Sai voando de mim

Suspensa entre infernos… Não quero pena, nem compaixão. Só que me deixem em paz na solidão do abandono. Já perdi o suficiente…  Não quero perder o pouco amor próprio que tenho. Sem família e sem passado,  de que me resta viver senão do presente. Das possibilidades do amanhã. Daquilo que poderei sentir amanhã, sim porque…