Arquivo de etiquetas: esperança

Cadeado no coração

Quantas vezes abrimos e fechamos a sete chaves o nosso coração?

Quantas vezes introduzimos as chaves erradas para abrir o nosso coração?

Quantas vezes foram as cópias que utilizamos para mentir ao nosso coração?

Foram tantas, perdemos a contagem.

Mas, mesmo assim, não perdemos a esperança do dia D, ser o dia em que a chave entra na perfeição e quebra.., Para nunca mais se fechar.

Aí então, sabes…Sabes que encontraste a peça única que te preenche e te enche o teu coração de alegria e Amor.

Nessa altura sabes que por muitas vezes que te tenhas fechado, valeu a pena esperares, para seres feliz.

©Lola #69Letras

A nossa saudade

Sobre a saudade…

É tão profunda quanto viver num sono acordado esperando e ansiando o próximo encontro.
É tão doce quanto o sorriso que a memória me causa, tão cinzento quanto o mundo é quando estás longe.

É libertador, como se soltassem as amarras do meu coração e ele batesse livre quando se encosta ao teu.
É doloroso, porque ele palpita em soluços magoados quando nos obrigam à distância…

É professora… Ela ensina-me a arte da paciência, da espera, da esperança.

Continuar a lerA nossa saudade

A última palavra

Sentou-se junto dela e ficou em silêncio, a olhar as ondas que se desfaziam em espuma na areia branca.
Ela também ficou em silêncio.
Ele desviou-lhe da cara os cabelos dourados.
Ela chorava em silêncio.
E o coração dele também começou a chorar.
“Desculpa por…” começou ele, mas ela interrompeu-o.
“Não digas nada. Nunca disseste nada. O silêncio é a tua melhor palavra.”
Ele sabia que ela tinha razão.
Nunca foi capaz de lhe explicar o que aconteceu, porque se afastou, porque a deixou sozinha sem nenhuma justificação.
Apenas se calou e saiu da vida dela sem uma palavra.
O silêncio foi a sua última palavra.
Mas a dor que sentia no coração não ia deixar que, desta vez, o silêncio fosse a última palavra.
Levantou-se e com o indicador escreveu na areia molhada.
Quando acabou, aproximou-se dela, limpou-lhe uma lágrima e beijou-lhe os cabelos.
Ela não falou, não se mexeu.
Apenas deixou que mais lágrimas caíssem pelo rosto.
Ele foi embora, deixando um rasto de pegadas atrás de si.
Ela olhou para trás e, quando já não o conseguia avistar, levantou-se e aproximou-se da areia molhada em que ele escrevera.
Um sorriso surgiu entre as lágrimas.
“Amo-te.”

© Fox 2017 #69Letras

Suspiro…

Pode significar uma infinidade de coisas…

Os meus ultimamente sabem à falta que me faz…

O enfado que é estar longe, obrigatoriamente longe…

As memórias boas que assaltam o pensamento e fazem disparar o coração… Continuar a lerSuspiro…

Olha à tua volta, és feliz?

Ás vezes pergunto-me a mim próprio o que me dói…?


O que me dói és tu! É a falta que me fazes!
O que me dói são as recordações… as nossas recordações.
O que me dói é este amor, que um dia eu sei e senti que foi recíproco… era tão grande, tão intenso, tão feliz… que mesmo não acabando, acabou.


Olha no que nos tornámos…


Olha à tua volta, és feliz?

Eu não e tenho para mim que tu também não!
Andaste a vida toda à procura do supra-sumo do amor… E quando o tiveste, não aguentaste, não soubeste o que fazer e talvez por medo… fugiste, desapareceste!


Amo-te tanto quanto me dói e não acredito que algum dia te esqueça.


Tenho tudo para seguir em frente… mas sem ti não há futuro que me valha.
Sou filho da esperança e teimoso de nascença…


Não desisto de ti, por nada!
Prometo! Podes crer!


Que fique escrito para toda gente ver!
Ainda vou voltar a ser o lamechas que mete nojo… Ainda te vou voltar a abraçar!
Ainda vou voltar a passar noites em claro enquanto te vejo dormir!


Nem que seja a última coisa que eu faça, mas ainda te vou fazer voltar!


SilentSoul #69Letras

Cuidado! A vida é muito curta para ser pequena

Cuidado, a vida é muito curta para ser pequena. É preciso engrandecê-la. E, para isso, é preciso tomar cuidado com duas coisas: a primeira é que tem muita gente que cuida demais do urgente e deixa de lado o importante. Cuida da carreira, do dinheiro, do património, mas deixa o importante de lado. Depois não dá tempo.

A segunda grande questão é gente que se preocupa muito com o fundamental e deixa o essencial de lado. O essencial é tudo aquilo que não pode não ser: amizade, fraternidade, solidariedade, sexualidade, religiosidade, lealdade, integridade, liberdade, felicidade. Isso é essencial. Fundamental é tudo aquilo que te ajuda a chegar ao essencial. Fundamental é a tua ferramenta, como uma escada.

Uma escada é algo que me ajuda a chegar a algum lugar. Ninguém tem uma escada para ficar nela. Dinheiro não é essencial. Dinheiro é fundamental. Sem ele, você tem problema, mas ele, em si, não resolve. Emprego é fundamental, carreira é fundamental. O essencial é o que não pode não ser. Essencial é aquilo que faz com que a vida não se apequene. Que faz com que a gente seja capaz de transbordar. Repartir vida. Repartir o essencial, a amizade, a amorosidade, a fraternidade, a lealdade. Repartir a capacidade de ter esperança e, para isso, ter coragem. Coragem não é a ausência de medo.

Coragem é a capacidade de enfrentar o medo. O medo, assim como a dor, é um mecanismo de proteção que a natureza coloca para nós. Se você e eu não tivermos medo nem dor, ficamos muito vulneráveis. Porque a dor é um alerta e a dor nos prepara. É preciso coragem para que a nossa obra não se apequene. E, para isso, precisamos ter esperança.

E, como dizia o grande Paulo Freire, “tem de ser esperança do verbo esperançar”. Tem gente que tem esperança do verbo esperar. E esperança do verbo esperar não é esperança, é espera. “Ah, eu espero que dê certo, espero que resolva, espero que funcione.” Isso não é esperança. Esperançar é ir atrás, é se juntar, é não desistir. Esperançar é achar, de fato, que a vida é muito curta para ser pequena. E precisamos pensar se estamos nos dedicando ao importante em vez de ao urgente. Tem gente que diz: “Ah, mas eu não tenho tempo”. Atenção: tempo é uma questão de prioridade, de escolha.

Quando eu digo que não tenho tempo para isso, estou dizendo que isso não é importante para mim. Cuidado, você já viu enfartado que não tem tempo? Se ele sobreviver, ele arruma um tempo. O médico dizia “você não pode fazer isso, tem de andar todos os dias”. Se ele enfartar e sobreviver, no outro dia você vai vê-lo, às 6 horas da manhã, andando. Se ele tinha tempo, que ele teve de arrumar agora, por que não fez isso antes? Você tem tempo? Se não tem, crie. Talvez precisemos rever as nossas prioridades. Será que estamos cuidando do urgente e deixando o importante de lado? Será que não estamos atrás do fundamental, em vez de ir em busca do essencial? E assim, contribuir com meu verso!

Texto de: Mario Sergio Cortella

Liberta-me…

Chega de protelar o viver, deixar para amanhã e não fazer acontecer, de me render às idiossincrasias que me são impostas, as minhas vontades torná-las expostas, não ligando ao politicamente correcto, ou a tudo que dizem ser moralmente certo, voltar a ser eu como sinto e como sou e deixar para trás tudo o que me mudou.

Não adio mais a minha vida, esta que anseia para ser vivida, o turbilhão de sentimentos que me habita, nesta Alma inquieta e aflita, que vive uma vida de desilusões e enganos, que ao longo de tantos anos, me deixa assim sem reacção, por não me poder entregar à paixão, de usar como quero o meu querer, acabando por ao destino me render.

Por isso digo chega, a tudo o que o corpo e a Alma renega, vou fazer o destino acontecer, render-me ao que sinto e ao prazer, viver como se não houvesse amanhã, largar esta estúpida esperança vã, de um dia encontrar a felicidade, mas fazer por torna-la realidade, entrego o corpo ao desejo, a Alma ao que ensejo, um dia de cada vez, deixar para trás toda a minha insensatez.

Miss Kitty #69Letras