Arquivo de etiquetas: país

Paz de Espirito

Os filhos não tem noção, quanto é o esforço que os pais fazem para lhes poder dar um futuro melhor.
Sacrificamos tantas horas embrenhados num ou vários empregos, que grande parte de nós, não gostamos, só para podermos sustentar os filhos.
Poderem ter um tecto, cama, comida e roupa.
Tantos fins semana perdidos, tantas férias desencontradas da família, para quê?
Para chegar um dia, e ver as tuas crias saírem porta fora.
E perguntas-te?
Será que os criamos bem?
Será que algum dia conheci bem os meus filhos?
Como mãe questiono-me.
Valeu a pena?
Tantas noites passadas fora, sem lhes colocar a vista em cima.
Chegar a casa, vê-los já deitados, a dormir.
Dás um beijo de boa noite, e eles sem se aperceberem de que estás em casa.
De dias passa a semanas, semanas a meses, meses a anos.
Sentes o teu coração apertado, invade-te uma tristeza, porque apercebeste
que, quase nada já sabes dos teus filhos.
O que gostam de ver, o que gostam de vestir, de comer, de fazer.
Sentes-te uma estranha na tua própria família.
Abdicaste tanto em prol de um lar seguro, estável financeiramente,
mas instável a nível emocional.
Hoje, vês-los a fugirem por entre os teus dedos.
Tens de tomar decisões.
Colocas na balança todos os prós e contras.
Chegou a hora, o momento de optares.
Trabalho sem filhos ou, filhos sem pais.
Colocas um basta!
Perdeste parte da infância, a adolescência quase toda,
mas não podes perder o inicio da idade adulta.
Em qualquer uma das fases eras precisa, para apoia-los,
mas perdeste quase tudo.
Agora tentas redimir-te, tentas infiltrar-te de novo na vida deles.
Amor de pais e filhos é incondicional, seja em que situação for.
Deixam-te aos poucos entrar na vida deles, deixam-te partilhar alguns dos seus momentos,
Nós tentamos recriar os laços perdidos.
Eles permitem. O teu coração aos poucos começa a ter brilho,
o peso de tristeza e remorso, começa a tornar-se em alegria.
Aos poucos voltaste a ganhar a sua confiança.
Sentes paz de espírito.
Recuperaste algo que julgavas perdido.
Amor e respeito dos teus filhos.
Um dia quando forem pais, eles perceberão,
os sacrifícios que fizemos em prol de um futuro risonho para eles.
©Lola 2017 #69Letras

Primeiro-ministro manda os portugueses imigrar

Desculpem-me lá mas eu vou ter que comentar uma notícia que acabei de ler. Qual é a ideia do senhor primeiro-ministro de mandar os portugueses emigrar? Estupidez? Só pode ser. É que nenhum primeiro-ministro devia de ter a infeliz ideia de mandar o próprio povo emigrar. Em primeiro lugar devia de querer era todos os portugueses em Portugal, já que é o “nosso” país. E em segundo lugar se não sabe dar conta do recado que faça lugar para quem sabe.

Eu sou sincera – não entendo nada de política. Mas uma coisa sei – sei que não se emigra só por um “político” dizer isso ao povo.

Não se emigra de um dia para o outro. Não se chega ao “destino” e lá está uma casa e um trabalho onde se ganha bem a esperar-nos. Não, o que espera os emigrantes é trabalho duro, infelicidade e muitas lágrimas. É preciso saber para onde se vai antes de ir para lá. É preciso ter a certeza que teremos um trabalho e dinheiro a cair todos os meses na nossa conta bancária. É preciso sofrer para viver.

Eu nunca tive a “sorte” de viver em Portugal, já que os meus pais emigraram a muitos anos. E sei o que lhes custa estar a viver na suíça e não em Portugal. Eles aqui não são felizes. Eles estão cá para poder proporcionar uma vida melhor aos filhos. Pode haver agora pessoas que pensem – ah aqueles estão na suíça, são ricos. – para essas pessoas tenho uma notícia bombástica: Não somos ricos! Nós – os meus pais já passaram grandes dificuldades aqui. Fartamo-nos de trabalhar para podermos ter dinheiro para ir visitar a família. Caiem lágrimas todas as vezes que temos de nós ir embora. É um aperto enorme no coração quando por telefone vamos sabendo o estado dos membros mais velhos da família. Não podemos sair de casa e ir lá ter, porque estamos a muitos quilômetros de distância das pessoas que gostamos. Das pessoas com quem os meus pais cresceram e viveram. Ta certo que aqui podemos comprar mais facilmente um bom par de tênis ou uma peça de roupa mais cara. Mas sabem uma coisa? Eu prefiro ser feliz do que andar com roupas de marca. Eu preferia poder ir todos os dias a praia do que comprar algo mais sofisticado.

Espero que entendam. Vida de emigrante não é fácil nem bonita.

?? © Peregrinus 2017 #69Letras

De férias sem ti…

 

Estou de férias sem ti e é tão estranho acordar numa cama em que o teu corpo não está presente, em que o teu “Bom Dia Amor” não existe.

Sim, tenho saudades tuas.
É tão difícil viver sem ti, sem o teu carinho, sem o teu sorriso e sem o teu amor.

O período de adaptação foi muito difícil e complicado pois estava habituado à tua companhia no meu dia a dia e em te incluir em quase tudo que eu fazia. Os nossos abraços reconfortantes quando chegavamos do trabalho tristes e chateados, o beijo reparador do nosso sorriso e boa disposição, aqueles mimos super carinhosos que nos tornava ainda mais apaixonados… Estas são algumas das coisas que tenho saudades de ti… Mas tu já não fazes parte de mim, já não estás aqui, a acordar ao meu lado, a partilhar estes lençóis comigo…

Se sinto falta? Mentiria se dissesse que não. Com todos os dentes!
Se voltava para ti? Não! Isso também não! És passado, uma história com coisas boas, lindas e maravilhosas, mas também com muita tristeza e desilusão.

É estranho, muito estranho acordar nesta cama que não é minha e tu não estás aqui… Até foram algumas as férias que passamos juntos, os fim de semana prolongados em que pegamos no carro e abrimos caminho pelo país fora à descoberta e ao encontro do nosso mundo onde só tu e eu sabemos o quanto adoravamos acordar juntos e a desejar um Bom Dia um ao outro….

 

O Vizinho #69Letras