Dolce fare niente…

Mais um fim de semana, mais uma tarde de sábado em que a chuva cai copiosamente lá fora, fazendo com que o sofá pareça o sitio perfeito para me deitar e divagar, deixar os pensamentos ao sabor do vento e entregar-me ao momento.

Os teus lábios despidos…

Adoro sonhar! Imaginar… Dar por mim excitado com as ideias perversas que alguns pormenores femininos me provocam… Uma cintura… Os contornos das nádegas… Uns lábios perfeitamente desenhados… Aquele tipo de lábios que me põe a visualizar como ficaria entre eles… Quase que sinto o calor da boca… Tento prever o gemido… A pressão que fazem…

O Teu Perfume…

Senti… Senti o teu perfume e fiquei sem jeito, sem palavras e sem reacção… Simplesmente deixei de falar, de pensar e fiquei imóvel… Ainda bem que ninguém reparou em mim nem na forma como te fiquei a olhar, pois naquele momento a minha imaginação voou para bem longe dali onde apenas nós os dois pertencemos…

A culpa é tua. Não tinhas nada de trazer esse vestido transparente

Texto Erótico|M18 “- Adoro as tuas transparências… – Eu sempre fui transparente. Não gosto de iludir as pessoas. – E nunca o fizeste mas hoje estás mais transparente que nunca. – Gostas deste vestido? – Adoro! Quando estavas a caminho da casa de banho o Engº Antunes parou no corredor e ficou de olhar lascivo…

Conto – Parte 3

Texto Erótico|M18 O vestido cai e ele fica deslumbrado com o que avista… Um corpo sensual, fartos seios envolvidos no sutiã e na cueca rendada. Aquela roupa interior vermelha torna a menina inocente numa mulher segura e muito sensual. As poucas tatuagens que cobrem aquele corpo tornam tudo ainda mais fascinante. Ele está deslumbrado e…