Arquivo de etiquetas: lençol

Não, não posso ceder!

6f74bd80d9762c50d97c89bca6325f0f.jpg

Texto Erótico|M18

Acordei, e lá estavas tu a seduzir-me mais uma vez. Sabes como sou, não cedo assim tão facilmente aos teus encantos, mas hoje estou com uma enorme vontade de te possuir… Não, não posso ceder e fico quieta. Tento controlar a minha respiração e esta minha vontade de te querer mais uma vez, enquanto tu exploras o meu corpo. Já sabes onde estão os meus pontos fracos e sabes como me excitar. Não consigo resistir-te mais. Fujo da cama, aquela onde tu me fazes maravilhas, vens atrás e puxas-me o lençol. Encostas-me à parede gelada, sinto o teu corpo a escaldar e a encostar-se em mim. Puxas-me o cabelo daquela forma que só tu sabes e beijas-me intensamente, como se não houvesse amanhã.

Foda-se! Gosto tanto desses beijos, intensos e quentes!

Começas a descer, começo a me contorcer, e a pensar que não aguento muito mais. Ganhaste! Não consigo resistir-te mais. Salto para o teu colo e sorrio… Nem imaginas o quanto quente estou. Vais buscar um cubo de gelo, aquele que refrescava o nosso champanhe, colocas nos teus dentes e começas a passa-lo em torno dos meus mamilos, deixando-os rijos. O cubo de gelo desliza pelo meu corpo preso nos teus dedos, enquanto tua boca se mantém nos meus mamilos, onde começas a trincá-los e a chupá-los. Neste momento o meu corpo já se encontra bem mais quente do que o teu! Sinto a tua respiração ofegante, e o teu corpo a colar ao meu. Lembras-te e vais buscar o resto do champanhe que sobrou, dás um trago e dás-me a beber da tua boca. Vens lamber a gota que me escapou e me escorre pelo pescoço… e as outras que espalhaste pelo meu corpo. Assumo o comando, meto-te uma venda e beijo-te loucamente. Sento-me em cima de ti e deixo que me penetres. Beijo-te o pescoço enquanto te cavalgo devagar, pois sei que isso te excita ainda mais… o comando inverte-se, tiras a venda, prendes-me os braços e mexes-te acompanhando o ritmo da música. Tudo em ti é especial, tudo em nós é mágico…

DamaDeCopas

OLHOS VENDADOS!

13237643_1697816233797440_1501549144220513706_n

Hoje vou vendar-te os olhos, não quero saber se chamas o meu nome ou se pensas noutro,
deixei de me importar com os factos.
Hoje só te quero possuir, entrar em ti e fazer-te vir, levar-te à loucura,
mesmo que não seja eu no teu pensamento.
Quero-te encostar na parede e deixar-te sem fuga possível,
arrepiar-te o corpo, humedecer-te por dentro, fazer parte de ti.
Quero ver os teus joelhos fraquejarem a cada investida minha,
e enquanto tu imaginas de olhos vendados, nem sabes como gosto de ver parte de mim dentro de ti, a desaparecer.
Adoro ver-te a cravar as unhas no lençol, adoro ver-te morder a almofada tentando sufocar o grito do prazer…
Deixo-te louca e eu fico louco e é somente um jogo, sem vencedores ou vencidos,
apenas os nossos odores, onde praticámos nossos vícios.
Viciei-me em ti e no teu corpo que me liberta o prazer, ao mesmo tempo que o teu corpo suado Liberta espasmos e gemidos.
Exausta, quase perdes os sentidos…
Tiro-te a venda, olho-te nos olhos e digo-te:
“Não sei com quem fodeste mas sei que fodi contigo”…
Olhaste-me e sorriste…
“Não importa o teu nome ou quem és, só quero repetir tudo outra vez”…

Poeta Solitário