Arquivo de etiquetas: frio

Este sou eu…e eu, sou só teu!!!

Existem as pessoas que me conhecem e existem as que pensam que me conhecem. Tu és sem dúvida daquelas poucas que me conhecem.

Quem sou eu?!

Sou alguém muito complexo. Sou alguém que por norma “não gosta de pessoas”.

Aquele que cria empatia fácil com as pessoas mas, que rápido se enche das mesmas.

Aquele que em multidões entra em modo de bloqueio, ficando mais calado e reservado.

Sou aquela pessoa a quem o irmão chamou de “frio e calculista”!!

Aquele que dificilmente derramou uma lágrima na sua vida.

Aquele que nunca sofreu de grandes amores, aquele que nunca foi de pieguices e nunca se deu a grandes lamechices.

A verdade é que nem sempre fui assim. Durão ou pouco piegas sempre fui mas, lembro de uma altura em que sentia que existia um coração aqui dentro e não me sentia um ser por vezes estranho.

O que me tornou assim?!? Não sei.

Não sei, onde no meu percurso de vida, me desviei tanto do que sempre fui.

A verdade é que este sou eu agora mas, desde o momento que te conheci, muita coisa tem mudado em mim. Às vezes dou por mim com essa necessidade de te mimar e demonstrar o quanto gosto de ti, o quanto me sinto perdido no teu olhar, preso no teu beijo e no teu abraço.

Tens trazido ao de cima o melhor de mim, o meu lado doce e meigo, o meu lado romântico e dedicado. És sem dúvida como que um anjo na minha vida, a minha salvadora, a minha alma gémea.

Acredito que um dia voltarei a ser quem já fui, por ti, e que continuarei a demonstrar-te dia após dia o quanto te amo e te quero fazer feliz #Vizinha!!

Cada dia a teu lado, cada momento de mão dada, cada canção contigo partilhada nas nossas viagens de carro me fazem nos aproximar mais e mais, nos fazem viver novos momentos de amor e paixão e me fazem acreditar em todo nosso futuro juntos.

Por muito complexo que eu seja, por toda minha frieza que tenha, por ti quero ser alguém melhor e fazer de ti a mulher mais feliz.

Amo-te..

©Ricardo Vieira, Anónimo 69 Letras 2017

Um daqueles dias…

Hoje estou num daqueles dias. Sabem? Aqueles onde só nos apetece ficar em casa a dormir. Esta tanto frio, e eu tão constipada. O meu nariz parece uma torneira enquanto escrevo isto. Estou fodida – e não no bom sentido. Tenho o meu corpo todo a pedir a cama, a cabeça a latejar de dor. E neste dia até me arrependo de ter um piercing no nariz – entendem porque, não? Só de pensar que me tenho de levantar, vestir, passear o cão e ir trabalhar até fico doente. Ah não espera, doente já estou! Bem mas sabem que mais?

Hoje é dia da mulher!

Por isso vou-me arranjar, passear o meu amor e vou trabalhar. Mas só depois de beber o meu café e preparar um chã de gengibre e limão com um pouco de mel. (Receita sagrada da minha mãe para todos os males.) Sou mulher e sou forte. E se esta constipação não piorar eu vou ultrapassar este dia.

Um bom dia a todas as mulheres!

xo

© Peregrinus 2017 #69Letras

Dia e noite em dias de frio e de calor…


Não sou duas caras.
Sou duas almas, duas disposições  de prazer diferentes.
Sou dia e noite em dias de frio e de calor.
Fome e vontade de comer em diferentes horas do dia.
Sou mais do que me conheço e muito menos do que pensas.
Vejo-me como um licor de café em que o leite ameniza… um agri, no meu doce.
Uma besta que precisa de calma,
Um sexo que precisa de amor.
Uma acção, várias sensações.
Uma imensidão de pensamentos, que vagueiam entre os meus “eus”, para poder de certa forma encontrar aquele que mais se adequa, ajustar ambos à unica realidade que aprecio.
Meus “eus”!
Já chega de me deitar com o diabo
E acordar com deus!
Preciso de um balanço,
Mas com todo o respeito.
Apenas um coração.

Krishna #69Letras

Volta Verão, estás perdoado

Chuva/Frio/Cachecóis/luvas/Casacos

Inverno!

A Steel em mim está mais que farta! Se gostasse do frio, tinha vindo ao mundo em forma de Boneco de neve!

 

Meu querido e amado Verão! Volta! Estás perdoado!

Sejam quais tenham sido os motivos das nossas divergências, eu perdoo-te de tudo!

Lembras-te daquela paixoneta de verão que virou um fracasso, considera-te redimido!

Aqueles quilitos a mais depois dos imensos barbecues e gelados ao luar, esquecidíssimo!

Até te perdoo aquele escaldão que me tirou o sono e me manteve longe da praia por algum tempo!

Eu amo-te Verão! Quero-te de volta!

 

Só tu compreendes a minha satisfação pessoal naquelas noites de luar junto à praia, na necessidade física do vestuário reduzido e leve!

Quero voltar a abraçar os chinelos de praia, os óculos de sol e o bronzeador!

Sentir-me livre de pegar no carro e ir até àquela praia onde nudismo é permitido!

Dar as boas vindas à brisa fresca na minha face rosada do sol!

Exijo a presença imediata do sol e do calor!

 

Meu querido e amado verão, volta filho… e disfrutemos dum Cocktail à beira da piscina!

 

 

©Miss Steel 69letras 2017 

Sou Put@, e que? (Parte 1)

Estou num daqueles dias mesmo caóticos. Tudo me corre mal desde que acordei.

Acabei de chegar a casa e tenho de me despachar, pois tenho uma saída marcada com umas amigas. Tiro a roupa e entro para o duche. Abro a agua e: “Ahhh!” Merda não tenho agua quente. Mas que mal fiz eu para merecer este dia tão mau? La tenho eu de me lavar em agua fria. Saio do duche e vou me vestir. Cueca de renda, sutiã com details rendados. Liga? Hum não. Assim como me corre o dia hoje, não vou precisar de liga. Pego no creme hidratante e começo a passar pela perna esquerda. Começo de baixo para cima. Depois de esfregar lentamente pelo corpo fora, meto um pouco de creme na mão direita para poder esfregar no peito e pescoço. Estou quase a acabar quando olho para a janela e vejo um vizinho do outro lado da rua de binóculos na mão esquerda e o seu sexo na direita.

Preciso do vestido. Onde raio esta o vestido? Na sala! Vou lá sem me preocupar se os vizinhos estão a janela e visto. Impecável! Pode ser que a noite me corra melhor. Olho para o relógio: “Merda!” Já estou mais que atrasada.

Peregrinus #69Letras

Fotógrafo: Helder Mendes Photography

DE QUE VALE ANDAR AQUI!

757bfbb1ee1d4c850400bc4fbff6c48b.jpg

De que vale andar aqui…
Se já nada faz sentido…
Minhas noites são desertas…
Que saudades de estar contigo…
De que vale andar aqui…
Se meus lábios estão vazios…
Foram quentes minhas noites…
E hoje morro de frio…
De que vale andar aqui…
Se minhas mãos não te tocam…
Meus lábios não te beijam…
Meus olhos não te focam…
De que vale andar aqui…
Se meu corpo não se cola ao teu…
De que vale andar aqui…
Se o teu Amor não é meu…
Tenho saudades… Tantas…
Da forma como me olhavas…
De sentir o teu cheiro…
E em silêncio me Amavas…
E de que vale andar aqui…
Se quando a saudade aperta…
Meus braços estão vazios…
Minha boca está deserta…

POETA SOLITÁRIO

POEMA SEM PALAVRAS!

received_1209047555795517

 

Hoje nesta madrugada…
Quero que te sintas tão Amada…
Vou escrever Poema sem Palavras…
Só com o Amor que tanto ansiavas…
Tua pele arrepiada, em Braile…
Onde te leio na ponta dos dedos…
Neste Poema sem Palavras…
Revelo-te os meus segredos…
Hoje não vou usar letras ou palavras…
Nem qualquer tipo de sinalização…
O Poema que escrevo na tua pele…
Será escrito com Amor e Paixão…
Na minha boca levo os beijos…
E na Alma a vontade…
De realizar nossos desejos…
De te Amar de Verdade…
No teu corpo tatuo o Amor…
E provoco-te o arrepio…
Quero ser o teu calor…
Nas tuas noites de frio…
Sou o teu Poema sem Palavras…
Escrito numa folha em branco…
Onde no brilho dos meus olhos…
Sabes que te Amo tanto…
E do nosso Amor, fazemos Poesia…
Num Poema nunca escrito…
Onde és tudo que eu Amo…
Mulher… Admito!

POETA SOLITÁRIO