Minha Lisboa

Entrar por ti como uma criança entra no quarto dos pais… Pé ante pé, marota e segura… Andar pelo meio da confusão de uma cidade que quase não dorme, trânsito, luzes, torres, barulho… E chegar finalmente ao teu núcleo… Embrenhar-me nos teus bairros, senti-los a respirar uma tradição que parece perdida mas que mora lá,…

Tornaste-te no meu mundo

Breve e penetrante foi o toque da tua mão na minha, célere e memorável é o encanto do teu olhar. Foi o tempo insuficiente para tanto! Merecíamos mais…juntos éramos mais! Eras tu na tua rotina era eu embrenhada na minha, mas juntos a cada suspiro lavados em saudade. Quantas vezes, em pezinhos de lã espreitei…