Arquivo de etiquetas: memória

Fotografia

Fotografia
Fotografamos momentos
Momentos felizes
Momentos tristes
Mas esses momentos
Ficam presos no tempo
Ficam retratados numa película
Sem cheiro nem cor
Só lembrança
Lembrança de algo
que nos fez feliz
Mas a nossa memória
Supera qualquer pedaço de papel
A nossa memória grava cada gesto
Cada pormenor, cada cheiro
As cores que nos rodeiam
Com ela sentimos-nos vivos,
O nosso coração acelera
A cada recordação
Faz o nosso corpo vibrar
Para quê fotografar?
Se tudo o que precisamos
Está cravado, na alma,
No coração, na mente
Lola 2017 #69Letras

Chega de enlouquecer!

10547611_1673791702866560_6207097234060306075_n

Guardei o meu amor por ti.


Num canto só teu, na parte que só a ti pertence e pertencerá, onde ninguém, por mais importante que se torne na minha vida, pode mexer.


Aprendi que há coisas que nos marcam e acompanham para sempre, embora não da forma como pretendemos e conformei-me com a tua ausência.


Cansei-me, na verdade foste tu quem me cansou, das mensagens e dos e-mails sem retorno, das tentativas vãs de te ver e conversar.
Hoje sigo um caminho diferente e distante, vivo um dia de cada vez, sem que faças parte dos meus planos…


Mas há dias em que a memória é traiçoeira e a saudade bate forte…
Tantas vezes precisei de coragem para falar e hoje em dia a minha coragem passa pelo não te dizer nada. Ironias…


Quero dar-te um último recado…
Tinhas razão, acabei por me cansar… Chega de enlouquecer!

KingOfMysteries #69Letras

Assim sou eu…

Carregas uma dor imensa em ti, como se corpos e faces de beleza intensa, estivessem proibidos de carregar sentimentos no corpo sofridos, por apenas ser tão densa essa beleza imensa. Calcorreias em passos de algodão, terrenos movediços e no entanto nessa mão que se estende e se aproxima, palavras soltas em hora de noite ínfima, soltamos feitiços em forma de coração. O passado que nunca quis ser futuro sentido, que me trazia um vazio, tal como outrora casaco vestido, ficou la atrás no silêncio sem memória ou consenso por apenas não ter história de paixão ou sequer amor vadio. As linhas por onde passam o comboio da tua vida, serão guias na minha boca, nesta vontade mera ao mesmo tempo tão louca de não parar em estações, apitar nessa fornalha de comboio a vapor, onde queimaremos a dor, onde nos perderemos de razões, porque a vida não espera, por vontades dúbias ou hesitações. Sim, estou próximo de ti, muito próximo até como sempre tiveste comigo, quando precisei e não estavam ali, nunca desististe, quando choravas nesse olhar triste e te fazia sorrir amei ser o teu ombro amigo, porque a dor que carregas um dia vai passar, entre castanheiros e flor de zimbro vais no meu colo um dia sossegar e seremos apenas uma forma, um lugar de casacos pendurados á lareira a queimar. As vezes procura se sofrer no difícil e tentar amar por ser difícil, quando amar o fácil mesmo sendo dificil também é amar. Não vivo de distâncias, vivo de proximidades, não vivo de exuberâncias, vivo de ditas e sentidas vontades. Assim sou eu…

Que sorriso te faz feliz?

11046495_1636076333304764_2651691636062692550_n

Há sorrisos que nos ficam gravados além da memória… Ficam-nos gravados na alma.

O teu sempre foi endiabradamente doce, tímido, provocante mas acima de tudo encantador.
Escusado será dizer que o meu favorito!

KingOfMysteries #69Letras

Nunca quis saber se pertencias a alguém , nesses momentos eras meu.

12366263_1635752816670449_6629524952185916015_n
Já não me lembrava de ti , sinceramente já não passavas de uma memória arrumada na gaveta .
Mas hoje tive um bom dia teu , olhei para o tlm e pensei … Humm tu?
Respondi te secamente ao bom dia
: disseste me …
-Voltei.
Mas que raio me interessa saber se voltaste ou não … Pensei eu .
Não me saíste da cabeça
: comentaste tu .
– Lá vamos nós outra vez , sabia eu .
Foste uma história para arquivar , mas que valia a pena recordar era um facto inquestionável .
Lá me lembrei eu do Sr Doutor , dos seus fatos feitos à medida , as camisas perfeitamente engomadas com a respectiva gravata , que tantas vezes me tiraram do sério.
As vezes que vinhas ao Norte e imploravas para me ver .
Eu , que me fazia sempre de indiferente , mas cada vez que saiamos para jantar me fazias sentir uma rainha , que me presenteavas com tudo que uma mulher deseja .
Claro que me fazia de difícil , até me levares para a tua cama e me despires sem qualquer cuidado , ardente sempre de desejo que demonstravas sem qualquer pudor .
Ficava a admirar te enquanto te despias , deixando à vista o teu corpo fabuloso , fruto de ginásio depois das reuniões cansativas .
Ah as reuniões onde durante tantas vezes te destabilizei por SMS , dizendo te que seria a tua apanha lápis , deixava te louco de tesão com palavras , sabendo que não me podias responder .
Na tua cama reagia a ti instantaneamente , adorava contornar te o peito musculado com as minhas mãos e sentir te ofegar de desejo .
Acariciar te as pernas e sentir o teu tesão todo , num apogeu que sabia só meu .
Nunca quis saber se pertencias a alguém , nesses momentos eras meu , o meu Sr Doutor .
Quando entravas em mim era me indiferente todo o resto , ah como gozamos os dois , como nos satisfazemos mutuamente .
Sim foi bom recordar te , mas apenas isso nada mais , já não gosto de fatos e gravatas .

Raven

Tornaste-te no meu mundo

Breve e penetrante foi o toque da tua mão na minha, célere e memorável é o encanto do teu olhar.

Foi o tempo insuficiente para tanto! Merecíamos mais…juntos éramos mais! Eras tu na tua rotina era eu embrenhada na minha, mas juntos a cada suspiro lavados em saudade.
Quantas vezes, em pezinhos de lã espreitei a memória e a vi velejar pela lembrança do teu doce olhar toda ela derretida, de mão dada contigo na praia ao luar. Imagina o meu espanto! Logo eu que só conheço o romantismo quando o escrevo e não o vivo! Logo eu fui-me render a estes pensamentos porque tu encaixaste neles. Tu fazes-me sentir e querer pertencer ao grupinho dos apaixonados e fazer todas as idiotices e clichês ao teu lado!
Deitada, adentras pelos meus pensamentos, sinto-me abraçada por eles como se fizessem parte do meu presente, a minha cama está vazia e tu não estás ao meu lado.
Apaixonei-me! Não uma, não duas, mas todas as vezes que olhavas para mim, sentia-me certa, a tua certeza e pode até ser coisas da minha imaginação, mas ficava com a sensação que cada vez que me olhavas contemplavas o teu sonho de mulher…

Será que deste conta que te estavas a tornar no meu?

Tantas foram as vezes que me perdia a vislumbrar-te… podias tu (e disso tenho a certeza), ter sido o meu eterno namorado, o primeiro que duraria uma vida, o meu sorriso a cada despertar, o aconchego ao anoitecer! O companheiro de uma vida, o meu amado e desejado amante!
Brilhei por um parco tempo, pareceu um sonho e como detestei de acordar! Os dias ficaram sem graça e o meu coração tornou a esfriar…

Mas…!

Se tu ainda me pertences, se eu ainda tenho lugar marcado no teu coração então não vamos ser a dança que ficou por dançar, nem as palavras que ficaram por escrever, vamos ser aqueles que amam e que vão viver para esse amor!

© ?Cátia Teixeira, Vizinha 69 Letras 2015

 

descobri que tu és muito mais que prazer…

0ab38cb90c6c2432daa4b06dc01c22dd

Existe uma memória da ultima noite, que ficou suspensa no meu olhar.
Nós dois sentados, frente a frente, despidos de barreiras e no ar o cheiro do nosso amor.
Tu és mais que prazer.
Despidos de roupas, olho-te. Gosta tanto de olhar para ti!
Se tivesse poderes, tornava aquela noite eterna e passaria a infinidade daquele momento a desvendar os mistérios da tua pele junto com os segredos que o teu olhar esconde.
Cumplicidade.
Dois corpos felizes e encantados um com o outro.
Estes dois corpos, éramos nós!
Nós! Não eu, não tu, mas nós!
Coro com o teu olhar e desfaço-me no teu sorriso.
Tu és atrevido, mas a minha espontaneidade faz-te rejubilar!
Tiro-te o ar com o fogo da minha juventude e enfeitiço-te com o desejo que carrego de ti que te deixo sentir.
Fazes-me contorcer nas tuas mãos vis, e enfraqueces a minha voz com os gemidos que me provocar.
Na memória da nossa ultima noite está a lembrança do nosso olhar.
Olhar cúmplice.
Olhar que assiste ao sonho a tornar-se realidade!