Arquivo de etiquetas: intenso

Vintage Car

Conto Erótico | M18 🔞🔞

Demorei uma eternidade para perceber que somos como um carro clássico… com linhas curiosas e cheias de classe, com muitas amolgadelas, que demoram a pegar mas quando começam a trabalhar soam que é uma beleza…

A noite ia longa, bem regada e pautada por uma conversa deliciosa… Devias estar cansado de ver as minhas mãos a dançar na tua frente enquanto gesticulava os meus argumentos que já começavam a fugir conforme esse olhar azul penetrava mais fundo no meu ser inebriado… Continuar a lerVintage Car

Eu e tu… depois das 8…


Texto Erótico| M18

Não preciso de palavras, sabes o que quero… o meu olhar sequioso grita directo à tua libido… Eu sei por esse olhar de malícia que me vais torturar antes de me dar o que quero, então, só por agora,  fecho os olhos e perco-me na doçura do teu toque. A urgência que nos rodeia faz com que em segundos me tenhas nua e escarrachada à tua mercê… Mergulho, entrego-me e ainda assim dizes-te dominado… Continuar a lerEu e tu… depois das 8…

Moço safado…

received_1027469887344668

Texto Erótico!M18

Adoro quando me tentas dar a volta com essa conversa de bandido. Tu bem achas que com meras palavras me tens na mão e até podes ter um pouco de razão… (Sim porque uma boa cama não se nega… e que boa cama é este moço!) Acabo sempre por cair em tentação e ter ali uns bons momentos de intenso prazer.

Levas-me ao êxtase total quando me pegas pela minha cintura e me deitas por cima da mesa beijando cada parte do meu corpo. Vais me despindo sem nunca parar de me beijar. Aquele beijo no pescoço que tanto me arrepia, és um batoteiro pois sabes bem como me deixar cheia de vontades.

Despida e deitada na mesa vais me excitando cada vez mais, percorrendo o meu corpo com a tua boca metendo tua língua dentro de mim, lambuzaste todo… Como adoras o meu néctar e de estares todo tesudo enquanto me excitas mais e mais… Vais usando os teus dedos para me deixares ainda mais molhada. Paras e vens me beijar. Não me deixas sequer te tocar. Não me dás tempo sequer de respirar….
Suplicas que te chupe, que te mordisque o membro…  Adoro que o tenha na boca.
Levantas-me e encostas-me contra a parede gelada que refresca o meu corpo quente, e enfias tudo dentro de mim!! Momentos de prazer intenso, de gemidos constantes, de orgasmos atrás de orgasmos…

Fodes-me tão bem, só tu sabes os pontos certos para me deixares completamente louca, ainda mais do que aquilo que sou.
Mais uma vez ganhas…
Caí na tua conversa e não resisti a tentação.
És o meu vício, a minha paixão sexual.
Quero que me comas todos os dias, a qualquer hora, em qualquer momento, mas claro que me irei fazer sempre de difícil para não ficares com a mania por seres a minha melhor cama…

Little Patrice

Serei ninfo?

Texto Erótico|M18
Dentro do carro vamos em direção daquele Motel que tanto falas. O mar ficou para trás e o desejo aumentou. Adorava que me possuísses aqui mesmo dentro do carro mas tu preferes as quatro paredes. Chegamos. As minhas cuecas estão molhadas. Não aguento mais… Entramos no quarto, a porta fecha e eu já te agarrei. Meu desejo é enorme e até tu te assustas. A roupa cai no chão e tu deslizas para dentro de mim. Ahhh isto é tão bom. Mexo as minhas ancas por baixo de ti e tu entendendo a minha dica, começas a penetrar-me mais fundo e mais rápido. Tu já te vieste mas eu ainda não. “Não pares! Estou quase a vir.” A minha mão desliza para o meu clitóris e começa a ajudar a festa. “SIIIM” Sou envolvida num orgasmo intenso… Ah que isto é tão bom. Exausto deslizas para fora e vais para o duche. Eu sigo-te e começo a esfregar em ti. Sim meu querido, ainda não estou satisfeita. Um duche demorado com muitos beijos e apalpões a mistura. Sinto-me bem contigo mas continuo a não estar satisfeita. Quero-te aqui e agora! Tu sais do duche e secas o corpo, e eu pego na minha toalha e faço o mesmo. Deitas-te na cama. Humm é agora. Salto para cima de ti e começo a roçar a minhas partes íntimas nas tuas. O desejo aumenta, assim como o teu pénis gostoso. Subindo um pouco coloco-o dentro de mim e deixo-o entrar todo. Ah sim… É mesmo disto que preciso. Com movimentos lentos começo a mexer-me em cima de ti, enquanto tuas mãos já deslizaram para os meus seios. Coloco as minhas mãos por cima das tuas e aperto. É assim que gosto – a bruta! Eu começo a mexer com mais rapidez e atinjo um orgasmo intenso. Depois de recuperar o fôlego, desço de cima de ti e ponho-me de gatas. Cabeça na cama e rabo empinado para ti. “Fode-me!” O efeito é imediato. O teu pénis endurece e tu colocas-te por trás de mim, e sinto-te deslizar para dentro de mim enquanto desço a minha mão para o clitóris. Os nossos movimentos estão sintonizados. Uma mão na curva das minhas costas e outra no cabelo. “SIM” atinjo o orgasmo. Tu continuas a penetrar-me com força e acabo por atingir outro. “Ahhhhh, foda-se que isto é tão bom!” Sinto um dedo deslizar para dentro do meu rabo. Humm, adoro. “Vem-te dentro dele.” Tu esboças um sorriso enorme e colocas o teu magnífico pénis com cuidado dentro de mim. Com movimentos lentos começas a penetrar-me. A minha mão começa a mexer com a mesma intensidade. Os movimentos intensificam e aumentam a velocidade. “SIIIIIIIIM!” Atingimos os dois o êxtase ao mesmo tempo. Tu deixas-te cair para cima de mim, e ao fim de algum tempo sais de cima de mim, deitas-te, tapas-te e adormeces. Mas eu quero mais! Não podes dormir.
Serei ninfo ou simplesmente estou cheia de desejos por já não ter tido uma noite de prazer a muito tempo?

 

Assim sou eu…

Carregas uma dor imensa em ti, como se corpos e faces de beleza intensa, estivessem proibidos de carregar sentimentos no corpo sofridos, por apenas ser tão densa essa beleza imensa. Calcorreias em passos de algodão, terrenos movediços e no entanto nessa mão que se estende e se aproxima, palavras soltas em hora de noite ínfima, soltamos feitiços em forma de coração. O passado que nunca quis ser futuro sentido, que me trazia um vazio, tal como outrora casaco vestido, ficou la atrás no silêncio sem memória ou consenso por apenas não ter história de paixão ou sequer amor vadio. As linhas por onde passam o comboio da tua vida, serão guias na minha boca, nesta vontade mera ao mesmo tempo tão louca de não parar em estações, apitar nessa fornalha de comboio a vapor, onde queimaremos a dor, onde nos perderemos de razões, porque a vida não espera, por vontades dúbias ou hesitações. Sim, estou próximo de ti, muito próximo até como sempre tiveste comigo, quando precisei e não estavam ali, nunca desististe, quando choravas nesse olhar triste e te fazia sorrir amei ser o teu ombro amigo, porque a dor que carregas um dia vai passar, entre castanheiros e flor de zimbro vais no meu colo um dia sossegar e seremos apenas uma forma, um lugar de casacos pendurados á lareira a queimar. As vezes procura se sofrer no difícil e tentar amar por ser difícil, quando amar o fácil mesmo sendo dificil também é amar. Não vivo de distâncias, vivo de proximidades, não vivo de exuberâncias, vivo de ditas e sentidas vontades. Assim sou eu…

Uma noite que nunca mais vou esquecer…

Texto Erótico|M18
Há uma noite que nunca mais vou esquecer… Era Verão, por volta da uma da manhã e estava imenso calor. Estava eu a passar na Rua Dr. Manuel Espírito Santo em frente a escola EB 2 e 3 de Luís António Verney quando avisto um casal no pátio da escola aos beijos… Só reparei neles porque não eram meros beijos, eles beijavam-se intensamente. Notava-se bem o desejo mútuo entre eles. Sem consciência do meu ato, escondi-me atrás de um dos arbustos e fiquei a velos. Vejo o homem encostar a mulher a parede e suas mãos deslizarem para um dos seios da mulher, com um movimento rápido sua blusa e sutiã desceram para sua cintura o que deixou a vista uns belos seios espetados. Aquele homem cheio de fome agarra num dos seios e começa a chupar. Vi aquela língua percorrer cada centímetro dela e desejava que fosse eu… Levei a mão esquerda aos seios e a direita a coxa. Como estava de vestido bastou-me deslizar à mão em direção a minha vulva e sentir o quão molhada já estava simplesmente vendo aquele casal se amar. Ele levantou a saia da mulher virou-a de costas para ele e desviando sua cueca penetrou-a bem fundo e forte. Ela deu um grito que se transformou num intenso gemido. Enquanto ele investia nela eu penetrava-me com dois dedos. Os meus movimentos estavam sincronizados com as investidas dele. Levei os dedos a boca para me saborear e penetrei-me novamente… As investidas começaram a ser mais rápidas e os três atingimos a êxtase ao mesmo tempo. Sem dar tempo para recuperar o fôlego apressei-me a recompor-me e a sair dali, para que ninguém me visse. Com passos rápidos encaminhei-me para casa do meu namorado e cheia de desejo passei uma noite intensa e prazerosa com ele.

Peregrinus #69Letras

Imagem: Taylor Hill by Miguel Reveriego

Tenho dias que respiro devagar

12392058_1640197142892683_352132590872963280_n

Tenho dias que o calendário toma conta da razão, quando olho á volta e envolto no senão do que está á minha volta não faz sentido sentir apenas que somos uma voz na multidão. Tenho dias de cinzenta alma, cheia de coisas vazias, esperanças ocas de odes gentis em que te sentes e prazeres erguias para dar prazer a almas também como tu, apenas vazias. Tenho dias que acordado adormeço, sem saber ou sequer ter noção com que linhas me teço e por isso mesmo por aqui me deixo em portas de apreço contido em seios de acolher este tamanho desleixo. Tenho dias em que olho para o passado e fico na vontade colado de pensar que o passado não é mais do que um futuro camuflado de cheiro intenso a fado imaginado em casa em que me sinta aconchegado. E nesses dias de tempo não, viajo sozinho sem bagagem de mão, abandono o meu corpo e deixo me ir na perda da razão e fico ali apenas só e inerte á espera que aquilo que sinto seja apenas dor momentânea, apenas um resvalo do coração.Tenho dias sim que respiro devagar, como se voltasse a aprender a respirar para continuar a me conhecer e no meio do caos voltar a aprender a saber, o que é viver.

O Inquilino