Arquivo de etiquetas: miss

Transparente… 

Ser transparente é ser verdadeiro, é nada ter que ocultar, e mostrar a nossa essência por inteiro.

É desnudar a alma, desvelar o ser, esse ser como somos, para que todos o vejam, sem receio de nada, nem de falsas moralidades, expormos ao mundo o nosso eu de verdade.

É deixar que a nossa doçura, tal como uma flor, desabroche e floresça, saindo fora de nós próprios e contagie quem nos rodeia, de um modo saudável que nos deixa tão leves.

É deixar cair todas as máscaras que usamos para nos protegermos, máscaras essas que vestimos para viver, ocultando o melhor de nós, e derrubar todos os muros que construímos para nos defendermos, permitindo o acesso a esse eu oculto que teimamos não revelar.

Mas quase sempre e para protecção própria, maior parte de nós não o faz, não arrisca, não se permite e, prefere uma razão tão dura, a ser leve e expor as suas fragilidades, prefere andar eternamente com um nó na garganta e a voz embargada do que expor a sua loucura e rir à gargalhada, acabando por não viver.

E enquanto essa razão imperar, somos dela dependentes, nunca conseguiremos ser transparentes e leves, por isso abram o coração e esqueçam a razão, sejam leves, vivam e permitam-se.

É tudo tão mais simples assim…

Miss Kitty

Afetos… 

Há dias em que o corpo treme e reage pedindo carinho e atenção e o calor de outro corpo, só mesmo pela sua presença, e o saber que está ali connosco.

A pele implora pelo toque, que mesmo sem sentido ou sem querer e por mais leve e suave que seja, a faça sentir aquele arrepio inexplicável.

A boca anseia pelo beijo doce e intenso que lhe roube o fôlego e que desperte todos os sentidos e os deixe em alerta, quando o corpo reage a esse beijo.

Há dias assim, em que não é fazer amor que nos sacia, bastando somente o conforto deste sentimento de protecção, companhia e cumplicidade.

São dias mais tristes e sombrios, carentes de afectos, de mimos, em que qualquer gesto, palavra meiga ou carícia nos conforta e nos deixa com um sentimento de segurança e tranquilidade que por si só já clareia esses dias.

Porque não será só o sexo que importa e que faz falta, não sejam parcos de afectos nem de gestos sentidos e assim a vida será muito mais leve, simples e tranquila…
Miss Kitty

Esta noite sou tua… 


Esta noite sou tudo o que sempre desejaste, o teu começo e o teu fim por te querer dar esse prazer e por te sentir tanto em mim.
Quero que me sintas também. Quero que sintas a maciez da minha pele, como a de uma pétala de rosa, que se arrepia ao sentir o calor do toque dos teus dedos, o cheiro adocicado e florido do meu perfume espalhado pelo corpo que te inebria os sentidos deixando-te tão desejoso de mim.

Para ti sou tudo, entrego-me sem pudor e sem medo, sou menina ou mulher, por vezes santa e submissa, outras tão pecadora e devassa, sou o que quiseres que seja por tanto te querer, de corpo e alma e rendida a te satisfazer.

Pede-me o que quiseres com esse poder que tens sobre mim que me faz perder a razão e a ingenuidade, submete-me aos teus desejos mais devassos e às vontades ocultas, usa o meu corpo para teu prazer e nada me dará a mim mais prazer.

Por isso me rendo, abandono o corpo e a alma aos teus delírios, às tuas carícias e beijos e a todos os teus veementes desejos porque esta noite…

Ah! Esta noite sou tua.
Miss Kitty

Finalmente

image

Texto Erótico | M18

Será hoje o dia que nos vamos conhecer, a medo, depois de tantos encontros adiados por receio das nossas reacções e desejos, finalmente será hoje o dia.
A ansiedade começa a tomar conta de mim, tomo um banho demorado para relaxar, abuso do meu perfume de côco, doce, e visto-me como normal, simples, como sou porque é isso que quero que vejas e que quero que te desperte interesse.
Sem mais demoras vou ao teu encontro, o tal jantar prometido só para nos conhecermos, mas que no fundo sei que não vai ser assim, sinto-o, e quando te vejo junto ao restaurante tenho a confirmação, um maldito arrepio que me percorre todo o corpo e me deixa sem reacção e tu apercebes-te, esboças um sorriso perverso de aprovação como se estivesses a confirmar uma teoria.
Vens ao meu encontro, passas a mão na minha face e continuas a descer até ao meu decote, sentes-me tremer e paras, dás-me um beijo nos lábios de fugida e sussurras-me ao ouvido com essa tua voz profunda e quente “És minha… Vem comigo…”.
Sem hesitar sigo-te até tua casa, assim que entramos deténs-me e dizes “Confia…”, depois percebo o porquê, vendas-me os olhos e deixas todos os meus outros sentidos em alerta, confiante mas tão vulnerável.
Levas-me para o quarto, sinto o teu cheiro e o teu calor mas não te vejo, o que cria em mim uma ansiedade e desejo de antecipar cada movimento teu. Despes-me lentamente, o teu toque queima a minha pele, até me deixares nua, exposta, à tu mercê, de corpo porque de alma já o tinhas feito à muito tempo.
Beijas-me num demorado e arrebatador momento em que de seguida vais prolongando por todo o corpo, demoras-te nos meus mamilos e na curva dos meus seios, até perceberes o quão pronta estou, e vais descendo até a fonte do prazer que exploras incondicionalmente entre toques e lambidelas ritmadas que me levam à loucura fazendo-me implorar por te ter dentro de mim, que acatas com prontidão e lentamente, fazendo-me sentir cada centímetro, nesse momento és parte de mim e sou parte de ti.
E nessa dança ritmada de corpos e almas não demoramos muito a explodir, ao mesmo tempo e olhos nos olhos, num orgasmo intenso que nos deixa completamente rendidos, confirmando tudo o que sempre tememos.
– Como podes ver és minha, e eu sou teu… Mas hoje a noite é tua! – dizes.
Definitivamente, talvez um dia consigamos ir ao tal jantar, mas não será hoje decerto…

Miss Kitty

Liberdade

image

É a ausência de escravidão, servidão e submissão, aliada à vontade, de viver de verdade, a vida que foi roubada, com requintes de crueldade.
É derrubar muros e barreiras, revolver o mundo se preciso, mover o céu e a terra para nos livrarmos do castigo, esse que nos aprisiona e diminui, fazendo-nos dar volta á vida, conquistar a liberdade perdida, e torná-la tão mais vivida.
Ser livre é viver, sem ter que obedecer, poder fazer o que se quer, sem a ninguém ofender, aceitar sem criticar e ser respeitado e respeitar.
E ser livre é ser feliz e poder ter a liberdade de transformar a ilusão em realidade e poder viver a vida que sempre se quis.

Miss Kitty

Cada toque é uma nota que encaixa

 

O meu corpo é uma pauta e tu tocas-me com a alma.
Cada frase que me dizes é um pedaço de uma obra musical, um emaranhado de notas que teimas pôr no lugar mas que o destino por capricho vai tirando do sítio, obra essa que ainda tem tanto para ser escrita, vivida e permanecerá gravada na pele a ferro e fogo como uma tatuagem, de uma obra inacabada e constantemente reescrita.
Tocas-me como uma melodia original, única, como só tu o sabes fazer. Cada toque é uma nota que encaixa, na perfeição, na minha alma e no meu ser, cada palavra ou frase é um trecho de uma letra que escrevemos num tom certo que nos move.
E cada palavra é um toque.
Melodia que tocamos juntos, num ritmo desenfreado e descompassado de toques, que sem tocarem tanto tocam, de almas que se entendem, comunicam e de corpos que se desejam para além do possivelmente explicável.
E na pauta que é o meu corpo, escrevemos a musica que tanto nos liberta mas que nos deixa em uníssono, abandonados um ao outro e rendidos à musica.
Por isso me tocas…
E o meu corpo é a tua pauta…

Miss Kitty

 


 SEX SHOP

Obtém 10% de desconto em todas as tuas encomendas! 69 novas formas de prazer!

Regista-te em www.aubaci/69letras

Realidade ou Ilusão

c190873511c881d16d017d5e2171934b.jpg

O que é a realidade ou a ilusão? Será um beijo? Uma vida? Um sentido de força desmedida? Da força que nos vem do coração, ou será apenas um eterno senão?
Um senão que nos vem da alma, que nos faz perder a calma, ignorar a razão e viver em pura ilusão.
Ou realidade de ter vontade na ilusão criada, de uma porta semicerrada, ou uma nuvem que atravessa o azul do céu e não cobre a terra de um breu, ou o corpo de uma mulher na ilusão de ser amada e numa realidade formada, de ser mais mulher ainda se em seu corpo de deleite fechada a abrir a quem merece, a quem da noite do dia faz o seu peito que amanhece, na vontade de ser apenas ela, porta aberta ao prazer, á janela do seu ser tão perfeito, numa primavera iludida de falsa janela, realidade foragida.
Ou a realidade de ser amada será uma ilusão desmesurada, confinada a uma vontade de querer ser como é, simples e despudorada, para quem a compreender e a faça render ao prazer, clareando a sua madrugada e fazendo-a florescer, mesmo sabendo do “senão” de uma ilusão poder ser.
Apenas ser mulher, não ser uma ilusão, ser amada com paixão, alma, corpo, coração, toda a vida na palma da mão, que se abre, realidade de quem sabe o que quer, esse prazer de ser mulher, amante, mãe, berço gigante de nascimento infante, trovadora de cantigas de embalar, numa cama soçobrar em laivos de prazer não iludidos, sentidos consentidos em dois corpos estendidos, orgasmos seguidos
E que a ilusão passe a realidade, com um misto de prazer e verdade e faça com que essa mulher, mãe menina e amante, esqueça de uma vez a dor e não ignore o amor, baixe as suas defesas e active os cinco sentidos, carentes adormecidos, em orgasmos tão sentidos de dois corpos que se abandonam despidos, entre toques e beijos queridos numa realidade que não é ilusão, onde prevalece o amor e o coração.
E que num gesto tão simples, como o mero afastar de cabelo, timidez de um corpo belo em pêlo, se fique pela realidade da vida em seu coração, ilusão de uma vida, carregada de amor e paixão, se aquiete por uma vez na realidade de ser apenas uma mulher, a mulher que na sua força de ser tão mulher, realidade de fonte de prazer, saber que a vida é um querer, envelhecer na vontade de viver o que ainda tem para viver, entre pernas outro corpo recolher e tornar de uma vez por todas, menos uma ilusão de realidades eternas.

Miss Kitty & Inquilino #69Letras