazia ficar mais desorientada. E propagar mais os meus gemidos… esses …lembraste ?
Claro que te lembras.
A miúda no meio de todas as mulheres feitas que te escapou.
Quando temos o azar de privar o mesmo espaço e sem palavras podermos dizer porque o orgulho é maior, o teu olhar estremece ao me ver e acompanha essa vontade de me tocar.. nem que seja no cabelo que tanto puxaste.
És guloso e eu azeda.
Queres mais mas a tua vez fugiu…

©Krishna 2017 #69Letras

Depois da confusão, torna-se mais fácil?

Depois da confusão, torna-se mais fácil?
Nem que seja para ti,
Sentir o mesmo quando a borrada está feita e a culpa atribuída?
Será que te desapontei?
Fui desagradável?
Agora deixas-me sem nada, apenas com essas palavras mortas.
A noite prolonga-se, demasiado para desenterrarmos o passado,
Futuro enterrado.
Fica, se vieste para assentar a poeira,
Para repor tudo o que me devias ter dado enquanto o nosso templo estava inteiro.
Enquanto o nosso amor tinha 4 paredes…
Vens?
Aproveitar a vida, carregar o peso da luta juntos.
Entra e faz-me acreditar que tudo o que tenho, somos nós.

 

©Krishna 2017 #69Letras

Amor e Ódio…

Não há passado que se sepulte sem o seu luto e tu teimas em não permitir o meu.
Falta-me a derradeira conversa, tu sabes-o tão bem.
Acredito que a ti também falta.


Tenho para mim que ainda estás perdida entre o ódio e o amor que me tens.


Se por um lado me odeias e achas que sou passado, por outro não consegues exterminar todas as ínfimas hipóteses futuras de um voltar, pelo eterno amor que ficou.


É… Por mais que não querias aceitar, tu sabes que amor como o nosso só se tem uma vez na vida.


Que muito dificilmente voltarás, tal como eu, a ter aquele brilho.
Que outro jamais ocupará o meu lugar e será o teu Sol, nos dias cinzentos.
Podes negar-me todas as conversas, fugir o quanto quiseres, evitar situações propícias a reencontros, mas meu bem, eu acredito que a nossa vida é feita de ciclos que se vão repetindo, trazendo-nos de volta situações por resolver e nós meu amor, vamos certamente voltar a cruzar-nos, nesta vida. Tenho certeza disso.
Até lá, sê feliz, que isso só por si só já me acalma o coração descompassado que trago no peito.


SilentSoul #69Letras

A vida passa…

A vida passa, a um passo descompassado, gigante e acelerado, em que o destino é sina, dor que ninguém imagina, ou será talvez o meu fado, e o tempo inimigo e aliado, que me afasta apressado, de um passado tão indesejado.

Esse tempo é o meu fado, um fado mal fadado, de quereres, momentos e viveres, de tudo o que não foi alcançado, de um passado de prazeres, que a alma não saciaram, e no tempo perdidos ficaram, não passando de memórias, lendas fantasias ou histórias.

E no insistente presente, em que me foge o tempo, agarro-me aos parcos momentos, vivo sentimentos, neste coração parado, que na vida ficou estagnado, que com vontades se contenta, que o deixam triste e amargurado com uma falsa paz que o acalenta.

Mas esse passo apressado, que teima em não abrandar, e o tempo não parar, torna-se cada vez mais descompassado, e a sina da vida tenta mudar.

 

Miss Kitty #69Letras

De férias sem ti…

 

Estou de férias sem ti e é tão estranho acordar numa cama em que o teu corpo não está presente, em que o teu “Bom Dia Amor” não existe.

Sim, tenho saudades tuas.
É tão difícil viver sem ti, sem o teu carinho, sem o teu sorriso e sem o teu amor.

O período de adaptação foi muito difícil e complicado pois estava habituado à tua companhia no meu dia a dia e em te incluir em quase tudo que eu fazia. Os nossos abraços reconfortantes quando chegavamos do trabalho tristes e chateados, o beijo reparador do nosso sorriso e boa disposição, aqueles mimos super carinhosos que nos tornava ainda mais apaixonados… Estas são algumas das coisas que tenho saudades de ti… Mas tu já não fazes parte de mim, já não estás aqui, a acordar ao meu lado, a partilhar estes lençóis comigo…

Se sinto falta? Mentiria se dissesse que não. Com todos os dentes!
Se voltava para ti? Não! Isso também não! És passado, uma história com coisas boas, lindas e maravilhosas, mas também com muita tristeza e desilusão.

É estranho, muito estranho acordar nesta cama que não é minha e tu não estás aqui… Até foram algumas as férias que passamos juntos, os fim de semana prolongados em que pegamos no carro e abrimos caminho pelo país fora à descoberta e ao encontro do nosso mundo onde só tu e eu sabemos o quanto adoravamos acordar juntos e a desejar um Bom Dia um ao outro….

 

O Vizinho #69Letras