Arquivo de etiquetas: Jogos sexuais

Fantasias a pedido

TEXTO ERÓTICO M|18 󾬥 󾬥 󾬥󾬥 󾬥 󾬥
Retribuição do desafio da #Lilith
A nossa amizade é curiosa, não é só colorida, é um verdadeiro arco-íris.
Passamos meses sem nos vermos, inevitavelmente assim que nos reencontramos acabamos nos lençóis, temos uma química surreal no bom sentido.
Nas tuas próprias palavras seríamos péssimos namorados, gostamos demasiado de controlar, personalidades demasiado rebeldes e independentes, como amantes somos fogo e oxigénio, combinação perfeita. Destemidos, aventureiros e acima de tudo sinceros mutuamente, comprometemos-nos a realizar as fantasias eróticas um do outro e, na verdade temos criado momentos mágicos e inesquecíveis.
 
Espero hoje realizar-te outro desejo.

Continuar a lerFantasias a pedido

Diario quase Férias – Fonte do Prazer Parte III

TEXTO EROTICO M|18 ? ? ?? ? ?
– Bastardo, vêm!
– O jacuzzi está maravilhoso, alguém o preparou já com óleos e sais.
– Fui eu que pedi para o fazerem, precisas relaxar da viagem e descansar um pouco. Mas anda a água está incrível!!
– Acredito que sim. Mas sabes que apesar do que aconteceu há minutos, e ter sido fantástico, eu estou a trabalhar e sabes que sou extremamente profissional. Eu avisei-te.
Viu me refrescar e ver o nosso dia de amanhã, os lugares, as saídas, o meu trabalho.
– Mas, mas,!?!
– Sem mas! Eu disse-te que tinhas que me respeitar, ok??
Quase não me segurei ao ver a sua cara, mistura de birra com orgulho ferido mas aquietou-se um pouco. Aproveitei tomei um duche rápido e fui cumprir as minhas funções. Voltei cerca de duas horas depois, o calor da água, o excesso de champanhe adormeceram-na naquela enorme banheira.
Despi a camisa e retirei-a suavemente nos meus braços e transportei-a para a cama, sequei-a levemente e tapei-a com o lençol de cetim pérola brilhante. No seu corpo delineado era uma imagem erótica perfeita, sentei-me no enorme cadeirão e a verdade é que adormeci à velar-lhe o sono, preocupado que acordasse durante a noite transtornada. Tal não aconteceu.
Acordei cedissimo com o gosto doce do seu beijo nos lábios e o seu corpo sentado sobre mim como que a pedir colo.
– Olá! Adormeceste a olhar para mim?
– Estava preocupado contigo, uma garrafa inteira sem jantares em condições não é saudável R… !

 

Dia 2
– Desculpa nem dei por ela, fiquei possessa contigo !!
– Eu expliquei -te, não te menti!
– Eu sei, por isso ainda me irritou mais..
– Sempre queres ir passear na serra agora??
– Claro se aguentares!-  Diz num sorriso trocista.
– Não te preocupes, eu aguento.
– Está tudo pensado, vou-me equipar. Vais ter comigo lá abaixo e arrancamos ok??
– Ok. Respondeu-me
Quando desceu esperava-a de bicicleta de montanha e com ar de gozo disse-lhe:
– Tens aí a tua pasteleira de passeio, não havia com mudanças mas, tu és tão vigorosa que não precisas.
Com olhos de raiva pegou na bicicleta e arrancou. Sai imediatamente atrás, com a irritação parece que levava o demo atrás dela. Mas a meio da serra as forças começaram a faltar, aproveitei a oportunidade.
– Então já acalmaste?
– Parvo só me gozas, não sou uma criança!
– Então não te portes como tal. És linda, incrível, mas tens que me respeitar, certo?
No momento exacto em que digo isto, a menina resolve tirar a camisola mostrando um top curtíssimo que lhe acentuava aqueles seios lindíssimos. E, de imediato tira as calças ficando com uns micro calções que mais pareciam umas cuecas. Coloca tudo na cesta da bicicleta e provoca -me.
– Vamos?
Deus!!!, aqueles glúteos desenhados, pernas musculadas, mais uma vez sinto-me atraiçoado pelo meu membro, não pode ser..
– Olha vamos por aqui, quero-te mostrar algo que descobri ontem!
– Ok, estás encolhido porquê? Diz sorrindo de malícia.
Após uns minutos a pedalar chegámos onde queria, uma cascata de água doce maravilhosa, água cristalina, com peixinhos a brincar e tudo. Em ar de desafio tiro a T-shirt e os calções, nú, digo-lhe:
– Deves estar com calor também?! e, atirei-me à água.
Sem resistir, despiu-se totalmente e juntou-se a mim, o roçar daquele corpo jovial, a diferença de temperatura.
Que loucura me assoma, beijo-a intensamente enquanto a transporto colada no meu corpo para a queda de água. Encosto-a à parede e penetro-a profundamente de uma assentada só. Grita e morde-me o ombro de excitação, a sua respiração acelera e suas pernas fecham-se à minha volta sentindo cada centímetro que a penetra. Acompanha o ritmo da queda de água e ondula o seu corpo sob o meu membro de forma cadente, preencho-a completamente.
Geme cada vez mais intensamente no meu pescoço, num beijo sufocante percebo pelo irradiar de liquido quente no meu sexo que se veio profusamente.
Abraço-a para senti-la estremecer. Adoro as contracções do orgasmo feminino, e enlouquecedor, pego-lhe na mão sorrindo.
Subo os pequenos degraus de pedra, levo-a para trás da queda de água, deito-a nas rochas escondidos dos olhares curiosos.
Absorvo da sua vagina rosada o seu mel, infiltro minha língua e dedos na sua gruta de prazer e antes que atinja o clímax novamente, penetro-a na posição de missionário para que sinta todo o meu corpo a ferver de tesão por ela. a possui-la em cada investida,acelero o ritmo e torturo-a enquanto me pede que me venha com ela.
Paro inesperadamente e recomeço para prolongar o prazer, vimo-nos intensamente num clímax uníssono e esgotante, repousamos, nos braços um do outro enquanto os corpos recuperam a energia.
Desatámos a rir em sintonia.
– Se calhar é melhor descer-mos agora, estou morta de fome!!!
Descemos sempre a rir. Tivemos um almoço leve muito agradável.
Infelizmente o meu feitio de merda vêm ao de cima nas alturas mais impróprias.
– Bem vai descansar. Vou ver o restaurante de logo à noite, para a tua reunião com o director das tuas empresas.
– Não queres jantar connosco?
– E apresentas-me como??  – Olhe divorciei-me há menos de duas semanas e este é o meu namorado!!! Não sou teu namorado R…, tivemos sexo fenomenal, mas sou teu bodyguard. Nem sequer me podes chamar de amante.
– És parvo, bruto, precisas me inferiorizar assim?
Senti-me culpado, como sou bruto que nem uma porta. Virei-lhe as costas e sai do seu quarto.
Fui cumprir o que havia dito anteriormente. Quando cheguei certifiquei-me que dormia no cadeirão que me tinha servido de cama. Encostei-me sem barulho a sua porta e dirigi-me à varanda com disposição para fumar um necessitado cigarro e degustar uma minúscula garrafa de Whisky do mini-bar. Pensando com os meus botões em que raio me vim eu meter???
Bastardo #69Letras
(Continua)