Arquivo de etiquetas: ménage

Sessão de Cinema

TEXTO ERÓTICO| M18A  󾬥 󾬥  󾬥 󾬥  󾬥 󾬥
Ultima sessão, apeteceu-me ir ao cinema sozinha.
Ultima fila para poder ter a perspectiva toda da sala.
Meia dúzia de pessoas para ir ver um filme erótico-romântico.
As luzes diminuíram… e senti um casal sentar-se ao meu lado.
Pensei..,- Fogo queria estar só!!
O filme começou.

Continuar a lerSessão de Cinema

Sonhos molhados

TEXTO ERÓTICO M|18 ? ? ?? ? ?
Quantas de vocês já tiveram sonhos molhados?
Não me refiro à função urinária nocturna, mas sim sexual.
Nestes anos todos tive seis e cada um diferente do outro, mas as sensações foram reais. Como se estivesse acontecer naquele preciso momento.
Sim recordo-me de cada um deles, mas vou-vos contar o último sonho que tive e ainda está fresco na minha memória.
Tinha acabado de adormecer, cansada de 14 horas de trabalho. fechei os olhos e não me lembro com que pensamento adormeci.
Não sei se foi o meu espírito, minha alma que se apoderou de mim.
A única coisa que sei é dei por mim num quarto à media luz, envolvida com uma mulher e olhei ao redor e numa parte do quarto mais escura, estava um vulto masculino. Não consegui distinguir quem seria.
O meu coração acelerou e a minha respiração tornou-se cada vez mais ofegante, não me tinha apercebido de que estava completamente nua.
A mulher com quem, eu supostamente estava, deliciava-se no meu baixo ventre, arrancando-me gemidos e fazendo o meu corpo estremecer de tanto prazer.
Já tive com algumas mulheres, mas aquela tinha algo de especial, diferente. Era como se soubesse em que pontos me faria delirar e levar à loucura.
Deixei-me levar. Mas o meu desejo, a minha fome começou apoderar-se e eu também queria sentir o sabor dela.
Puxei-a para cima de mim, senti os seus seios rígidos sobre os meus, pousei os meus lábios nos dela para sentir o meu sabor. Beijei-a com paixão.
Rebolei sobre ela. Comecei acaricia-la, a minha boca foi descendo pelos seios, barriga e detive-me na naquele monte divinal, obra de arte. A minha boca parecia um imã direccionado a ela, delicie-me com aquele néctar.
Senti todo o seu sabor na minha boca, quente, doce. A minha euforia aumentou, assim como a minha respiração.
Desejei-a cada vez mais, queria sentir-me nela. Os meus dedos deslizaram pela aquela entrada húmida, contorcia-se de tesão.
Suguei todos os seus fluidos, até á última gota.
Mantinha-me de quatro, quando senti umas mãos acariciar-me o rabo, segurar forte as minhas nádegas. Senti uma boca quente e um língua húmida e atrevida a passear por entre os meus dois orifícios.
A minha respiração voltou a acelerar assim como aquela língua dentro de mim. Senti-me cada vez mais excitada e molhada.
Depois de me sentir bem lubrificada, soltei um gemido enorme à medida que ia sentido aquele membro, grande, grosso enterrar-se em mim, obrigando a que o meu rosto fosse aninhar no meio das pernas dela.
Não conseguia resistir mais, o cheiro que ela emanava e senti-lo todo dentro de mim.
O meu corpo explodiu de tesão. Acordei com espasmos e todo o meu néctar a escorrer pelas minhas pernas abaixo.
Olhei para o lado e o meu companheiro dormia profundamente, passei as mãos por entre as pernas e senti o líquido.
Foi um sonho, mas um sonho real…
Queria repetição, virei-me para o meu companheiro, desci por entre os lençois e acordei-o da forma como ele gosta.
© Lola 2017 #69Letras

Voyeur

Poderia ser propositado, ou até esquecimento, mas o casal vizinho deixava sempre a persiana aberta, o quarto à média luz o suficiente para os ver todas as noites amarem-se.
Para mim era uma tortura e ao mesmo tempo inveja de não poder estar ou no lugar dela ou no meio deles.
A forma como ele a toca, e o corpo dela mesmo à distância vibra, como se ele estivesse a tirar notas musicais duma viola.
Os lábios deles em sintonia a percorrerem cada centímetro dos seus corpos.
Imaginava os gemidos dela, o toque de língua que ele fazia nos seus mamilos, no seu baixo ventre.
Que loucura de visão. 
A melodia deles fazia o meu corpo estremecer, sentia como se as mãos deles estivessem a percorrer o meu.
Todas as noites tinham algo diferente, cada noite que os via, era como se fosse a primeira vez.
Inconscientemente as minhas mãos começaram a deslizar, ficaram em sintonia com os movimentos deles.
Entramos os três em êxtase.
Não posso continuar a ser voyeur, vou enlouquecer..
Quando voltei a olhar para a janela, o meu coração sobressaltou, eles estavam a olhar em direcção à minha janela e a sorrir.
Como era possível? Estava às escuras no meu quarto.
Encolhi-me toda, nem me mexi ate eles irem tomar banho. Tomei um duche rápido e enfiei-me na cama.
De manhã acordei com o toque da campainha, meio ensonada. Vesti o robe e fui abrir a porta.
Congelei, parei de respirar. Eles estavam à minha porta.
           – Hoje apeteceu-nos vir-te fazer companhia. Já que todas as noites fazes a nós. Podemos? – Disse ela com um sorriso e um beijo na boca suave.
Ele fez o mesmo. Entraram e fiquei estática.
– Então não vens?- Disse ele.
Veio me buscar a porta e levou me para junto deles.
Só podia estar a sonhar. Acorda Lola!!
Mas não estava…..Era bem real.
©Lola 2017 #69Letras

Fantasia

Sinto me uma pecadora, 
Sinto o diabo no meu corpo,
Hoje a sede invade-me
Hoje necessito de uma noite de luxúria, de pecado
Desejo saciar-me nestes corpos que exalam sedução
Sentir este gosto, este cheiro mesclado de prazer
Quero pecar, quero sentir todo o prazer 
no meu corpo, na minha boca
Quero beijar cada boca sedenta de pecado
Quero que me implorem para lhes dar prazer
Quero ouvir os seus gemidos.
Querem pecar comigo?
LOLA #69Letras

Diário das quase Férias – Noite de luxúria – Parte V

TEXTO EROTICO M|18 ? ? ?? ? ?
Madrugada dia 3
Contemplava aquele luar magnífico quando senti no meu dorso aquele par de lábios quentes nas minhas costas, dois pares de mãos delicadas e macias no meu peito a acariciar-me ao de leve, de repente sinto juntamente com os lábios os mamilos endurecidos a esfregarem-se pelas minhas omoplatas, escusado será dizer que a toalha já não escondia a minha erecção desmesurada.
Uma mão de cada retira-me a toalha viram-me para que possam observar atenciosamente, cada uma de seu lado. Beijavam-me intensamente e à vez, descem avidamente pelos meus peitos e ajoelham-se à minha frente. Só a visão daqueles corpos desnudados, somente de saltos e meias de liga provocava-me contracções de prazer no membro, com as suas línguas quentes e ávidas lambuzam-me a glande, brincam enquanto me provocam uma a uma a engolir-mo bem no fundo nas suas gargantas enquanto me olham maliciosamente. Sinto-me devorado e pronto a explodir, ambas se apercebem do mesmo, param repentinamente. Beijam-se desenfreadamente, sorriem-me. Dão as mãos e a bambalear sedutoramente, afastam-se para o quarto de R.
Já descrevi R… falta-me fazê-lo com G., ao contrário de R, G é mais madura e vivida.
Não escapou aí meu olhar acutilante as pequenas incisões nos seus seios volumosos e perfeitamente redondos, resultado de implantes. Um corpo orgulhoso e desenhado no ginásio com abdominais faceados sem exagero e um rabo quase perfeito fruto do treino dos glúteos que se tornou moda ultimamente. Uma beleza exótica não fosse filha de pai alemão e mãe brasileira como mais tarde confessou.
Aqueles olhos pretos brilhantes carregados de tesão em contraste com alguma inocência de R. Que dupla me aguardava.
Se existe algo que detesto é ser manipulado, antes de entrar no quarto retiro o cinto do robe do hotel que mais se assemelha a um Kimono de seu comprimento. Avanço direito à casa de banho de R e retiro-o também.
Avanço para o quarto, na cama G lambuza-se na vagina de R, esta contorce-se de prazer amarfanhando os lençóis de cetim com contracções inconscientes, vêm-se audivelmente. Invertem posições, sentado no cadeirão acaricio-me suavemente mantendo erecta a fome crescente resultado daquela visão de puro erotismo. G vêm-se num grito, após uma troca de paladares entre ambas invertem-se num apetecível 69, perdidas em carícias quase coordenadamente param em simultâneo e olham-me.
Sinalizando com o indicador que me junte aquela maravilhosa amálgama de carne, avanço. Em provocação aperto cada fita macia e confortável do robe a cada das suas mãos e passo-as sob o corpo de cada uma, ambas estranham mas dado o grau de excitação deixem-se levar.
Avanço para a boca de G , deixo que me lubrifique o pénis, enterro-o até sentir a sua laringe, chupa avidamente. Retiro-o e entro sem aviso na vulva de R, grita de prazer incontrolável. Bombeio energicamente, com a fita subo-lhe as pernas para que entre mais profundamente. Com a fita inversa desço as ancas de G para que abafe os gemidos R e para que a sua língua se enterre no meio dos seus lábios vaginais, R vêm-se convulsivamente, dou a provar a G que se delicia e se contorce na língua alheia.
Mudo de lado, saboreio pela primeira vez a miscelânea de viscosidade no clitóris de G, saboreio docemente cada lábio, a sua profundidade, adoro minetar uma mulher, senti-la contorcer a cada lambidela. Beijo R para que sinta os nossos gostos, para aumentar a devassa enfio todo o meu pênis na sua boca, fodo a sua garganta enquanto exploro tatilmente os orifícios de G. Descubro com felicidade e surpresa que enlouquece quando meu dedo médio lhe explora a roseta acastanhada. Retiro meu caralho duro e lubrificado da boca de R e penetro delicadamente a gruta gulosa de G, quero que me sinta, cm a cm.
Intencionalmente roço seu clitóris duro e a protuberância de G, contorce-se cada vez mais à medida que acelero as estocadas e forço a profundidade. R lambe-me o escroto, saliva-o acompanhando o vai-vem, utilizando a fita forço G a enterrar a língua e os dedos em R ao ritmo da minha penetração, dou palmadas naquele incrível rabo e coloco meigamente o polegar naquele ânus apetecível.
G atinge o clímax, não lhe dou tempo para respirar, aproveito os fluidos que escorrem, deixo que a boca de R me limpe o membro, peço-lhe:
– Cospe na cabeça, unta-o bem.
No meio da loucura e da luxúria retiro o polegar e enfio toda a minha verga naquele cú ansioso, G grita:
– Sim!!!!
Quase instintivamente.
– Come-me o cú todo, não pares!!!
Que maravilhosa fantasia realizada, não aguento mais. Tento resistir somente o suficiente para coordenar o explodir de R nos lábios de G e que esta entregue o seu orgasmo múltiplo e descontrolado em conjunto com o meu.
A proeza acontece e numa ovação de gemidos,espasmos, contracções e respirações ofegantes criamos um abraço tridimensional. Beijamos-nos em trocas de carícias entre os três, libertei-as das minhas fitas de controle, curiosamente mantém-se aninhadas uma na outra.
Puxam-me para o seu calor, os seus cheiros tão únicos, o gosto dos seus labios quentes, sedutores, famintos de atenção, adormecemos assim, entrelaçados , partilhando o que de mais íntimo pode haver, depositar os sonhos uns nos outros.
(Continua)
Bastardo #69Letras

A viagem

TEXTO EROTICO M|18 ? ? ?? ? ?
São 5 da manhã, quando o seu despertou a acorda, estica se uma ultima vez e levanta-se…
Pronta para uma viagem inesquecível! Veste as suas calças de ganga justas, blusa vermelha a salientar o decote, calça o seu salto alto preto, soltando o cabelo ondulado. Coloca o seu melhor perfume e está pronta!
Olha pela janela e já lá está o táxi à sua espera! Está nervosa, não sabe o que a espera.
Passaram-se tantos anos desde a última vez que se viram e se tocaram. Foram o amor um do outro em tenra idade, ambos se lembram na perfeição daquela noite, como o céu estava estrelado, os olhares brilhantes, os sorrisos verdadeiros, as trocas de amor, mesmo que tímidas, aqueceram o coração um do outro naquela noite fria, junto à varanda!
Mas a vida fez com que seguissem destinos diferentes. E muitos anos se passaram até voltarem a comunicar um com o outro!
Ao fazer o check in, as mãos suam. Mas a vontade de ir é maior do que o nervoso de voar sozinha!
Já no avião, retira um livro da carteira, para não notar o tempo da viagem, ao seu lado viaja também um jovem, atraente, que fala com entusiasmo de concursos de cavalo com o passageiro do lado.
É giro, tem um olhar sedutor, trocam um olhar demorado mas, nem chegam a troca uma palavra que seja.
Ela volta a concentrar se na leitura do seu livro e só volta a fecha-lo após o avião já ter pousado no destino.
– É agora! Ele está a minha espera! O coração bate acelerado. Nem sabe muito bem como o vai cumprimentar, nem tão pouco o que lhe dizer.
Mas sente-se bem, e o sorriso rasgado no rosto afirma a sua felicidade! No meio da multidão, assim que o olhar deles se cruzam. Sentem aquele borbulhar na barriga, mas agora nada a fazer, a não ser continuar!
– Olá Joana, continuas linda. Não mudaste nada!- disse ele.
Deslumbrado com a presença dela, tem vontade de a beijar, mas …
– Olá Joana, de facto és linda, como o David te descrevia. Prazer em conhecer-te, eu sou a Érica a companheira do David!
– Pois… Não fazia ideia. Olá prazer em conhecer-te!
Fiquei baralhada com a presença da Érica. Como é linda esta mulher, o David tem muito bom gosto!
Não sabia que tinha companheira mas de facto, não consigo tirar os olhos dela. Mas o que me está acontecer??
Lá fomos nós saindo do aeroporto, enquanto a Érica vai falando do país. Eu dou voltas na minha mente. Porque nunca me tinha falado nela? Porque esperou que eu chegasse para me apresentar?
De repente recebo um SMS do David. Sim do David:
– Adoro a tua cara, quando olhas para ela. Deixas-me cheio de tesão. Alinhas foder comigo com ela a ver? É uma das suas fantasias e tenho a certeza que tu és a pessoa certa para o fazer. Até porque só me imagino a foder contigo para além dela…
MUSA #69Letras
Continua….

Encontro

Tinha ido beber café com um amigo no Luxury, quando uma mulher vistosa, morena chega à nossa mesa e o cumprimenta.
Foi-me apresentada e ela perguntou se não queríamos ir ate casa dela, lanchar e assim ela metia a conversa em dia e estávamos mais a vontade. Não me fiz de rogada e o meu amigo também não, mas o nosso trocar de olhares por causa do convite, foi sugestivo e sabíamos o que ambos estávamos a pensar. Sem saber que a amiga dele também.
Quando chegamos ao apartamento, ela disse para nos colocarmos a vontade, que ela ia so pousar as coisas e que preparava de seguida o lanche.
Qual não foi o nosso espanto, quando ela aparece na kitchinette de camisa transparente e fio dental, ele apertou-me a perna e segredou me:
– Assim não me aguento e retorqui.
-Se fosses só tu!!
Ela arranjou o lanche e sentou se no meio dos dois. Conversa puxa conversa, todos foram relaxando e ambientando se uns aos outros.
A Rute era deslumbrante com aquele corpo torneado, a sua forma de falar era tão cativante que ficamos absortos a ouvi-la, a tal ponto que nem dei conta que roçava a perna dela na minha. De quando a quando, deslizava a mão dela pelo meu braço…o seu toque arrepiou-me e sei que o nosso contacto não foi indiferente a ela.
O meu amigo só olhava para mim desesperado de excitação, por a ver assim em camisa e, decide-se levantar do nada e dizer que vai o WC. Ficamos as duas a olhar uma para outra, sem saber o que dizer, até que…
Ela deu um passo em frente, agarrou o meu rosto e beijou me.
Um beijo terno, sedutor, apaixonado, quente, senti os cabelos da minha nuca arrepiarem-se de tal forma que, não resisti. Correspondi ao beijo, apertei-a de encontro ao meu corpo, que consegui ressaltar um gemido daquela boca doce e insaciável.
Começamos-nos a acariciar, com as nossas mãos a explorar cada parte do corpo de cada uma. Senti-a a despir a minha camisola e tirar me o soutien, vi o olhar dela de desejo para os meus seios, aproximou-se e senti a boca dela a descer pelo meu pescoço ate ao bico do mamilo..
O calor daquela boca no meu peito, a língua aos círculos e a chuparem ao mesmo tempo, fez me soltar um gemido de prazer. Tirei-lhe a camisa e fiz-lhe o mesmo que me fez. Mas eu adoro olha, olhos nos olhos para ver o desejo estampado daquilo que estou a fazer….
Ela mordia o lábio e gemia, resolvi com a minha língua descer pelo corpo dela, passar pela barriga e chegar à parte mais intima. Ela contorceu-se toda ao sentir o calor da minha boca e a minha língua a passar mesmo no meio, como se tivesse a lamber um gelado.
Com as minhas mãos ia massajando o clitóris dela, e enfiei 2 dedos na vagina, enquanto a minha língua continua a saborear aquele néctar, até conseguir arrancar um gemido bem forte de prazer e ver o corpo dela estremecer a vir-se.
A mão dela agarrou a minha cabeça, de forma a que a minha boca não saísse da vagina dela e ela pudesse se vir toda nela. Hummmm!!!
Mal senti aquele liquido agridoce na minha boca, levantei-me roçando o meu corpo nu no dela e beijei-a.
Tínhamos nos esquecido do nosso amigo, ele à porta da sala tinha visto tudo ao ponto de estar com o membro todo erecto, via-se por cima das calças, alem de estar todo molhado.
Fizemos sinal para ele se aproximar, desapertamos as calças, tiramo-lo para fora e ambas com o olhar lascivo de gozo, olhamos para ele e começamos a chupa-lo. Gemeu, que mais parecia um uivo.
Fomos alternando as nossas bocas no membro dele, ate que a Rute pôs-se de quatro e vira-se para ele e diz-lhe:
-Possui-me toda, enterra-o!!  – Ele não se fez de rogado e enterrou-o.
Enquanto eu por traz acariciava-o, beijava-o e com as minhas mãos abria as nádegas dela, para ele o enfiar todo e a ouvirmos gemer. Os gemidos intensificavam-se e a forma como ela me olhou não resisti. Ele continua na mesma posição com ela e eu muito subtilmente, coloquei-me por debaixo dela, beijando-lhe os seios, a barriga e por fim a minha boca encontrou o recanto mais intimo dela e suavemente comecei a passar a minha língua e senti o corpo dela estremecer, a respiração ficou mais ofegante, ao ponto de ela não aguentar mais e a boca dela ir de encontro a minha  parte intima.
 Senti a boca quente e húmida dela, a língua suave como a seda, os meus gemidos sintonizavam com os dela, ambas com uma vontade louca de explodir, não aguentamos. O êxtase!!, a intensidade da tesão foi tal que, o nosso amigo delirou a ver-nos, ao ponto de dizer:
– FODA-SE!! Que ja não aguento.
O meu olhar e o da Rute cruzaram-se parecia que tínhamos lido o pensamento uma da outra, ficamos de joelhos as duas e dissemos para ele nos dar de beber nas nossas bocas.
Lindo!!!…Ver o rosto de prazer dele a derramar algo tão precioso, só para nós….
Fomos tomar banho juntos e..,,
O prazer parecia insaciável, que nem no banho escapava..
Que tarde maravilhosa que passamos….
LOLA #69Letras