Arquivo de etiquetas: ler

Uma rapidinha entre canais e uma porta fechada!

Não consigo pensar em nada mais triste do que um fim de um amor.

Uma porta fechada, um quarto morto apenas com o som de uma rotina: deitar para cedo erguer para trabalhar, voltar jantar e tornar a deitar. Continuar a lerUma rapidinha entre canais e uma porta fechada!

Dona do meu mundo

Crescer não foi o que imaginei. 

O meu caminho não era repleto de pétalas de rosa, nem a minha casa cheirava a tarte quente de maçã acabada de fazer. 

O mundo revelava-se cada vez mais negro e sufocante. Demasiado barulhento e desagradável para uma menina. 

Mas, e é esta a minha mensagem para todos, há esperança até nos sítios mais negros. 

Aprendi a ler. E o meu mundo fundiu-se em fantasia coberta de esperança. 

Aprendi a escrever.

Meus pés de menina ganharam asas. 

Um novo mundo se reergueu perante meus olhos inundados de entusiasmo!

A  vida passou a ter significado pelo qual valia lutar. Era eu quem escolhia o que queria ser. Umas vezes médica para curar os doentes todos do mundo, outras vezes presidenta da República para mudar de vez o rumo da humanidade! 

Na ponta do meu lápis tinha o MEU mundo aos meus pés! À minha volta os gritos eram abafados pelas minhas gargalhadas, a realidade continuou a marcar-me o rosto mas eu imaginava que era blush. 

A insanidade mental dos adultos só fortalecia os alicerces da minha indiferença.  Quanto mais insistiam em destruir a minha inocência, mais alto me erguia no meu mundo de fantasia. 

Assim cresci. Muitas vezes caí. Mas levantei-me sempre de seguida com os lápis como muletas. 

Ainda hoje sinto que sou dona do mundo de cada vez que me entrego à escrita. Mas troquei o lápis e o papel pelo computador. Da minha janela agora alcanço muito mais. 

Pelas 69letras, alcanço-vos, espero mesmo tocar nos vossos corações. 

Se conseguir que por momentos apenas que sejam, que vejam o mundo pelos meus olhos, pela janela do meu mundo ideal, já fico feliz… 

©Miss Steel 69letras 2017 

Mulheres que amam de menos | Texto de Martha Medeiros |

Eu quero dar meu depoimento. Creio ter um problema. Se mulheres que amam demais são aquelas que sufocam seus parceiros, que não confiam neles, que investigam cada passo que eles dão e que não conseguem pensar em mais nada a não ser em fantasiosas traições, então eu preciso admitir: sou uma mulher que ama de menos.

Eu nunca abri a caixa de mensagens do celular do meu marido.
Eu nunca abri um papel que estivesse em sua carteira.
Eu nunca fico irritada se uma colega de trabalho telefona pra ele.
Eu não escuto a conversa dele na extensão.
Eu não controlo o tanque de gasolina do carro dele para saber se ele andou muito ou pouco.

 Eu não me importo quando ele acha outra mulher bonita, desde que ela seja realmente bonita. Se não for, é porque ele tem mau gosto

Eu não me sinto insegura se ele não me faz declarações de amor a toda hora.
Eu não azucrino a vida dele.
Segundo o que tenho visto por aí, meu diagnóstico é lamentável: eu o amo pouco. Será?

Obsessão e descontrole são doenças sérias e merecem respeito e tratamento, mas batizar isso de “amar demais” é uma romantização e um desserviço às mulheres e aos homens. Fica implícito que amar tem medida, que amar tem limite, quando na verdade amar nunca é demais. O que existe são mulheres e homens que têm baixa auto-estima, que tem níveis exagerados de insegurança e que não sabem a diferença entre amor e possessão. E tem aqueles que são apenas ciumentos e desconfiados, tornando-se chatos demais.

Mas se todo mundo concorda que uma patologia pode ser batizada de “amor demais“, então eu vou fundar As Mulheres que Amam De Menos, porque, pelo visto,

quem é calma, quem não invade a privacidade do outro e quem confia na pessoa que escolheu pra viver também está doente.

waiting-for-the-words-30-1-14

Martha Medeiros

Eu Simplesmente Amo-te |Pablo Neruda |

Eu amo-te sem saber como, ou quando, ou a partir de onde. Eu simplesmente amo-te, sem problemas ou orgulho: eu amo-te desta maneira porque não conheço qualquer outra forma de amar sem ser esta, onde não existe eu ou tu, tão intimamente que a tua mão sobre o meu peito é a minha mão, tão intimamente que quando adormeço os teus olhos fecham-se.
Eu Simplesmente Amo-te
Pablo Neruda
Cem Sonetos de Amor

15 Chocolates…

Texto Erótico | M18

Estou farta de estar à espera!!! Disseste que estavas a sair há uma hora atrás quando por norma demoras 10 minutos! Preparei-me para te receber, a pele a cheirar a mel, a lingerie rendada turquesa que me ofereceste sobre a mesma!
Já liguei várias vezes, e vai directamente ao Voice Mail… confesso que neste momento começo a preocupar-me… onde estás?

Será que ela vai gostar do belo ramo de orquídeas, dos bombons e do champanhe? Estou tão nervoso! O meu coração bate a mil e meu tesão lateja de tanto desejo! Hoje será especial, tem que ser!

E logo hoje, esta noite, é que te atrasas! Fazemos 15 anos, são muitos dias de nós os dois! E o impressionante é que te sinto hoje tal qual o primeiro dia! Ainda dou comigo a sentir aquele friozinho na barriga, as ditas borboletas no estômago! E o tesão, ahhhmmm! esse explode assim que me preparo para ti, assim que imagino as tuas mãos na minha pele!
As chaves na porta, chegaste!

Abro a porta e dou de caras com a minha Musa com a bela renda no corpo… Todos os dias me apaixono por ela, arrebata-me e deixa-me sem fôlego.
“- Olá meu Amor…
– Olá meu doce… Toma estas flores… São lindas mas não se comparam a ti… Prova este chocolate… É saboroso mas não tem o teu sabor… Prova este champanhe… É delicioso mas não tem o teu trago maravilhoso… Anda e vamos nos deliciar e saborear esta noite…”

Em segundos tirei o robe que trazia sobre o corpo, deixando-me assim a descoberto para ti!
-Olá meu Amor… Orquídeas acompanhadas de chocolate e champanhe, agora percebo a demora! Sabes tão bem como me mimar!
-Sim meu Amor, vamos saborear os chocolates e o champanhe mas deixa-me antes saborear os teus lábios, a tua boca com o beijo!
A forma como as tuas mãos deslizam no meu corpo enquanto nos saboreamos num beijo quente e intenso deixa me louca! Levo a tua mão até entre as minhas pernas, e faço-te sentir o quão louca de desejo, de tesão, tu me deixas! “-Tu deixas-me assim!” sussurro-te
“- Meu doce estás tão molhada!”
Levantas-me e coloco as minhas pernas de volta da tua cintura, e sinto-te tão duro! Dás uns passos e encostas-me á parede, seguras as minhas mãos contra a parede e saboreias a minha boca, o meu pescoço, o meu peito! Sobre o soutien passas a tua língua nos meus mamilos! Gemo de prazer a cada mordisquinha que dás!!! huuuummmmm…

Teus gemidos são delirantes e hipnotizantes, Teu odor enlouquece-me de tesão e por momentos sinto-me o homem mais lascivo e safado à face da terra.
“- Babe, essa lingerie fica-te mesmo muito bem mas vai ter que sair… ”
Num ápice livras-te do sutiã, e eu te livro das cuecas, deixando-te livre de roupa e cheia de vontade de me sentires dentro de ti..

Desaperto-te as calças, que fazes por caírem de imediato, arranco-te a camisa com tamanha vontade que os botões saltam pelo chão! Baixo-te os boxers e sedenta de ti abocanho te o membro, só para te saborear e gemes á minha investida! Aiii esse teu gemido!!! Tiro-te da minha boca e de imediato meto-te em mim…

Sem dó nem piedade, fodo-te contra a parede, segurando tuas mãos em cima da tua cabeça. Gemes intensa e prazerosamente como nunca o fizeste.
“- Fode-me caralho! Fode como se fosse a última vez que o faças! Fode, entra em mim com toda a gana e vontade, e deixa-me toda partida!”
Estas palavras são gasolina para o meu fogo ardente por ti meu amor! De investida atrás de investida, gememos alto e intensamente, como a primeira vez se tratasse!
Tu vens-te e o teu orgasmo impulsiona o meu, derramando em ti todo o meu amor, desejo e tesão…

Agora sim meu amor, vamos saborear os chocolates e o champanhe que trouxeste, temos uma comemoração a fazer! Dispões 15 chocolates sobre o meu peito e barriga! Cada um equivale a 1 ano nosso, e com um trago de champanhe partilhamos…
Chocolate, Champanhe e beijos quentes.. hummmm…
“- Amor, fode-me novamente como se fosse a última vez…”

JustIlusions & O Vizinho

Sensorial…

Leio-te…
As tuas letras são música numa pauta de maestro onde apenas quem sente a tua melodia saberá o que significam…

Vejo-te…
És uma bela e hipnotizante pintura, de pinceladas e contornos magníficos onde apenas quem tu permites ver conseguirá decifrar esse teu olhar e brilho…

Ouço-te…
A tua voz é um deleite para meus ouvidos! Apenas consigo te equivaler aos sons primaveris dos passarinhos, ou mesmo às mais belas sinfonias de Bach ou Mozart…

Cheiro-te…
Teu perfume inebria-me os sentidos! Inspiro e fecho os olhos, e ali permaneço uns segundos a contemplar a beleza do teu aroma…

Provo-te…
Teu sabor é único e inigualável! És doce, quente e saborosa… (até salivo!)

Toco-te…
És suave e delicada como uma bela pétala de rosa… teu toque é viciante e de um requinte sem igual…

Sinto-te…
Sim, sinto por ti o que nunca senti por ninguém! Sinto que me tiras a paz, a calmaria e sossego. Sinto um aperto de êxtase quando sei que vou estar contigo, sinto as borboletas no estômago que me inquietam e me deixam cheio de medo.

Medo… Sim, sinto medo por não saber se estarei à altura nas tuas “exigências” e vontades…
Estarão os meus sentidos a trair-me, ou estarei mesmo a sentir estas coisas todas por ti?

 

O Vizinho #69Letras

Só mais uma vez…

received_1039189282839395

Texto Erótico|M18

Chega o final de tarde de mais um dia cheio de calor. Lá estava eu a relaxar na cama de rede presa às árvores, exausta de um dia de praia, a ouvir o som da natureza.
“- Queres café?” – Aquela voz não me era estranha mas eu nem cheguei lá só queria estar ali a relaxar.
Insiste mais uma vez… Sabia bem que o café era algo que eu nunca recusava. Abri os olhos, tirei os óculos de sol e levantei a cabeça para ver quem me incomodava do meu sagrado descanso de beleza…
“- Tu aqui?!” – Foda-se, nem no meio do mato me livro das minhas tentações, do meu pecado mais profundo, do meu fruto proibido mas tão apetecido. Era ele aquele que me faz delirar, aquele que me faz vibrar com um simples olhar. Eu conhecia aquela voz.
O meu corpo bloqueou, a minha mente só pensava nas maravilhas que fazíamos, naquele corpo colado ao meu….
“- Então? Queres café ou não?” – Adoro quando ele é firme nas palavras! A minha boca só queria abrir para lhe dizer que esquecesse do café, era o seu corpo que eu desejava neste momento!
“- Sim claro que quero um café.” – Foda-se Little, acalma-te! Ele agora é comprometido e tens de respeitar isso…
Lá foi ele buscar o café enquanto isso aproveitar para me arranjar, peguei na minha malinha tirei o espelho e coloquei o bâton rosa que ele tanto adorava, carrego um pouco mais no risco dos olhos para realçar bem a minha cor, componho o biquíni e ato o lenço a cintura só para o estilo.
“- Tens tabaco?! A minha namorada foi comprar mas ainda não apareceu!” – Epá, este gajo tem cá uma lata… Aproveito a deixa e cobro lhe uma saída logo.
À noite… Fica pensativa pois para onde quer que vá leva a namoradinha. Insisto com ele pois seria a minha última noite ali. Com algum receio aceita.
“- Ás 22h no Bar ali ao fundo, é o único que existe aqui neste paraíso.
– Até logo então.”
Minto tão mal pois ele sabia que para além desse existiam mais uns três ou quatro. Chega a hora e lá estou eu à espera dele, sentada na esplanada do bar. Vesti o vestido rosa bebé aquele que ele dizia que adorava pois mostrava bem as minhas curvas, sapato alto preto para ficar quase do seu tamanho, e por baixo do vestido a lingerie rosa e preta, o quanto ele delirava com esta lingerie. Passado algum tempo continuava eu a sua espera, pensando que se tinha arrependido. Dirigi-me ao balcão, paguei a minha conta, já estava tão quente pois bebi tanto, e saí em direcção ao mato que havia por trás do bar.
“- Hey ….Onde pensas que vais?” – Olha, ele afinal veio…
Vem até a mim, agarra-me e dá-me um abraço apertado.
“- Pensava que não vinhas…
– Achas mesmo que ia perder a oportunidade de acabar a minha despedida de solteiro em grande?!” -Fiquei ali a olhar para ele com vontade de o espancar mas quando aquelas mãos me agarram e me pegam ao colo com uma tesão enorme e uma vontade ainda maior esqueci-me de tudo.
Se é para ser que seja em grande. Sai do colo dele, desapertei-lhe o botão das calças, baixei lhe os boxers e chupei cada centímetro do seu caralho… Que tesão de homem, foda-se! Lambi cada pedaço do seu membro, mordisquei aquela cabecinha malandra que quando em mim entrava me fazia gritar de tanto prazer. Estava quase a chegar ao seu ponto de ebulição. Tirei-o da minha boca, meti-me de quatro, naquele mato cheio de árvores e ervinhas entre mais uma data de plantas que não sei o que eram, enfiei-o dentro de mim…. enquanto me fodia ia-me explorando mais uma vez. Os seus dedos faziam círculos na minha vulva, aquelas entradas e saídas rápidas faziam-me chegar ao êxtase total! Levanta-me e de costas para ele encosta o meu delicado e tesudo peito ao pedregulho que ali se encontrava, vai enfiado o seu pénis no meu rabo enquanto faz os seus dedos entrarem na minha cona húmida. Acelera o ritmo e vai apertando o meu peito, com uma mão puxa os meus longos cabelos e juntos chegamos ao momento alto da noite. Vira-me de repente e à pressa e vêm-se no meu peito.
Recompomo-nos e chama-me de louca, diz-me que seria a sua eterna amante. Com um beijo na testa despede-se de mim dizendo que seria a nossa última vez .
Ri-me e disse ok.
Última vez… ahahahh tadito piorou….Hum última vez…. nem no seu maior e pior pesadelo…

Little Patrice