Arquivo de etiquetas: eu

Quem sou eu?

Às vezes gostava de não ser eu.

Gostava de ser outra pessoa.

Gostava de ser uma desconhecida.

E, na verdade, às vezes sinto-me como uma desconhecida.

Não para os outros mas sim para mim.

Sinto que me conheço sem me conhecer.

Por vezes uma mudança é uma tentativa de ser outro alguém.

Uma simples maquilhagem, uma cor de cabelo diferente, um modo de vestir alterado.

Resulta, num espaço de tempo mínimo.

Queria que me olhassem e se perguntassem: de onde vem, que histórias traz, o que pensa, o que faz, porquê. Quem é ela?

Mas quem lhes poderia responder se nem eu própria sei quem sou?

Julgo que me conheço mas será que conheço mesmo?

Daí vem a necessidade de ser outra pessoa, de criar outra identidade.

Descobrir quem sou escondendo o meu verdadeiro eu.

Mas uma mudança não oculta o passado, não muda quem realmente somos e o que passámos.

Depois apercebo-me de que todos os dias sou uma desconhecida.

Todos os dias tenho uma nova identidade.

Rio e sorrio como se fosse a pessoa mais feliz à face da Terra mas o meu coração pode estar a sofrer.

Alego estar cansada quando o que quero mesmo é correr para longe de tudo e todos.

Um simples “está tudo bem” tem oculto um complicado “abraça-me e salva-me”.

Uma frase banal carrega o mais profundo silêncio.

O silêncio esconde as mais sinceras palavras.

Isto poderia fazer de mim uma pessoa falsa. Uma mentirosa.

Mas não faz.

Apenas faz de mim humana.

E por ser humana todos julgam conhecer-me.

Mas não me conhecem.

Como podem conhecer-me sem nem eu me conheço?

Afinal…quem sou eu?

 

© Fox 2017 #69Letras

Amo a vida como Amo alguém

Sou um mero homem…
 
Apaixonado de mil amores…
Por vezes o fogo consome a minha paixão numa tentação assolapada…
Saudades de um amor apaixonado, de um beijo roubado, de um sussurro iletrado.… Soubesse eu de onde venho e para onde vou…
Se que nasci um dia e um dia vou… Mas isso não importa hoje e agora.… Importa o sorriso apaixonado…
A vontade louca de sair de quem sou e ir para perto do que tu viste em mim.… Melhor homem ou melhor pessoa…

Continuar a lerAmo a vida como Amo alguém

A minha SOLIDÃO tão minha

Hoje para variar um pouco vou-vos abrir a minha alma, parte dela pelo menos.
Aqui há pouco tempo, alguém que nos segue na página e conhece a minha verdadeira identidade, pessoa que muito estimo questionou-me se não me sentia Só.
Quem me lê com alguma regularidade deve-me achar um tarado ou pervertido, quem me conhece intimamente sabe que apesar de florear algumas situações e, nunca mencionar nomes todas elas são biográficas e realmente aconteceram em algum momento da minha vida.
Posto isto passo a responder à questão.
A solidão para mim é uma escolha felizmente, não o resultado de algo nefasto ou cruel, como é óbvio.
Não nasci Bastardo.
Desde muito cedo que me sinto um homem de paixões, ou era tudo ou nada, entreguei-me sem restrições nem limites a todos os amores que tive fosse de forma inocente ou deliberada, tentava aprender com os erros anteriores e fazer melhor.
Todos nós sabemos que acabamos involuntariamente por cair nas mesmas armadilhas, nas repetições mais ou menos dissimuladas mas com igual resultado. Mágoa, dor, isolamento, incompreensão, perda de confiança.
Depois do meu último divórcio resultado da minha incontrolável libido e excesso de traições coloquei um basta. Fiz celibato durante perto de um ano e, resolvi renascer para mim próprio, Comecei por isolar o meu coração da mágoa, não falo em erguer muros e paredes que mais cedo ou tarde vão fracturar e cair. Refiro-me exclusivamente à parte dolorosa, alimento o meu coração com as amizades verdadeiras que me têm nutrido o espírito. Com novas amizades como as que descobri neste grupo, que me recebeu de braços abertos a mim e à minha mente devassa.
Alimento-me dos seres magníficos com os quais vou cruzando ao longo do dia a dia e que me mostram, que a humanidade não está totalmente perdida, perguntam-me.
E as mulheres?
As mulheres para mim são algo de maravilhoso, único, amo cada uma intensamente, a minha intenção é, e será sempre o seu prazer e dedico-me com todo o meu ser a esse objectivo, seja uma loura de manhã e uma ruiva ou morena há tarde ou à noite.
E…, não! Não é qualquer uma!
Essa fase passou-me logo aos vinte anos, agora no presente, têm que ter algo que me atice. Seja o olhar ou o sorriso, o cheiro ou o som da sua voz, a malícia ou provocação dos seus trejeitos.
Em dias de sorte tudo isto combinado com o órgão mais sexy que conheço e penso, que as meninas concordaram comigo.
O cérebro.
Vibro com a inteligência, excita-me a incrível capacidade que elas têm de dialogar quase sem falar, a forma delicada do olhar e a expressão corporal que quase inconscientemente me seduz.
É divinal!, Na verdade nem sozinho me sinto só, em casa tenho imensos diálogos unilaterais.
A minha loira de 4 patas ora concorda com os meus desabafos lambendo-me a cara efusivamente ora, discorda e dá-me pequenas marradinhas no toutiço, enquanto observo a imensidão da lua ou plenitude do oceano e absorvo deles a sua energia e paz.
Na verdade, sou uma mente plena de sentidos como todos nós mas no meu caso, meu corpo é uma prostituta de Elite que se dá, não por dinheiro mas algo muito mais valioso.
O prazer de dar prazer.
Grato por me aturarem.
©Bastardo 2017 #69Letras

Não me julgues

Vês-me como uma pedante e autoritária,
Julgas-me pelas roupas requintadas e ousadas,
pela vida mundana que levo,
Será que valerá a pena cobiçares ou criticares?
Estou cansada, farta de ser julgada pelas aparências,
Só quero voltar a ser quem era,
Sem subterfúgios
Farta de fazer boa figura à frente de outros,
de alguém que não sou
Quero voltar a ser humana,
Quero chorar, em vez de mostrar um sorriso amarelo
Quero gritar e dizer DOÍ, doí ser magoada
Dar sem retribuição,
Quero ser abraçada em vez de ser sempre eu abraçar 
Quero sentir-me precisa, em vez de precisarem sempre de mim,
Quero tirar este peso do coração e partilha-lo com alguém que saiba o que preciso.
Não quero ninguém que ande lado a lado comigo só por cobiça
Quero que caminhem pelo que eu sou.
Não sou mais nem menos que ninguém,
Sou como sou, 
Vivo a minha vida e não a dos outros.
®Lola 2017 #69Letras

Expectativas.

As expectativas inocentemente ou ingenuamente criadas, sem nos darmos conta, são f@didas…

Disse.. ” f@didas” ?

Perdoem!

Mas é que são mesmo f@didas.

Não tenho outra palavra para caracterizar, se não esta.

As minhas dilaceraram-me.

Rasgaram-me as entranhas.

O mais estúpido?

Não me ter apercebido de que as tinha, até, num imprevisto, as terem assassinado.

Deitado por chão!

Aquela sensação de vazio que entra e corrói todas as veias, artérias e instala-se num lugar chamado coração.

O melhor a retirar?

Sim… em cada lado mau existe sempre um lado bom.

O “bom” foi aquele vazio transformado em força, em coragem, em tomates para agarrar a vida.

O “bom” foi aquela sensação de ” não valer a pena”, marcada na alma, afastada com um grito de guerra, com um exorcismo de batalha, onde a vencedora…  FUI  EU !

®The Oyster  2017 #69Letras


Meus pensamentos libertos

A liberdade dos meus pensamentos ultrapassam a razão do meu intuito.

 

Levam-me além fronteiras num imaginário sem fim.

 

Lá sou verdadeiramente livre. Sem regras ou leis que me prendam.

 

Sou um EU na mais pura das essências. Sou somente EU. E mais ninguém.

 

Se sou libertina, ambiciosa, deliberada ou depravada; só à minha imaginação lhe cabe o lugar.

 

Lá posso ser a mais bela flor de todos os jardins, sem falhas ou imperfeições. Meu mundo perfeito. Ninguém tem entrada porém dou a conhecer.

 

Não para me vangloriar mas para servir de exemplo. Dar esperança! Que afinal há um lugar especial onde tudo pode acontecer.

 

©Miss Steel 69letras 2017 

Dona e senhora de mim

Enquanto vejo a minha vida em slow motion, respiro e dou um tempo ao EU em mim.

Meu tempo, meu EU.

No meio de tantos outros EUs, estou eu de frente á passadeira da vida, à espera que o sinal verde me autorize a avançar.

Uns passam devagar sem influenciar o equilíbrio do meu EU mais frágil e sensível.

Outros aceleram agressivamente com as rodas por cima dos meus pés cansados de palmilhar quilómetros no deserto da vida, sempre com vista para o mar como quem atiça os sentidos.

Parada e imóvel, deixo-me ficar. Vendo os EUs  num delírio dos afazeres com prioridades desfasadas e contrárias às condições humanas. Tudo parece ganhar um relevo muito importante quando se trata de desejos e umbigos egocêntricos.

Eu prefiro parar. Olhar em redor e respirar cada essência de todos os EUs da minha vida e capturar no meu coração os que se fundem em mim. Aqueles que teimam em não largar o meu EU.

Os doces EUs da minha vida.

Há seres humanos que vêm a este mundo adocicar outros mundos cujos os quais se enquadram no meu. São EUs que num ápice passam a TEUs e no meu EU se ficam.  Seres demasiado raros e poucos numa vida tão preenchida.  Mas são meus e uma vez tatuados no meu EU,  jamais saem do meu tempo.

Impregnados na minha vida e subtilmente elevam o EU que por vezes nem eu própria o estimo.

Uns chamam de EGO e outros de mau feitio mas eu prefiro chamar

o EU do meu TEMPO.

 

©Miss Steel 69letras 2017