Arquivo de etiquetas: escrever

Deixa-me contar-te uma história sobre o tempo…

Texto Erótico|M18

Foram dezoito minutos desde o momento em que te encostaste a mim, até que acabou. Dezoito eternos minutos…
Costumam ser seis.

Assim que me deitei, como em qualquer outra noite, encostaste-te a mim, desviaste o meu cabelo que te atrapalhava e beijaste-me o ombro…
Com o teu roçar no meu corpo, eu já sabia o que viria a seguir.
Como todas as noites em que me deito e ainda estás acordado. Porque todas as noites são iguais…
A tua mão que desliza pela minha coxa, que me puxa a roupa para baixo. Puxas-me para ti.
Notas o meu desinteresse e tentando captar o meu desejo, desces a tua boca até ao tesouro do qual te julgas dono e senhor…
Fecho os olhos…
Penso em tudo menos em ti, penso em tudo menos em s3xo.

Caramba, devia ter ligado para desmarcar a consulta de amanhã esqueci-me! Concentra-te.

Abro e fecho os olhos mais uma vez. Sinto a tua língua…
De repente a conversa com uma conhecida a propósito das crianças e as alergias irrompe pelo meu pensamento e volto a abrir os olhos.

Tenta-te concentrar! Não é este o momento… Pensa nisso depois!

A tua língua continua empenhada em fazer-me vir e eu gemo… É o mínimo que posso fazer para dar um sinal a ti que ainda estou “viva”.
Fecho os olhos e recorro ao arquivo…
Aquele. Sim, aquele! Pensa nele agora, imagina que é ele. Aquele, daquela aventura que te fazia encharcar as cuecas só de te sussurrar ao ouvido… Sim, esse!
Não. Não funciona. Esse tinha um toque diferente, uma língua que não se mexia assim, tinha umas mãos que percorriam o teu corpo à medida que te comia fervorosamente…
Inventa, disfarça, finge… Ahhhh!
Com a excitação, nem percebeu.

“Já te vieste?”

Respondo que sim, respirando mais rapidamente para dar essa sensação.
Viras-me de costas para ti, penetras-me. Uma, duas, três, quatro vezes. Gozas. Acabou.
Fumas o teu cigarro à janela da casa de banho, eu fumo o meu, no terraço, embrulhada na 1a peça de roupa que encontro minha…
Como todas as noites, deitas-te e dormes.
Eu fico um pouco mais, acordada. Fumo outro e outro cigarro.
Agora sim, o “outro”, “aquele” vem-me ao pensamento…
Com ele as noites eram infinitas.
Mas essa é outra história…
E para essa história, eu precisaria bem mais do que dezoito minutos…

QueenP

Cair no cliche de uma rosa

Não sou de bombons e ramos de flores caríssimos naquelas datas dadas aos clichés normais mas…

Apeteceu-me! Vi alguém com uma rosa na mão e cobicei! AHHH Que pessoa horrível que sou, já sei! Mas assumo a minha pequenez ao sucumbir a tais normalidades.

A vulgaridade de uma simples flor, meio despida e ausente de ligação à terra.  Límpida. No entanto tão crua e dura, parece ainda conectada à origem silvestre.

Apetecia-me recebê-la, abraçá-la numa partilha de sentimentos, de igual modo, repleta de clichés também. Mas não…

Não me pertence. Não sou eu. Inadequado. E afinal do que sou?

Se não sou de clichés ou de vulgaridades, tudo dentro das normalidades, que raio sou?

Serei de palavras desenhadas no vento, que depressa se apagam, na esperança que o tempo não as abafe?

©Miss Steel 69Letras 2017

Sinto-me teu

Sabes,
Gosto de sentir a tua boca na minha naqueles fins de tarde esquecidos à beira mar,
naqueles em que o sal se crava sem aviso na nossa pele e torna os nossos beijos quentes e salgados.

Continuar a lerSinto-me teu

Dia de chuva, no meu coração

Hoje acordei sem sentido, sem vontades nem ilusões, desprovido de sonhos, despido, perdido nesta cama longa e esquecida.
Ao meu lado, apenas o nosso leito de amor agora quieto, onde um dia te deitavas e me acordavas com esse olhar de menina.
O teu cheiro já cá não está, a tua pele macia há muito que me deixou sem reservas e se apagou das minhas lembranças.
Sabes, hoje chove lá fora.
Sei que gostavas dos dias em que a chuva nos fustiga as vidraças e nos convidava a um abraço apertado com sabor a café quente acabado de fazer.
Sabes que eu gosto, porque a chuva que cai em abundância lá fora aquece-nos a nossa alma cá dentro, mima-nos o ventre, massaja-nos o sentir, quando na cama juntos partilhamos o amor.
Gostava de a partilhar contigo, de chapinar nos teus abraços, de correr ensopado pelo teu corpo em busca de um abrigo secreto para me aconchegar.
Onde estás?
Porque estou eu a assistir a esta chuva sozinho?
Porque não está o teu corpo colado no meu neste dia de manhã cinzenta?
Tenho saudades dos teus sinais, e dos teus ais….
E do teu olhar profundo, tão profundo que chego a ver o cintilar do teu coração.
Onde estas….?
Sem ti, sinto-me perdido nesta vida que inventaram para mim neste dia de chuva no meu coração….
#PSassetti #69Letras 15.05.2017

15 Minutos

Qual a possibilidade de seres melhor do que a minha expectativa?
Não julgava possível até ao momento que te vi, te ouvi, que te olhei nos olhos e apreciei toda a tua beleza.
Desde o sorriso ao olhar, à inteligência das tuas palavras, ao tom da tua voz e pela forma como seguras o cigarro, tudo isso me leva a querer te ver novamente.
Foram 15 minutos mas acredita que pareceram 15 segundos, e nesse pequeno período de tempo fiquei feliz e contente por poder imaginar como serás nos próximos 15…
Até já…

© O Vizinho #69Letras 2017

Pai de Minha Mãe

“Mãe mãe mãe!!”
Bem chamo por ti mas tu não respondes, nada dizes… Preciso de ti e tu não estás aqui…
Nem sempre foi assim. Sempre que precisei de ti estiveste lá para me acudir e me dar mimos. Mas agora a história é outra. Quem precisa és tu, quem necessita de cuidados és minha Querida e Adorada Mãe! Se soubesses o quanto me dói ter que te lavar, preparar a tua refeição e dar-te de beber…
Chegou a minha vez, não é Vida? “Filho és, Pai serás!” sempre me disse meu Pai.
Mãe, neste dia de celebração deveríamos estar num restaurante todo fino e elegante mas preferimos ficar no teu quarto, tu na cama e eu na poltrona e desta forma celebramos o teu dia, o dia da Mãe.
Mas para nós é isto todos os dias…
Feliz dia Mãe mulher da minha vida…

© O Vizinho 2017 #69Letras

De férias mas perto do teu corpo

Texto Erótico|M18

Estamos de férias, finalmente.
Escolhemos Varadero. Clima quente, as melhores praias, ideal para relaxar depois de um ano inteiro de trabalho.
Estamos casados à 2 anos, dois Touros, dois teimosos mas muito apaixonados. Desde o primeiro momento que nos conhecemos que nunca mais desgrudamos, não saberia viver sem ti.
Chegamos ao hotel, pousamos as malas e fomos a correr como dois adolescentes para a praia… é fantástica, e como era de esperar, areia branca, mar azul turquesa, música cubana invade o ar, cheira a verão e estou neste paraíso com o meu amor.
Tu corres para o mar, deitas a t-shirt para o chão e entras a mergulhar. Eu sento-me numa das espreguiçadeiras a observar-te ainda a captar tudo o que me rodeia.
Estou feliz… sou uma mulher de sorte, e tu estás lindo nessa tua pele morena, corpo magro ligeiramente musculado, estou a adorar a vista!
Apercebes-te que te olho com safadeza e desafias-me a entrar na água.
Vou ao teu encontro, a água está quente como era de esperar… Tu estendes a mão para mim e olhas-me nos olhos, esses olhos pequenos cheios de ternura, que ficam ainda mais verdes quando estás moreno.
Puxas-me para ti e beijas-me com intensidade… ahhh! Esses lábios carnudos como adoro.
Envolves-me num beijo demorado sugando-me os lábios…  Fiquei acesa só com o beijo e apercebo-me da erecção visível nos teus calções. Esse pau já chama por mim. Agarro-o dentro dos teus calções e ponho o para fora, adoro vê-lo, é enorme, viril. Começo a masturbar-te, estamos com a água pela cintura, tem pouca gente na praia estamos em Setembro e já não tem tantos turistas.
Tu puxas a parte de cima do bikini para baixo, queres os meus seios, estão arrepiados para ti, pegas-me no ar e pões-me no teu colo, com as minhas pernas abraço a tua cintura, chupas os meus seios um de cada vez e mordes, tu sabes o que eu gosto, sabes como me fazer gemer.
Beijas-me sem parar.
De repente apercebemo-nos de alguma agitação à nossa volta e gritos vindos da praia… olhamos para ver o que se passava, vinha aí tempestade, ficou o céu negro de repente, chuva e vento vinham na nossa direção, as pessoas fugiam do temporal com receio… Tolas…
Eu quero aproveitar tudo, até este temporal, duas tempestades no meio da água… fiquei ainda mais exitada pela situação toda… não podemos parar, e sem demoras puxas a minha cueca do bikini para o lado e entras em mim… começas as tuas investidas fortes, ahhh! como adoro senti-las! Agarras o meu rabo e ficam ainda mais fortes enquanto mordes o meu seio…
Eu cravo as unhas nas tuas costas e gozamos em uníssono, foi sempre uma das nossas características e é maravilhoso sentir o teu pau a jorrar dentro de mim enquanto a minha vagina se contrai em torno dele ordenhando tudo para mim.

Ficamos assim parados a olhar nos olhos, “dizemos tantas coisas assim, não é? ”
No meio daquela tormenta o que acaba de acontecer foi fenomenal, ficando uma sensação de plenitude dentro de nós… Sempre foi uma das minhas fantasias e talvez por isso tenha sido tão bom.
Voltamos para o quarto sem pressas de mãos dadas no meio daquela chuva toda.
Entramos, tu abraças-me e dizes-me “Amo-te mais que tudo nesta vida… ”
Adoro quando me olhas assim.
“És tudo para mim, meu mundo, Amo-te”

Nefertiti