Tocas-me com esses dedos atrevidos…!

  Tocas-me com palavras temperadas de versos ritmados que cantam saudades dos tempos recheados de especiarias variadas. 1 ramo de desejo, gramas de sedução, uma pitada de escuridão e uma malagueta de ardor foi assim servido o pecado que me aprisionou. Tocas-me com esses dedos atrevidos sedentos em mergulhar no doce pecado… Mergulha fundo, brinca…

Não somos ejaculadores precoces

Não somos ejaculadores precoces, somos amantes dedicados gostamos de fazer amor por tempo indeterminado. Amar à pressa com prazo de acabar não é para nós. Brincamos com as sensações e prolongamos o prazer num pára e recomeça, acelera e trava sem tempo de acabar. Acabar. Nunca chegamos a acabar estamos sempre a renovar os gemidos…

Tu sabes quando é amor…

  Tu sabes… Tu sabes quando é amor… Quando o teu corpo fervilha porque tens certeza que este é o caminho mais certo. Eu sei! Não porque ele me diz que me ama… Mas porque eu sinto… Verdadeiramente sinto sem “comos” nem “porquês”. Sem “quandos” nem “ondes”. Só “quem”. E o quem sou eu e…

Qual cama qual ninho!

  Qual cama qual ninho! Gosto é de me enroscar no teu colo quando te sentas na tua cadeira de descanso. Quero é o meu corpo livre de roupas em cima da tua pele também nua… es quente. No teu colo, Esfrego-me Enrosco-me Encosto-me Desencosto-me Cheiro-te Embriago-me Enlouqueço Umedeco…. e eu quero-te e tu negas,…

Nutre-me com o pecado.

  Pecado. O supra alimento que suja a minha alma mas que a sacode, faz rejubilar e rejuvenescer a menina que tem tanto de doce como de safada, e se tu te assustaste foi porque não leste as entrelinhas e se não as soubeste ler e achas que precisas de um manual de instruções é…

borrei a pintura dos olhos

  Na escuridão daquele recanto, borrei a pintura dos olhos com lágrimas que escorreram para o teu peito, e tu, nem te apercebeste. Em silêncio chorei com a cabeça no teu peito, enquanto te ouvia contar sobre quando achaste que tinhas encontrado a mulher da tua vida. No silêncio físico, até a respiração contive para…

Esta tortura a que te submeto é a mesma a que me sujeito.

Segue-nos no facebook! Esta tortura a que te submeto é a mesma a que me sujeito. Tu estás aí e eu aqui a querer-te dentro de mim. Privo-me de ti apenas para te ter a suplicar pelo meu corpo nas raras vezes em que atendo as tuas chamadas. Eu não te vejo, e tu não…