Nos corpos não há ‘o que devia ser’

Na fotografia: Ashley Graham “O corpo é como um planeta Terra. É um país em si mesmo. É tão vulnerável ao excesso de construção, à divisão em parcelas, ao esquartejamento excessivo e despojado do seu poder, como qualquer paisagem. A mulher mais selvagem não será facilmente influenciada por esquemas de renovação. Para ela, as questões…