Por me ter afogado em ti.

Que sede. Que sede esta que tenho neste deserto de desejos. Que sede maldita que me enlouquece. Que sede perversa que adoro e me arde na pele. Que sede esta que aumenta quando te revelas. És um rio que corre para mim, um oásis de perversão, uma fonte que jorra para mim sem controlo, és…

DESEJO ANIMAL

Vem depressa por favor… Acalma-me esta urgência… Arranca de mim esta dor… De toda esta carência… Hoje quem manda sou eu… Vem, arranca-me a roupa… Toca-me como só tu sabes… Não pares, deixas-me louca… Devora-me com gosto… Usa-me para teu prazer… Sente-me, faz-me vibrar… Tens tudo o que podes ter… Encosta-me contra a parede… Com…

QUERO-TE TANTO!

Quero-te tanto, mas tanto… Que o tanto é tão pouco… Onde o pouco deste tanto… Deixa-me completamente louco… Sim, eu sei… Que estou um pouco louco… Como se fosse possível… Ser louco só um pouco… E é nesta vontade… Que tenho, de tanto te querer… Que a pouco e pouco… Me faz enlouquecer… Quero-te tanto,…

Oh inferno que me fazes passar sabendo que não te posso tocar nem sequer falar .

Não sei que tens mulher para mexer assim comigo . Consegues desconcentrar me sempre que penso em ti . Passo as reuniões com um sorriso estúpido na cara e com um tesão descomunal . Oh inferno que me fazes passar sabendo que não te posso tocar nem sequer falar . Já passou tanto tempo e…

Contagio-te com esta vontade

  Contagio-te com esta vontade, faço-te derreter com palavras de desejo, respiro fervura… aqueces e deixo-te duro, não existe brandura… ferves aí longe de mim, desinquieto a mesma luxúria que em mim provocas. Enlouquecemos os dois, amaldiçoamos a distância e agarramo-nos às palavras sentimo-las a lamber-nos a pele com candura e penetrar-nos lentamente e bem…

Vou enlouquecer!

Conto erótico Vou enlouquecer! Estava eu tão sossegada que até parecia uma menina linda de tão bem comportada. Mas não! Tive de arranjar lenha para me queimar. Andava eu tão tranquila no meu jejum e tinhas de vir com propostas decentes e asteriscos indecentes. Os meus olhinhos brilharam assim que compreendi as entrelinhas. ‘Finalmente’ –…

Não digas nada!

Não precisas. Não preciso que digas que gostas de mim, Que tens vontade de me beijar, De me agarrar, De te passeares pela minha pele branca, Que o meu sorriso te aquece, Que a minha voz te enlouquece. Não digas nada! Sabes porquê? Porque os teus olhos dizem tudo!