Arquivo de etiquetas: emoção

Sorrisos

De uma criança,
De um adulto,
De um idoso,
De alegria,
De esperança,
De amor,
De amizade,
De malícia,
De vitória,
De esforço,
De solidariedade,
De conforto.
Um verdadeiro,
Um falso,
Um injusto,
Um misterioso,
Um contagiante,
Um acolhedor,
Um louco.
Com emoção,
Com o coração,
Com a cabeça,
Com vontade,
Com intenção,
Com brilho,
Com batom.
Sem tristeza,
Sem medo,
Sem vontade,
Sem esforço,
Sem alegria,
Sem contágio.
Evitado ou não,
Forçado ou não,
Alegre ou triste,
Discreto ou vistoso,
Com riso ou sem riso.
Seja qual for o tipo,
A emoção ou a pessoa,
O sorriso é lindo.
A expressão universal,
E apreciada por todos.
Por mais pequeno e rápido,
Que seja,
Um sorriso é,
Simplesmente,
Uma delícia!

© Fox 2017 #69Letras

Dás-me o que eu te pedir?

E estavam os dois, finalmente, sentados frente a frente, na mesa de uma qualquer cozinha.
-Não vai haver próxima vez.
Disse ela retomando um diálogo interrompido…
Não a olhou, nunca a olhava, mas os seus gestos, a sua linguagem corporal denotavam inquietude, preocupação e até alguma tristeza.
-Algum de nós tinha que tomar uma atitude…
disse ele quase inaudivelmente…
Levantou-se e andou de um lado para o outro (característica que predominava nele, quando era apanhado).
Posso pedir-te uma coisa? Perguntou ela.
-Podes.
Dás-me o que eu te pedir?
-Dou.- Respondeu ele, virado de costas para ela.
-Dá-me um beijo.
-Queres um beijo?
-Quero. Retorquiu ela. (Tinha que saber, tinha que jogar, arriscar, ou tudo ou nada, podia até perder tudo, mas tinha que arriscar).
-Pode ser de pé? Perguntou-lhe ele.
-Pode. E levantou-se.
-Sem mãos.
-Sem mãos????
-Sim, sem mãos, apenas um beijo.
Olhou-a nos olhos (o que era raro) e procurou os lábios dela, não com a avidez habitual, mas com ternura, emoção, talvez amor, até.
Mordiscou-lhe os lábios devagar, sorveu-os, saboreou-os até por fim entrar na boca dela com avidez, fulgor, paixão, tesão…
-Assim não.
-????
-Sem mãos não pode ser.
-Ok, como queiras.
Encostou-a contra a parede, apagou a luz e descobriu-a completa e absolutamente.
Puxou-a para o quarto e deixaram-se levar pela emoção, pelo puro desejo, pela pura tesão, deixaram-se levar, como se não existisse mais nada além deles dois, além daquele quarto, além daquela casa…

 

PO  69Letras

Fome de ti

Do que sentes saudades?
Naqueles dias em que a carne queima
Que o corpo pede para ser tocado
A pele esta quente…
Aquele espaço vazio não pede…
Exige preenchimento!!
Sentes saudades daquele corpo que te satisfez?
Eu sinto falta de te preencher!
Sinto falta de te ter
Tenho falta de estar em ti
Necessidade de te ouvir gemer
Falta de tocar a tua vontade de me ter
Saudade é um sentimento abstracto
É o que sentimos quando a emoção se impõe!
Quando o corpo deseja tens saudades?
Eu sinto falta de estar em ti !!!

 

Read My Mind

No museu. Conto.

ae143548bf8035aa68aee84949cc6bec.jpg

Fotografia: Via Pinterest

A noite no museu.
Podia estar a falar do filme, mas não. Estou mesmo a falar de nós.
Naquela noite as estátuas e as obras em exposição não passaram de peças com um passado encerrado. Naquela noite no museu o nosso passado atraiçoou-nos e fez-nos voltar no tempo. Uma vez no passado, a única arte que ganhou vida naquela noite no museu foram os nossos corpos.
Como nos amámos! Amámo-nos como se o que um dia foi o nosso passado ainda fosse o nosso presente com um pé no futuro. Como se nos amassemos todos os dias até então…
Na biblioteca de museu fizemos inveja aos livros à muito encerrados nas estantes cheias de pó, a sala de audiovisuais teve pela primeira vez motivo para se encher de publico, palmas, emoção e tesão. Foi uma peça cheia sobre amor, reencontro, saudade e o erotismo daquele primeiro toque, doce, como se da primeira vez se tratasse.
Tanta ansiedade na respiração. Quanta curiosidade na ponta dos dedos?
Redescobrimo-nos como se aquela fosse a nossa primeira vez. E foi. A nossa primeira vez, voltamos a viver, o sangue a correr no instante em que os nossos olhares se tocaram.
À noite no museu, como dois agentes infiltrados, a evitar as câmaras e a amarem-se nos ângulos mortos para que os seguranças não nos apanhassem.
Loucura.
Somos loucos.
Loucos pela loucura e loucos um pelo outro.