Arquivo de etiquetas: emprego

“Se brilhas ficam cegos, se falas têm raiva e se sorris desejam que não dure”

http://natalequandoamulherquiser.pt/os-teus-pequenos-prazeres-dependem-de-ti/

Faz um like e vive momentos Carolans!  PASSATEMPO CAROLANS

Num mundo onde nem tudo depende de nós, encontrei apenas uma de duas soluções. Ou ficava zangada com a vida e tornava-me em mais uma das milhentas pessoas que julgam tudo e todos e que passam o tempo na fofoquice e a descredibilizar as escolhas dos outros ou procurava no meu dia-a-dia os meus pequenos prazeres.

Decidi que por mais trambolhões que já tenha dado não me ia juntar ao grupo dos resignados que é composto por pessoas zangadas cheias de ira e agem para com os outros com índice de sarcasmo elevado, insulto ou raiva. Não! Decidi não estar furiosa por ainda não ter realizado os meus sonhos.

Mantenho este sorriso de quem acredita que está prestes a viver o seu sonho, o meu olhar ainda brilha de inspiração, o entusiasmo mantém-se sempre que falo sobre onde quero chegar e continuo a encorajar outros tantos sonhadores e lutadores mesmo que ainda eu mesma não tenha conseguido alcançar os meus sonhos. De que nos serve menosprezar as vitórias dos outros só porque não conseguimos vencer? É num mundo contrário que quero viver onde aplaudimos quem não desiste, onde sorrimos genuinamente com a felicidade do outro.

Enfatizamos os nossos dias com insatisfação, monopolizamos conversas com tudo o que não tem a ver connosco que perdemos o nosso centro. O nosso eu, distancia-se, perdemos a sensibilidade de quem somos, do que realmente queremos individualmente, e quando damos por nós queremos o mesmo que toda a gente, seguimos a mesma direção até que chega uma altura que nos falta algo, não sabemos o quê. Cometemos erros uns a seguir aos outros na busca desse algo que nos falta, fazemos escolhas e loucuras, e quando paramos estamos perdidos. Perdidos de tudo, e principalmente de nós.

A vida já é demasiado complexa para vivermos nela sem nos conhecermos.
Não percebo nada da vida, e tenho demasiado a aprender, mas tenho uma certeza, busco-me.
Oiço-me.
Sinto-me.
Permito-me.

Este é o meu sonho, encorajar as pessoas a olharem para dentro de si, a descobrirem como podem melhorar a forma como começam ou terminam o dia. Nem sempre é possível termos o emprego dos nossos sonhos, e naturalmente que perdemos um pouco do nosso brilho após 8 horas diárias, mas, e se no tempo que nos sobra fizéssemos algo que pudéssemos controlar? Algo que amássemos? Tantas vidas ficariam mais leves se encontrassem também os seus pequenos prazeres.

O meu prazer, está na escrita. Nela encontro-me nela me perco. Nela sonho encontro o meu equilibro.
Se nos centrássemos mais em nós certamente suportaríamos mais facilmente as conquistas dos outros. Acontece que tantas são as pessoas que ficam cegas pela inveja. É tão fácil desvalorizar os outros quando somos tão pequeninos.

A tua ousadia é ofensa, as tuas conquistas urticária mas as tuas quedas são o arco-íris num dia de chuva.
Os pequeninos ficam ali no buraco mal cheiroso apertado e encurralados a verem-te voar e a orar para que te espetes no chão esmurres o nariz percas litros de sangue e ainda fiques desformado, por fim suspiram de alívio quando te vêm desistir e a resignares-te a viveres num buraco a emburreceres como eles.

Se brilhas ficam cegos, se falas têm raiva e se sorris desejam que não dure.
Podiam estas palavras ser exagero e mentira, mas não, é o meio em que vivemos, nunca és bom o suficiente e para quê apoiar e incentivar se podemos ser maus, mesquinhos e simplesmente rebaixar?
Ofende-me esta falta de humanidade. Não sou muito, mas inspira-me ver os outros voar!
Séc. XXI? Onde? Só se for no tempo, porque o espaço é outro.
Sociedade cínica, triste e cinza que se alimenta dos teus fracassos para se nutrirem.
A mim, parece-me cansativo viver assim, não seria mais simples se olhássemos para dentro de nós e deixássemos os outros voar? Basta que exorcizemos a inveja e a ganância e tenhamos coragem de sair do buraco…

Eu quero contagiar, inspirar mostrar que é possível melhorar o nosso dia-a-dia.
Convida uma amiga ou aquele amigo especial para um copo em tua casa.
Põe uma música a tocar, senta-te confortavelmente com a luminosidade à meia-luz, inspira fundo e enche os pulmões de ar, solta lentamente o ar e fecha os olhos, saboreia a cremosidade do teu Carolans e sorri. Conta disparates ri-te às gargalhadas, faz mil planos e sonha com eles, bebe mais um golo e sente o abraço na alma, funde-te com a melodia, não penses em nada absorve aquele local… Abraça quem amas. Dá mais um golo e beija por quem estás apaixonado, semeia e faz amor, termina a bebida, como te sentes? Cheia de amor!

O acaso os separou o acaso os uniu.

image

Encontraram se num acaso, desses acasos de porta semi aberta em que o conhecimento é feito a medo e com receio que não haja alongamentos ou avisos prévios para desaparecer. Falaram do tudo do nada, da familia, dos filhos, do emprego, do dia a dia comum a tantos mortais. Sorriram naquela mesa de café como se fossem intimos há muito tempo e tocaram se nas mãos, num toque trémulo com receio de tentarem forçar a porta semicerrada sem que sentissem tal á vontade que o encontro se …tornasse algo mais que só um encontro. Despediram se prometendo voltar a encontrar se brevemente. Ele partiu no dia seguinte para o estrangeiro, sem contar foi chamado a pressa para abrir uma nova filial e entre todos os afazeres não teve tempo para se despedir dela. Ela foi para fora também porque a ausencia dele e os constantes olhares para o tlm estavam a deixa-la deprimida. Decidiu viajar e escolheu um país de africa, porque tinha nascido lá e tinha saudades do cheiro da terra. Num desses dias de acaso quando o sol beija o mar ela sentou-se na areia da praia vagueando entre os pensamentos, qual ondas do mar que no seu vaivém, beijam a areia. Nesse final de tarde num toque assustado no ombro, levantou-se em sobressalto e encarou de frente com os olhos dele. E naquele impeto que tardou em ser, chegar e estar de tardio não passa. Beijaram se e amaram-se, não por acaso. Não procuraram explicações nem falaram sequer no assunto. O acaso os separou o acaso os uniu. Explicações para quê ?

O Inquilino

?A vizinha #69Letras

destino prega-nos algumas surpresas para as quais não estamos preparados

image

Todos dizem “ EU, NUNCA!!!!”, pois é, nunca podem dizer que desta água não beberei, pois a vida leva-nos a dar muita volta e por caminhos que nós sempre pensamos não percorrer.

Tudo ao princípio parece correr na perfeição, tens uma casa, emprego e alguém com quem podes partilhar a tua vida. Como em todos os casamentos há altos e baixos, mas consegues ultrapassar essas barreiras. Até que…. Aparece-te outro desafio, mais ousado, mais exigente e descobres que vais ser Mãe!!!!!!, Uma sensação espectacular, sentires crescer dentro de ti alguém que irá depender do teu sorriso, do teu abraço, do teu carinho, compreensão pois não se sabe ainda expressar. Os anos vão passando e, vais vendo o teu casamento a ultrapassar todas as adversidades, vês a tua semente a crescer e a tomar formas, e pensas….estou a ser bem sucedida. Fico contente.

Mas…. O destino prega-nos algumas surpresas para as quais não estamos preparados, a vida estável que pensavas poder ter, começa a desmoronar se aos poucos. Começa tudo com o emprego, reajustes no pessoal. Olhas para ti e pensas, já passaste a idade “jovem” para emprego que vais fazer?

Como não és pessoa de te ir a baixo, procuras. Tentas procurar algo que te dê estabilidade financeira como a que tinhas, mas… a realidade é bem crua, não podes ter o que tinhas. Então quais as oportunidades que o presente te dá, tentares arranjar dois empregos. Fixe!! Mas… os valores não chegam, mesmo tendo o parceiro a ajudar.
Os filhos chegam a uma certa idade e, as “exigências” deles são superiores, mas a culpa não são deles, mas sim da sociedade em que vivemos.

Procuras todas as formas possíveis e imaginárias para poderes colmatar as faltas de que precisas, para conseguires a estabilidade que precisas. Mas qual a forma mais fácil? O que poderás fazer para poderes ter mais algum extra financeiro?

Arranjar outro emprego está fora de questão, o teu horário já não o permite. Pensas…Pensas… e… nada.

Mal ou bem tentas endireitar a vida.Tudo aparenta ser um mar de rosas, mas os espinhos nunca desaparecem. Qual não é o teu espanto que passado uns largos meses, tem a seguinte noticia -“Desculpa, mas com esta crise, temos de fazer economia de escalas.” – Fod@-se!!

Nova procura, mas nada…, Ele lá em cima esta me a fechar portas, as janelas abertas são poucas, mas não esmureço. Sei que Ele não me vai desamparar.

Uma partilha de uma Anonima

?A vizinha #69Letras