Não há amores perfeitos

“Sinto-me vivo! Sinto-me amado!” E que bom seria que todos se sentissem assim, rejuvenescidos, de sorriso e coração aberto para o Mundo. Nem sempre é fácil, sei disso, mas só acontece se estivermos dispostos a[…]

Continue reading …

Nós também gostamos disso…

“Tarado!” Ultimamente só recebo elogios destes. Sim elogios, leste bem pois eu considero que quando o fazem é sempre com um sorriso safado nos lábios. E confesso que me aproximo muito desse registo de safadeza[…]

Continue reading …

E agora, quem sou eu?

Já não sei escrever. As palavras ferem o meu silêncio. E é uma luta dentro de mim. As palavras que se embrulham na minha garganta. O silêncio que se mata para ser mais forte. E[…]

Continue reading …

Exteriorizações da memória

Confesso que precisei de saber. Precisei de saber se realmente valeria a pena esperar e lutar por ti. Não foi fácil estar horas deitado no sofá a ouvir aquelas memoriosas músicas do VH1 que me[…]

Continue reading …

Como nunca

Mostra-me o que nunca vi. Olha-me como nunca me olhaste. Escreve-me a carta que nunca li. Beija-me como nunca me beijaste. Sorri como eu sorrio para ti. Toca-me como nunca me tocaste. Sente-me como nunca[…]

Continue reading …

Pára!

Pára. Olha para mim E diz que me amas. Não olhes para trás Enquanto a chamas. Pára. Pega-me na mão Leva-me numa viagem celestial. Não pegues na mão dela Nem a leves numa viagem angelical.[…]

Continue reading …

Pequenos gestos

Aparece. Quero ver o teu ser. Olha. Quero perder-me no teu olhar. Sorri. Quero sonhar com os teus lábios. Aproxima-te. Quero estremecer com a tua presença. Toca. Quero arrepiar-me com a tua pele. Respira. Quero[…]

Continue reading …