beijos que encerram os copos vazios.

Aqui estamos nós embrulhados no tapete do chão da sala iluminados pela tarde cinzenta que corre lá fora. Gosto tanto das nossas tardes sem roupa, perdidos no nosso vinho preferido entre beijos frutados e desejos escondidos revelados propositadamente com a desculpa de ser o vinho a falar… A cada copo vazio enchemo-lo de novas fantasias…