Arquivo de etiquetas: intimidade

Não olhes assim…

Não me olhes  assim…

Não com esse olhar de estares feliz por estares aqui.

É que eu não consigo olhar para ti…

F@di-te em pensamento

Vezes e vezes sem conta…

Saboreei a tua intimidade, com o requinte dos requintes…

até sentia o teu néctar, só de o imaginar.

Mas não me olhes assim…

Não com esse olhar de pessoa com alma…

É que eu não consigo olhar para ti!

Acabei de te f@der, efectivamente,

Mas não saboreei a tua intimidade, com o requinte dos requintes,

nem senti o teu néctar nos meus lábios.

Não me olhes assim…

É que eu não consigo olhar para ti…

©The Oyster 2017 #69Letras


Intimidade e Swing

Já alguma vez se perguntaram o que é a intimidade?
Como é que a intimidade afecta a nossa vida afectiva?
Na nossa opinião a intimidade entre casal tem a ver com a forma com que fomos criados, não só moralmente mas também com o ambiente (casa) e a privacidade que nos foi dada.
Há quem diga que a mulher tem dificuldade em ter uma relação íntima, pois discordamos.
O homem tem mais dificuldade em gerir uma vida afectiva com intimidade do que a mulher, pois esta é mais emotiva e necessita de afectividade, algo que alguns homens temem.
Porque eles fogem à intimidade?
Porque foram criados numa sociedade em que o homem teria de demonstrar a sua virilidade negando as suas necessidades afectivas e emotivas, para ele só existia dois tipos de intimidade:
       – as aventuras eróticas, não tendo relação intima posteriormente ou,
        – Encontrar uma mulher que fosse educada, bonita, não demasiado activa e de poucas palavras e que aceitasse a sua ejaculação precoce.
Com o evoluir dos séculos o homem foi aprendendo a mostrar mais o seu lado afectivo, e as diferenças sexuais foram diminuído.
A mulher por sua vez, quando está disposta a partilhar a sua intimidade de coração, sentimentos, corpo e sexo, alguns factos externos entrepõem-se para impedir essa privacidade.
Esses factores externos têm a ver com o espaço que tiveram desde a infância até à adolescência, em que tiveram de partilhar o quarto com os pais, um quarto de banho público, ou até mesmo para fugir à rotina matrimonial e fazerem amor no carro com as janelas tapadas com jornais.
As relações íntimas entre os casais têm vindo gradualmente a ter alterações positivas, nalguns casos, pois ainda existem diferentes ideias de normalidade sexual.
O que para alguns, a normalidade sexual é entre quatro paredes e só o casal, para outros é ter fantasias e poder ou não realizá-las. As fantasias para poderem ser realizáveis têm de haver comunicação, confiança entre o casal e estarem de acordo.
Se não houver cumplicidade, se for só um a querer realizar essa fantasia, não estando o outro de acordo ou arrastado à “força” para a sua concretização, a intimidade do casal vai-se deteriorando até ao ponto de separação ou aversão do companheiro(a).
O que tem de comum com o Swing?
O Swing tem a ver com a intimidade sexual do casal, o consentimento mútuo, o respeito e confiança, a partilha de fantasias entre ambos. Podermos concretizar experiências a três a quatro, em grupos, realizar as fantasias “proibidas” pela sociedade, mas que para nós nos traz tanto erotismo, excitação que nos leva à loucura, desfrutarmos ao máximo e podermos reviver todas as experiências com o nosso companheiro(a).
Isto sim, é Swing. Não é como a teoria e pratica de alguns casais, que só ficam a ver e ele dá uns amassos à companheira dos outros, mas na dele ninguém pode tocar ou, então eles querem fazer troca mas ela sente-se incomodada por ser tocada por outro homem e/ou mulher sem ser com quem partilha a intimidade.
Se julgam que isto é Swing, então podemos dizer que não têm a mínima noção do que estão a fazer, são casais que têm um intimidade negada e forçada e arranjaram um subterfúgio para manterem o casamento.
Serão bem vindos todos os comentários, sejam a favor ou não.
Um Bem haja para todos.
© Molhadinha 2017 #69Letras

Eu Simplesmente Amo-te |Pablo Neruda |

Eu amo-te sem saber como, ou quando, ou a partir de onde. Eu simplesmente amo-te, sem problemas ou orgulho: eu amo-te desta maneira porque não conheço qualquer outra forma de amar sem ser esta, onde não existe eu ou tu, tão intimamente que a tua mão sobre o meu peito é a minha mão, tão intimamente que quando adormeço os teus olhos fecham-se.
Eu Simplesmente Amo-te
Pablo Neruda
Cem Sonetos de Amor

…sei que estava a cometer um erro, mas era bom demais.

1917576_1644438789135185_3450647220144314681_n

 

A terminar de dar as aulas aos seniores, a preparar tudo para o merecido descanso.
Um bom banho, um bom vinho, uma refeição quente e o descanso dos deuses, era o que mais queria.
De costas para a porta, não senti que tinham entrado.
Sinto umas mãos fortes abraçarem me a cintura.
Virarem-me, agarrou-me na nuca, puxando um pouco os meus cabelos e beijou-me sofregamente e com paixão.
Não tive reacção, mas aquele beijo quente e forçado, fez-me ceder. Deixei a minha boca entreabrir-se.
Quase a perder o fôlego, senti-o afrouxar o beijo, abri os olhos e reparei que era um dos meus alunos.
Tentei escapar das garras dele, mas ele puxou.me mais para ele.
Disse-me que não resistia mais, tinha-me de sentir, de me possuir. Retorqui e disse-lhe que era impossível, questões de ética.
Tentei de novo desembaraçar-me de seus braços, mas ele entalou-me entre seu corpo atlético, torneado e o quadro.
Subiu-me o vestido, senti as suas mãos a percorrerem cada parte da minha intimidade. A minha respiração acelerava e não conseguia libertar-me.
Queria fugir, mas o diabo que ele estava a despertar em mim, queria ficar. Tentei resistir, mordendo o meu lábio para regressar à realidade, mas esse gesto foi como se o incentivasse ainda mais.
Pressionou-me mais contra o quadro, enquanto me beijava senti toda a virilidade dele em mim. Arfei…Afrouxou o beijo e começou a acariciar-me por todo o meu corpo, sempre dentro de mim.
Até me ouvir soltar gemidos de prazer, até ver o meu olhar vidrado de gozo e o meu sorriso de puta satisfeita.
Os meus poros cederam em todos os aspectos.
Disse-lhe que não poderia acontecer de novo. Acenou a cabeça com o sorriso de cabrão.
No dia seguinte, durante toda a aula sentia o olhar dele a percorrer todo o meu corpo e sentia-me a queimar. Sentia-me nua. Terminei a aula.
Ele parecia que não tinha ouvido o que lhe disse na noite anterior, pois voltou a carga e desta vez não lhe resisti.
Queria-o sentir de novo, sei que estava a cometer um erro, mas era bom demais.

Aquela sala de aula………

LOLA #69Letras