Deixas?

Tu! Sim, tu! Será que me “lês”? Será que sentes o que escrevo? Deixas-me imiscuir nos meandros da tua mente, nos lugares mais recônditos, que ocultas aos demais, e revelar esse teu lado que me fascina? Será que consigo? Uso as palavras na esperança de ser lida, e que através delas consiga levantar esse véu,…