Inferno

Vivo perto dum inferno  E tão longe do paraíso Preciso de ti, mas tu escorregas-me  Entre os dedos. Desejo-te a toda a hora A tua boca, Os teus beijos, O teu corpo. Tu és a minha perdição O meu pecado mortal Vivo neste inferno de te desejar Mas cada vez que nos cruzamos Sinto me…

PODERÁ!

Poderá a Eternidade durar um minuto… Poderá um minuto ser Eterno… Poderei eu contigo estar no Paraíso… E sem ti, descer ao Inferno… Poderá haver vida… Nas horas que não estou contigo… Se é só nos teus braços… Que eu me sinto vivo… Poderei Amar-te Eternamente… Se Eterno eu puder ser… Mas se não for…

Já te falei do teu colo?

Eu caí do céu? Talvez. Felizmente aterrei no teu colo. Já te falei do teu colo? O teu colo é o paraíso! É quente, calmo, tem a brisa da tua respiração, o cheiro exótico do teu corpo e faz-me sentir em casa. Se o nosso lar é onde nos sentimos bem, então os teus braços…