Arquivo de etiquetas: lagrimas

Livre ou à deriva

Livre ou à deriva
Entre ir embora e ficar há só uma porta fechada que se abre com o querer
Entre quem fica à deriva e quem vai ser livre há um oceano de dúvidas que se define com o que se pode ganhar ou que se pode perder o eco do cair das lágrimas grita um silêncio ensurdecedor
O que se quer ouvir engasga a alma e o que se quer dizer levita por dentro com um peso esmagador
 
Entre o amor e o ódio há só um passo
Vejo me sair como um ladrão que se descuida e é apanhado
 
Engano-me que serei livre até me lembrar de ti, pois a partir daí… estarei a deriva…
 
E se eu não for e se eu eu aceitar ser o predador e se deixar incendiar a nossa alma e se deixar perder no labirinto da sua cama
 
E se ceder a gana e saborear o orgulho e se déssemos trégua, lampejar esse escuro e cessar a guerra?
Que me dizes?
©Bruxo 2017 #69Letras

Meu doce sonhar

Cheguei a casa e lá estavas tu, vestindo o avental que me faz rir, a tocar a música que me faz relaxar, refrescando o vinho perfeito para casar com o cheiro que me invadia os sentidos e que sabia ser do meu prato favorito… Inevitavelmente sorri ainda que cansada, ganhei energia para me atirar ao teu abraço como um errante no deserto que encontra o seu oásis transbordando de água fresca…

Senti a tua pele, enchi-me de cor e calor, estava em casa, sentia-me em casa, era tempo de ser eu, era tempo de sermos nós…

Continuar a lerMeu doce sonhar

“Despertar”

Em todos meus anos de vida, nunca um despertar foi tão vazio.

Fugiste de mim, sei que apenas por uns dias, umas longas horas e que provavelmente irá acontecer mais vezes na longa vida, que ambos queremos ter juntos!!

Caminho pela casa, ainda meio perdido de sono, com os músculos entorpecidos da cama e o coração apertado.

Não consigo conter as lágrimas de saudades tuas e sinto o sabor salgado delas no meu café matinal.

Contarei todos os minutos, ansioso, pelo momento de te ver aqui novamente, com o teu sorriso tão perfeito, capaz de iluminar toda esta casa e poder agarrar-te e prender-te no meu abraço.

Ouvir tua voz de manhã foi sem duvida o momento alto do meu dia e o relembrar que te AMO e te quero para sempre.

Sim, para sempre.

Sei que costumo dizer que o para sempre é eterno e impossível mas, sim, quero-te para sempre!!

Teu, saudoso e loucamente apaixonado..

© Anónimo 69Letras 2017-05-17

 


 

A última palavra

Sentou-se junto dela e ficou em silêncio, a olhar as ondas que se desfaziam em espuma na areia branca.
Ela também ficou em silêncio.
Ele desviou-lhe da cara os cabelos dourados.
Ela chorava em silêncio.
E o coração dele também começou a chorar.
“Desculpa por…” começou ele, mas ela interrompeu-o.
“Não digas nada. Nunca disseste nada. O silêncio é a tua melhor palavra.”
Ele sabia que ela tinha razão.
Nunca foi capaz de lhe explicar o que aconteceu, porque se afastou, porque a deixou sozinha sem nenhuma justificação.
Apenas se calou e saiu da vida dela sem uma palavra.
O silêncio foi a sua última palavra.
Mas a dor que sentia no coração não ia deixar que, desta vez, o silêncio fosse a última palavra.
Levantou-se e com o indicador escreveu na areia molhada.
Quando acabou, aproximou-se dela, limpou-lhe uma lágrima e beijou-lhe os cabelos.
Ela não falou, não se mexeu.
Apenas deixou que mais lágrimas caíssem pelo rosto.
Ele foi embora, deixando um rasto de pegadas atrás de si.
Ela olhou para trás e, quando já não o conseguia avistar, levantou-se e aproximou-se da areia molhada em que ele escrevera.
Um sorriso surgiu entre as lágrimas.
“Amo-te.”

© Fox 2017 #69Letras

Correr

Correr rápido;

Tão rápido

Que, por muito que corram,

Nunca me irão apanhar.

Correr para longe;

Tão longe

Que, por muito longe que vão,

Nunca será suficiente.

Correr sozinha;

Tão só

Que, por muito que olhem,

Nunca verão mais ninguém.

Correr feliz;

Tão feliz

Que, por muito que tentem,

Nunca me vão magoar.

Correr triste;

Tão triste

Que, por muito que me doa,

Nunca irá acabar.

Correr livre;

Tão livre

Que, por muito que tentem,

Nunca me irão prender.

Correr com lágrimas;

Tão chorosas

Que, por muito que as sequem,

Nunca irão parar de cair.

Correr leve;

Tão leve

Que, por muitos pesos que tenha,

Nunca me conseguirão parar.

Correr rumo ao desconhecido;

Tão incerto

Que, por muito que me avisem,

Não me irão demover.

Correr por amor;

Tão apaixonada

Que, por muito que tentem,

Não te irão tirar do meu coração.

Correr por correr;

Tão bom

Que, por muito que me mandem parar,

Nunca pararei de correr.

Correr

Simplesmente correr.

© Fox 2017 #69Letras

Primeiro-ministro manda os portugueses imigrar

Desculpem-me lá mas eu vou ter que comentar uma notícia que acabei de ler. Qual é a ideia do senhor primeiro-ministro de mandar os portugueses emigrar? Estupidez? Só pode ser. É que nenhum primeiro-ministro devia de ter a infeliz ideia de mandar o próprio povo emigrar. Em primeiro lugar devia de querer era todos os portugueses em Portugal, já que é o “nosso” país. E em segundo lugar se não sabe dar conta do recado que faça lugar para quem sabe.

Eu sou sincera – não entendo nada de política. Mas uma coisa sei – sei que não se emigra só por um “político” dizer isso ao povo.

Não se emigra de um dia para o outro. Não se chega ao “destino” e lá está uma casa e um trabalho onde se ganha bem a esperar-nos. Não, o que espera os emigrantes é trabalho duro, infelicidade e muitas lágrimas. É preciso saber para onde se vai antes de ir para lá. É preciso ter a certeza que teremos um trabalho e dinheiro a cair todos os meses na nossa conta bancária. É preciso sofrer para viver.

Eu nunca tive a “sorte” de viver em Portugal, já que os meus pais emigraram a muitos anos. E sei o que lhes custa estar a viver na suíça e não em Portugal. Eles aqui não são felizes. Eles estão cá para poder proporcionar uma vida melhor aos filhos. Pode haver agora pessoas que pensem – ah aqueles estão na suíça, são ricos. – para essas pessoas tenho uma notícia bombástica: Não somos ricos! Nós – os meus pais já passaram grandes dificuldades aqui. Fartamo-nos de trabalhar para podermos ter dinheiro para ir visitar a família. Caiem lágrimas todas as vezes que temos de nós ir embora. É um aperto enorme no coração quando por telefone vamos sabendo o estado dos membros mais velhos da família. Não podemos sair de casa e ir lá ter, porque estamos a muitos quilômetros de distância das pessoas que gostamos. Das pessoas com quem os meus pais cresceram e viveram. Ta certo que aqui podemos comprar mais facilmente um bom par de tênis ou uma peça de roupa mais cara. Mas sabem uma coisa? Eu prefiro ser feliz do que andar com roupas de marca. Eu preferia poder ir todos os dias a praia do que comprar algo mais sofisticado.

Espero que entendam. Vida de emigrante não é fácil nem bonita.

?? © Peregrinus 2017 #69Letras

Amar, não chegou.

Nem sempre amar é suficiente…

Atravessaram a ponte das desilusões, cada um para o seu lado.

Não houve um adeus, um até breve, apenas o silêncio de quem muito tinha para dizer e resolveu nada dizer.

A tristeza da voz, seria insuportável de aguentar.

A dor afiada das palavras seria mágoa eterna, naquelas almas carentes, desiludidas com a própria confusão…

Não, que não se amassem.

Não , que não se desejassem.

O carinho entre eles era soberbo, de uma beleza, de uma cumplicidade sublime.

Só não era o tempo certo para estarem juntos, para construírem o mesmo caminho.

As lágrimas , não pronunciadas, escorreram pelos seus rostos a cada passo dado.

Para eles a esperança desapareceu naquela tarde fria de outono, quase inverno, em que saiu do cais, foi directa ao mar alto sem olhar para trás e, caminhou sozinha por entre as marés mergulhando nas profundezas do oceano.

©The Oyster 2017 #69Letras