Arquivo de etiquetas: Dominação

Spanking

Olá de novo Kinksters, resolvi falar sobre spanking.

Porquê? Bem fui ao cinema recentemente ver um filmezito de que tanto se fala “Cinquenta tons mais escuros”, começo já por dizer que à semelhança do primeiro fiquei desiludida não li os três livros fiquei pelo primeiro e bastou fui ver os filmes mas como não gosto de romances sejam eles de qual estilo acabou por ser um flop.

E uma das cenas me ficou na memória para quem não viu é uma cena em que o actor principal dá umas 3 palmaditas à personagem feminina e pronto logo em seguida deram uma.

Bem porque me irrita a história? Supostamente estes livros vieram introduzir o estilo de vida BDSM para quem desconhecia ou simplesmente passava ao lado, mas nada tem a ver com a realidade e é deveras irritante pelo menos para mim, porque em nada se focaram nesse aspecto.

Desde já peço desculpa se forem fãs mas quem diz a verdade não merece castigo. Hihi

Primeiro prende a moça 1 minuto depois leva 3 palmadas e zausssssssss siga pra bingo já está a levar com ele.

A verdade não é esta, talvez em contexto BDSM light ou de quarto mas numa sessão as coisas não assim, e para o grande público que leu ou viu os filmes pode ficar com essa percepção.

Bem vamos lá falar então sobre spanking como deve de ser.

Em primeiro lugar passo já a explicar que spanking faz parte da categoria de Impact play e pode ser feito de várias formas.

Eu por exemplo gosto de usar as mãos, sem luvas de preferência e só uso um instrumento quando já não me aguento de dores nas mãos.

Se há coisa que gosto é no dia seguinte a uma sessão ver nódoas negras e dedos inchados, espero não vos ter baralhado afinal sou Domme mas ás vezes um pouco de masoquismo não faz mal a ninguém lol. É quase que uma sensação de “job well done”.

Em relação a instrumentos para prática de spanking existem variadíssimos desde canas, chibatas, chicotes, cintos entre outros.

Tanto pode ser feito como castigo ou num play erótico sem a componente de humilhação ou correcção, mais que a parte física creio que o prazer psicológico fala mais alto.

Um bom spanking faz milagres 😉

Tirando os divertidos acessórios temos de ter em conta as marcas e a dor que se quer infligir, aproveito e deixo um gráfico todo fofinho.

Por incrível que pareça os assessórios de longo alcance acabam por infligir mais dor que os de curto alcance, para quem estiver a começar e for logo se aventurar á maluca se for preciso experimentem mandar uma verdescada em vocês mesmo antes de o fazer a alguém 🙂

É TPC que tem de ser feito e assim têm uma boa noção da dor e das marcas.

E por favor tenham em conta onde devem bater e não devem .

Estou a falar a sério.

Já assisti a coisas que me deixaram literalmente possessa pois álcool, floggers e ignorância de práticas são sempre mau resultado.

Bem, vou vos deixar com uma ideia do que são zonas seguras e outras que não convém mesmoooooooooo acertarem pois pode provocar danos graves.

Vou vos dizer as zonas de perigo:

Rins evitem ao máximo tocar nesta zona, cóxis, cuidado com a coluna, pescoço então é muito sensível e tem tendões glândulas linfáticas e artérias, a laringe também jamais deve ser atingida.

No rosto, bemmm  eu gosto de bater na cara mas convém ter boa pontaria, não querem dar um estalo com tanta força que provoquem ferimentos cuidado com olhos, nariz, lábios e bochechas, e nesta área convém não fazer nada muito repetitivo.

Orelhas, outra zona a ter bastante cuidado, podem danificar a audição e o equilíbrio.

Agora que já têm uma ideia dos cuidados a ter durante o spanking, posso sugerir algo que é comecem devagar com as mãos e depois passem para coisas mais hard, sempre tendo em conta que devem definir a palavra de segurança.

Pois nem sempre um “Por favor pare!” quer dizer para parar eheheheh, por isso limites devem ser definidos antes de começar seja o que for.

Outra coisa é o After care, quando terminam cuidem e dêem atenção que for necessária.

Bem pessoal por hoje acaba a nossa conversa.

Espero que tenham gostado do tema.

Uma lambidela valente no rabiosque ,

#MissesKat 69letras® 01.03.2017

Falando de Plays

Lets talk about PLAYS…

Pet play, Pony play, Age play, Needle Play, Edge Play, Eletrical play, Wax Play, Breath Play …. Ainda acordados?!
Pois é existem muitos plays a lista é tão longa que mesmo que quisesse acho que não dava pra por todas aqui ehehe.
A esta altura já deu pra perceber que muitos termos que se usam estão em inglês por isso é bom que arranjem um dicionário português/inglês .
O termo play serve para definir práticas, algumas são categorias que têm outros plays como sub-categorias.
Acaba por ser uma forma de facilitar negociações e conversas,assim quando me perguntam o que gosto ou práticas que faço digo determinado play e á partida as outras pessoas já sabem a quem me refiro.

 

Pet Play– digamos que é a categoria e dentro dela temos as sub-categorias como por exemplo Pony Play, Doggy, Play Horse e por aí fora.
Mas antes de mais convém entenderem o principal, este tipo de play é uma forma de fetiche ou forma de roleplay onde o submisso/a toma a postura de um determinado animal e o Dominante tem a satisfação de ser o Dono/a do mesmo.
Bem não quero que fiquem a pensar que um Pet quer ser animal de verdade ou algo que se pareça,o prazer está em agir como um.
É comum que os pet´s usem acessórios para se assemelharem ao animal que são.
Por exemplo,orelhas, caudas, coleiras , no caso de cavalinhos até cascos têm é uma imensidão de coisas giras que se pode usar .
Neste tipo de play existe treino,disciplina e humilhação entre outras coisas divertidas .

Edge Play– Bem esta categoria é um tanto quanto difícil de explicar ,lembram se deter falado de R.A.C.K? não?então vão ler onde escrevi sobre isso – AQUI
Mas resumindo são práticas sexuais onde existe risco ou perigo ou até possibilidade de acontecer danos físicos .
Exemplo…temos o Breathplay(asfixia) é sempre uma coisa perigosa de se fazer ou até Knife/Bloodplay onde por exemplo se faz cortes na pele propositadamente entre outras coisas.
Não é prática que se faça de animo leve tudo é tido em conta desde se a pessoa toma algum medicamento anticoagulante ao simples facto de saber se teve algum episódio traumático que possa desencadear uma reacção de pânico ou desmaio.
Eu pessoalmente gosto de ambas 🙂 mas isso é conversa pra outro dia.

Age Play– Creio que também ja vos tinha falado por alto sobre os Littles bem não querendo complicar as vossas cabeças nem todos os littles fazem ageplay alguns podem pertencer á prática de PetPlay como por exemplo adoptar uma postura de cachorrinho bebé ao invés de um cão adulto na verdade é um Little mas em forma de Puppy.
Quem pratica Age play geralmente gosta da parte psicológica que envolve uma regressão deixa de ser um adulto e passa a agir como uma criança pequena chama-se a este estado (Litlle space)gostam de ter alguém que cuide ,trate de uma forma paternal/maternal.
Neste tipo de relação geralmente existe carinho e uma proximidade entre os praticantes ,é engraçado algumas littles só dá vontade de as trazer pra casa de tão fofinhas que são…pronto já estou a divagar.
Mas esta categoria em questão têm muito que se lhe diga.

Litlle

Impact Play– Bem a modos que esta é facil , qualquer actividade em que haja impacto no corpo de alguém como flogging,canning,SPAKING (esta duvido que vão ao google tradutor) entre outras .
Mas atenção lá porque é play de impacto não necessita de ser obrigatoriamente doloroso…Levar com um flogger de camurça ao de leve pode ser deveras prazeroso

Fear Play– Como o nome diz palavra de ordem é Medo, acaba por ser complexo pois aqui creio que não haja prazer sexual em ser aterrorizado é uma questão mental e não tanto física,neste tipo de pratica tem de se conhecer bem o bottom e estar atento ás reacções do mesmo pois é bem provável que devido á descarga de adrenalina pode provocar situações desagradáveis como uma crise adrenérgica para quem não sabe o que é eu explico,devido há quantidade excessiva de adrenalina no corpo os sintomas são como os de um ataque de pânico ,os batimentos cardíacos aceleram, tonturas, tremores incontroláveis, enfim nada agradável vão por mim.
Neste tipo de situação o que se esteja a fazer deve ser interrompido imediatamente e temos de confortar e acalmar a pessoa ,abraçar ajuda e tentar que controle a respiração de forma a não hiperventilar.

Wax Play– Quase toda a gente já experienciou o erotismo que uma vela pode proporcionar, Wax play pertence á categoria de Temperature Play assim como o gelo 😉 pode parecer coisa fácil de fazer e até proporciona bastante prazer mas também se tem de ter algumas coisinhas em conta pois não queremos que ninguém fique com valentes queimaduras ,certo?

A primeira coisa  é que não queiram velas de cera de abelha pois isso é receita para o desastre, neste tipo de play vocês querem ter velas com ponto de fusão baixa ou seja que queimem mais devagar e a cera não atinja temperaturas muito altas.

Neste caso são velas de parafina.

Outra coisa importante é a distancia que deixam entre a vela e o corpo quanto mais junto ao corpo pior é pois a cera está mais quente e verte mais rápido, nada melhor que testarem primeiro antes de fazer a alguém, testem nas pernas e parte de dentro dos braços assim têm noção da coisa, evitem zonas com mucosas ou se forem fazer façam a uma distancia grandinha para evitar queimaduras alem da cicatrização ser muito lenta em caso de queimadura são zonas mais sensíveis.

E por ultimo vou vos pedir por amor aos santinhos não usem daquelas velinhas pequenas que se vendem em sacos de 30 ou algo que se pareça usem velas de baixa temperatura existem algumas próprias de massagem que são brutais alem que deixam a pele super macia.

Isto da pele macia lembrou me outra coisa,a parte fixe de quem faz Wax Play…a REMOÇÃO yeahhhh .

Bem cada um sabe de si ,eu cá tenho a minha preferência , uso uma faca para retirar bem afiada (mas NÃO façam isso a não ser que tenham prática a manusear objetos afiados sim?!!!!!!!!)podem usar uma faca que não esteja afiada e retiram lentamente a cera do corpo se for na zona do peito de um homem que tenha pelos podem sempre ser mázinhas ou mauzinhos né?e arrancam á má fila cera e pelos eheheheh.

Vá chega de brincadeira outra formade retirar é passar óleo na pele e massajar mas faz uma sujeira danada.

Créditos
Lobo Ibérico
Modelo: Nanda de Lobo Ibérico
Fotografo:
David Nunes ArtKorpus

 

Fire Play– Adoroooooo e é lindo de se ver ,tive a oportunidade de presenciar um play deste gênero e digo que é algo que nos deixa de boca aberta.
É uma prática de Edge Play pelo factor de risco e perigo associado,atenção que é algo que requer muito treino e estudo da parte do Top que o faz, pois estamos a falar de algo que pode causar queimaduras graves quando feito por alguém inexperiente.
Sem duvida que é uma pratica perigosa mas bastante sensual e excitante ,apenas falo como espectadora mas deu para entender perfeitamente que alem do material ,cuidados a ter com o espaço e a própria técnica do Top é uma pratica bastante intima e feita com muito cuidado.
Jamais deve ser feita por amadores mas digo-vos que é algo que me fascina e ficará na memória como das experiências mais inebriantes que tive.

 

E por hoje ficamos assim,espero que apareçam na próxima semana pra mais dois dedos de conversa.

Beijo Misses Kat

Por fim quero deixar o meu agradecimento ao Lobo Iberico e á sua Nanda por me permitirem colocar uma fotografia lindissima de Fire Play realizado no Embassy Of Freedom Club e tirada pelo fotografo David Nunes da ArtKorpus.

 

 

Continuar a lerFalando de Plays

Respeito,Poder e Entrega .

Agora que já conhecem um pouco mais sobre o “Quem é quem?”  já posso falar sobre alguns tipos de relacionamentos que podem encontrar neste meio.

Tudo começa com o conceito de cedência de poder ou como alguns se referem “power exchange”, já tinha dito anteriormente qualquer relação independentemente que possa haver ou não envolvimento pessoal a palavra de ordem é “respeito”
Quando aceitamos ter o controle ,aceitamos a responsabilidade que isso acarreta ,temos de cuidar, aconselhar e proporcionar experiências sempre tendo em conta os desejos de quem a nós se submete.
Qualquer prática seja de humilhação, infligir dor enfim não interessa o que quer que façamos são ferramentas usadas para obter uma reacção no bottom.
Seja de forma de correcção ou apenas prazer,entendam que se um submisso for humilhado não é porque a parte Dominante tem desdém pela pessoa pelo contrario respeita-o.
Se um Top sádico inflige dor na sua submissa não signifique que não a ame.
Pode parecer confuso ,mas é assim mesmo.
Ao meu ver para que um relacionamento desde cariz funcione a parte dominante entende que o verdadeiro poder está sempre na mão do submisso/a.
Pois se formos a ver quem se entrega tem sempre a ultima palavra ao que acontece e é quem escolhe ceder o poder, pois ele não pode ser tirado e não se ganha , é sim como um presente que nos é dado.
Espero que entendam que não falo por todos os praticantes e esta é a minha percepção,a informação que transmito é apenas um mecanismo de aprendizagem para quem quer saber mais sobre este assunto ou está a iniciar.

Já agora alguns de vocês podem ter ouvido falar de BDSM de quarto e como muita gente anda a experimentar trazer o BD e SM para o leito conjugal e que bem que fazem afinal nada melhor que apimentar as coisas , certo?!
Á conversa com várias pessoas acabo sempre por explicar a diferença de ser passivo e activo e ser dominador/a ou submisso/a,aproveito já para pedir que não confundam isso,somos passivos ou ativos não faz de ninguém dominador ou submisso,pode ser?!É que ser dominador/a não é coisa assim que se aprenda em 5 minutos convém fazer TPC´S ehehe e uma mulher não é submissa só porque de longe em longe adora levar uns valentes estalos na cara que lhe puxem o cabelo e chamem de cadela,ok?! Ainda bem que essa parte ficou entendida.
Já para não falar que sexo não está sempre presente nas relações DS ,BDSM não é foda vai bem alem disso .
Desculpem se estraguei aí algumas fantasias lol,mas a verdade é que nem todos os praticantes o fazem isso vai depender de muita coisa.

A verdade é que não há BDSM certo ou errado tudo é válido seja Hard,Soft,Sensual Dominance ,Gore enfim cada um vive á sua maneira eu por exemplo gosto de relacionamentos DS 24/7 significa que mantenho contacto com quem me pertence e crio um relacionamento com a pessoa ou seja não se limita a sessões esporádicas ou praticas regulares, existe quase que um vinculo de amizade a diferença é na postura pois trata-me pelo meu titulo nunca me trata por tu e nunca deixamos o nosso alter ego ou seja assumo sempre postura de Domme e ele de submisso.
Mesmo que seja pra reclamar do tempo ou porque o Sporting perdeu de novo,ehehe.
Não quereria de outra forma,afinal o tipo de submisso que gosto são Pet´s e como qualquer bichinho de estimação cuido, dou atenção , treino e moldo aos meus gostos recebo em troca devoção completa e entrega total , para mim é mais que perfeito.

Por falar em Pet´s outro tipo de relacionamento semelhante a este é o que os Daddys Dom´s ou Mommys têm com os seus Littles também existe um cuidado e proximidade para não falar de intimidade para com este tipo de submissas/os pois neste tipo de relação há carinho não é só castigos e rabinhos vermelhos de levar com chibatas ou réguadas lol.
E os Daddys ou Mommys têm cuidados extras com estes tipos de submissos, dão atenção, cuidam, disciplinam mas ao mesmo tempo faz da dinâmica deste play .

Mas se formos falar de um escrava aí a coisa muda de figura pois as expectativas são completamente diferentes que as de uma baby girl ,uma escrava á partida sabe que o seu propósito de existência é para dar prazer ao seu Dono/Mestre e sem questionar servi-lo da melhor forma que pode, não contraria não há cá quereres ou birras é uma coisa completamente distinta outro tipo de ligação além que é raro um relacionamento genuíno de escrava/o e Mestre/a não se vê aí aos pontapés, pois o envolvimento passa para além de plays e mistura com a vida baunilha é comum ver casais neste tipo de relacionamentos em que vemos num contexto de dia a dia a submissa ou o submisso a usar um adereço que aos olhos alheios pode parecer um simples colar ou pulseira mas que o significado é que pertence a alguém e aquilo que usa simboliza essa união, tal qual uma aliança de casamento, ao meu ver são muito intensos este tipos de relacionamentos onde se pratica o TPE (Total Power Exchange)que resumido é uma entrega total  é de louvar quem tem este estilo de vida.

O escravo/a nunca deixa de o ser seja em contexto familiar,social enfim é escravo dentro e fora das sessões , limites há poucos.

Mas para já acho que já deu para perceber mais umas coisitas,bem Kinksters por esta semana é tudo ,espero por vocês na próxima quarta.
Um valente chupão nesses pescoços , #Misses Kat
#69letras

Diario quase Férias – Fonte do Prazer Parte III

TEXTO EROTICO M|18 ? ? ?? ? ?
– Bastardo, vêm!
– O jacuzzi está maravilhoso, alguém o preparou já com óleos e sais.
– Fui eu que pedi para o fazerem, precisas relaxar da viagem e descansar um pouco. Mas anda a água está incrível!!
– Acredito que sim. Mas sabes que apesar do que aconteceu há minutos, e ter sido fantástico, eu estou a trabalhar e sabes que sou extremamente profissional. Eu avisei-te.
Viu me refrescar e ver o nosso dia de amanhã, os lugares, as saídas, o meu trabalho.
– Mas, mas,!?!
– Sem mas! Eu disse-te que tinhas que me respeitar, ok??
Quase não me segurei ao ver a sua cara, mistura de birra com orgulho ferido mas aquietou-se um pouco. Aproveitei tomei um duche rápido e fui cumprir as minhas funções. Voltei cerca de duas horas depois, o calor da água, o excesso de champanhe adormeceram-na naquela enorme banheira.
Despi a camisa e retirei-a suavemente nos meus braços e transportei-a para a cama, sequei-a levemente e tapei-a com o lençol de cetim pérola brilhante. No seu corpo delineado era uma imagem erótica perfeita, sentei-me no enorme cadeirão e a verdade é que adormeci à velar-lhe o sono, preocupado que acordasse durante a noite transtornada. Tal não aconteceu.
Acordei cedissimo com o gosto doce do seu beijo nos lábios e o seu corpo sentado sobre mim como que a pedir colo.
– Olá! Adormeceste a olhar para mim?
– Estava preocupado contigo, uma garrafa inteira sem jantares em condições não é saudável R… !

 

Dia 2
– Desculpa nem dei por ela, fiquei possessa contigo !!
– Eu expliquei -te, não te menti!
– Eu sei, por isso ainda me irritou mais..
– Sempre queres ir passear na serra agora??
– Claro se aguentares!-  Diz num sorriso trocista.
– Não te preocupes, eu aguento.
– Está tudo pensado, vou-me equipar. Vais ter comigo lá abaixo e arrancamos ok??
– Ok. Respondeu-me
Quando desceu esperava-a de bicicleta de montanha e com ar de gozo disse-lhe:
– Tens aí a tua pasteleira de passeio, não havia com mudanças mas, tu és tão vigorosa que não precisas.
Com olhos de raiva pegou na bicicleta e arrancou. Sai imediatamente atrás, com a irritação parece que levava o demo atrás dela. Mas a meio da serra as forças começaram a faltar, aproveitei a oportunidade.
– Então já acalmaste?
– Parvo só me gozas, não sou uma criança!
– Então não te portes como tal. És linda, incrível, mas tens que me respeitar, certo?
No momento exacto em que digo isto, a menina resolve tirar a camisola mostrando um top curtíssimo que lhe acentuava aqueles seios lindíssimos. E, de imediato tira as calças ficando com uns micro calções que mais pareciam umas cuecas. Coloca tudo na cesta da bicicleta e provoca -me.
– Vamos?
Deus!!!, aqueles glúteos desenhados, pernas musculadas, mais uma vez sinto-me atraiçoado pelo meu membro, não pode ser..
– Olha vamos por aqui, quero-te mostrar algo que descobri ontem!
– Ok, estás encolhido porquê? Diz sorrindo de malícia.
Após uns minutos a pedalar chegámos onde queria, uma cascata de água doce maravilhosa, água cristalina, com peixinhos a brincar e tudo. Em ar de desafio tiro a T-shirt e os calções, nú, digo-lhe:
– Deves estar com calor também?! e, atirei-me à água.
Sem resistir, despiu-se totalmente e juntou-se a mim, o roçar daquele corpo jovial, a diferença de temperatura.
Que loucura me assoma, beijo-a intensamente enquanto a transporto colada no meu corpo para a queda de água. Encosto-a à parede e penetro-a profundamente de uma assentada só. Grita e morde-me o ombro de excitação, a sua respiração acelera e suas pernas fecham-se à minha volta sentindo cada centímetro que a penetra. Acompanha o ritmo da queda de água e ondula o seu corpo sob o meu membro de forma cadente, preencho-a completamente.
Geme cada vez mais intensamente no meu pescoço, num beijo sufocante percebo pelo irradiar de liquido quente no meu sexo que se veio profusamente.
Abraço-a para senti-la estremecer. Adoro as contracções do orgasmo feminino, e enlouquecedor, pego-lhe na mão sorrindo.
Subo os pequenos degraus de pedra, levo-a para trás da queda de água, deito-a nas rochas escondidos dos olhares curiosos.
Absorvo da sua vagina rosada o seu mel, infiltro minha língua e dedos na sua gruta de prazer e antes que atinja o clímax novamente, penetro-a na posição de missionário para que sinta todo o meu corpo a ferver de tesão por ela. a possui-la em cada investida,acelero o ritmo e torturo-a enquanto me pede que me venha com ela.
Paro inesperadamente e recomeço para prolongar o prazer, vimo-nos intensamente num clímax uníssono e esgotante, repousamos, nos braços um do outro enquanto os corpos recuperam a energia.
Desatámos a rir em sintonia.
– Se calhar é melhor descer-mos agora, estou morta de fome!!!
Descemos sempre a rir. Tivemos um almoço leve muito agradável.
Infelizmente o meu feitio de merda vêm ao de cima nas alturas mais impróprias.
– Bem vai descansar. Vou ver o restaurante de logo à noite, para a tua reunião com o director das tuas empresas.
– Não queres jantar connosco?
– E apresentas-me como??  – Olhe divorciei-me há menos de duas semanas e este é o meu namorado!!! Não sou teu namorado R…, tivemos sexo fenomenal, mas sou teu bodyguard. Nem sequer me podes chamar de amante.
– És parvo, bruto, precisas me inferiorizar assim?
Senti-me culpado, como sou bruto que nem uma porta. Virei-lhe as costas e sai do seu quarto.
Fui cumprir o que havia dito anteriormente. Quando cheguei certifiquei-me que dormia no cadeirão que me tinha servido de cama. Encostei-me sem barulho a sua porta e dirigi-me à varanda com disposição para fumar um necessitado cigarro e degustar uma minúscula garrafa de Whisky do mini-bar. Pensando com os meus botões em que raio me vim eu meter???
Bastardo #69Letras
(Continua)

Aqueles Saltos

TEXTO EROTICO M|18 ? ? ?? ? ?
O teu corte de cabelo anormal, escadeado da direita para a esquerda, o teu rosto esculpido com traços Miguel Ângelo. Uma face bela mas dura não fosse esses olhos verdes brilhantes e intimidadores carregados de sedução que me chamaram a atenção.
Isto para não falar do seu vestido de lycra e sem costas que mostravam as curvas daquele corpo voluptuoso, só o fio dental dividia aquelas nádegas sumptuosas naquelas transparências.
Carnívoro experiente que sou, sei quando encontro uma alma à minha altura. Fui surpreendido pelo seu olhar letal por duas vezes enquanto apreciava seus atributos, não me mostrou qualquer reacção.
Como alfa que se preze, lambi as feridas no orgulho e entrei em modo caça na procura de nova vítima.
A noite finalmente acabou, educadamente peço às últimas pessoas no bar que se retirem, faço a vistoria a ver se todos os clientes saíram. Antes que abrisse a porta dos w.c. a deusa saiu.
Olha-me profundamente mas não esboça qualquer reação, vira-me as costas e afasta-se. Enquanto apago as luzes aprecio aquele bambalear naqueles saltos pretos de 15 cm só me dava mais tesão. Qual leão da montanha, acelero o passo para lhe falar e abri-lhe a porta porque apesar de tudo sou um cavalheiro, No momento em que avança tropeça no tapete da saída. Antes que se esbardalhe no chão envolvo-a no meu braço e puxo-a encontro ao meu peito, o calor do seu corpo provoca-me uma ereção quase instantaneamente. Tento disfarçar. Mas pelo seu sorriso que vejo pela primeira vez não consegui. Compõem-se, passa a mão no meu ombro e diz-me:
– Obrigado!
Com malícia nos seus lábios deixando-me sem palavras, simplesmente sorri como resposta. Como costume acompanhei as barmaids e restante pessoal ao respectivos carros após fechar. É tardíssimo, não se vê ninguém. Dirijo-me para o meu carro sempre escondido para não sofrer dissabores de clientes menos satisfeitos. Quando ia introduzir a chave no carro, do escuro assoma-se aquela silhueta de pecado que ainda há minutos atrás me ergueu o mastro e, que agora a meia haste se levanta em continência novamente para aquele olhar. Sem soltar um murmúrio que fosse, em segundos o meu casaco está no chão, a minha camisa já totalmente desabotoada e suas mãos percorrem o meu peito, seus olhos enfrentam os meus sem os evitar uma única vez.
Seguro-lhe, mão aberta pelo seu pescoço e nuca e pela primeira vez roubo-lhe um beijo, sufocante, arrebatador. Seu perfume e o gosto dos seus lábios extrapolam-me os sentidos trazendo ao de cima o animal que me habita.
Exalo o seu aroma à medida que desço pelo seu pescoço que percorro com a minha língua, desço-lhe as alças, maravilhosos seios, mamilos proeminentes que faço desaparecer na minha boca um a um. Aperta-me contra o seu peito enquanto enquanto tenta conter os seus gemidos, não me deixa prosseguir, atira-me de costas para o meu carro, desaperta-me as calças.
Sorri diabolicamente ao perceber que não uso roupa interior, ajoelha-se no meu casaco caído e abocanha-me o membro. Qual anaconda a engolir a sua presa. Que intensidade!, estremeço quase inconfortavelmente, há muito que não encontrava tal talento.
Pressentiu que eu não aguentaria muito mais. Levanta-se, puxa e enrola o vestido na cintura, num movimento fluido levanta uma perna desvia a tanga e deixa-se enterrar toda no meu pênis. Impõe o seu ritmo, seguro-lhe a perna, acompanho o seu vai-vem preenchendo toda a sua luxúria até ao orgasmo exuberante.
Já chega! Não serei controlado assim! Rodo-a, agora são as suas costas no carro, retiro-o, ajoelho-me à sua frente, coloca a perna levantada sob o meu ombro, e ataco a tua vagina. Devoro-a absorvendo cada gota de fluidos por ela libertados, introduzo um dedo e depois outro e outro, encaro-te o olhar, quero ver-te explodir de desejo de me ter novamente dentro de ti.
Testo-te, introduzo o mindinho no teu ânus e perscruto a tua reacção, só te aumentou a devassa. Levanto-me, assomo-te e cruzo os teus saltos no meu pescoço, penetro-te violentamente, quero os teus gritos, a tua perdição.
Bombeio que nem um louco para dentro de ti, quero preencher cada centímetro da tua safadeza, aliados de tudo o que nos rodeia naquele instante atingimos um clímax desmesurado de tão intenso, salta de mim e ataca-o gulosamente, querendo absorver toda a essência que jorrou de nós.
Sobe beijamo-nos docemente, sabores e cheiros misturam-se nas nossas narinas e bocas.
És tão deliciosa, sua mão segura firmemente o meu caralho ainda incrivelmente duro, sorri dizendo:
 – Ainda?!
Agora o sorriso maldoso é o meu, beijo-a provocadoramente. Sinto a sua luxúria aumentar novamente, viro-a repentinamente e dobro-a ligeiramente, afasto as suas pernas musculadas equilibradas naqueles excitantes saltos agulha. Passo a língua no seu rego, retesa-se, as suas unhas quase me arrancam a pintura do carro. Passo a glande no meios da sua vulva somente para lubrificar a ponta, forço docemente a sua roseta castanha e entro lentamente no seu cú soberbamente trabalhado.
Sou gentil e meigo, impensável para mim magoar-te. Empurras as tuas ancas contra a minha rigidez, dás a velocidade e profundidade que consegues suportar, sinto os teus glúteos apertarem-me todo o comprimento e largura da minha verga.
Gritas:
– Vêm-te cão!
E vim-me enlouquecido, os espasmos quase nos atiram ao chão, beijo as suas costas e pescoço enquanto a abraço suavemente, os nossos corações batem descompassadamente. A respiração tenta recuperar a normalidade, vira-se, compõe-se, ajoelha-se pela última vez, beija-me o falo, circula a língua em toda dimensão do mesmo e despede-se com um beijo húmido no seu topo.
Levanta-se.
– Bastardo, sei onde te encontrar, só não vais saber quando.
Dá-me um chocho e desaparece na escuridão ondulando-se nos seus saltos, como eu adoro saltos altos…
Bastardo #69Letras

Subjugada

Espreito à espera de te ver
Vesti-me assim dominante,
confiante para te satisfazer,
Hoje, mas só hoje subjugo-me
aos teus prazeres,
Submissa aos teus desejos,
aguardo pacientemente a tua chegada
Imagino o teu olhar
queimar a minha pele,
A tua boca provocar
orgasmos no meu corpo.
Oiço a tua voz rouca de tesão,
sussurrar ao meu ouvido,
Hoje és minha discípula, minha servente
Hoje o teu corpo, tua alma, todo o teu ser
será o meu prato principal, a minha sobremesa
Irei deleitar-me até ao último fluido.
Esta espera, tortura-me.
Põe-me eufórica,
desejosa de ser possuída.
Minhas pernas desfalecem de ansiedade,
Meu intimo humedecido, vibra.
LOLA #69Letras

Hoje a loucura tomou conta da tua mente.

 

Vejo-te a vir na minha direcção, e um tremor percorre o meu corpo.

Estes longos dias com que te privei do meu cheiro, acordou o teu demónio. Lançavas fogo dos olhos, e os teus lábios estavam sedentos. Colocas-me contra a parede e eu estendo os meus braços para te impedir de investires sobre mim. Tentativa em vão. O teu corpo vence a minha força feminina e seguras as minhas mãos por cima da cabeça. Rasgas o meu vestido de uma só vez e com os dentes arrancas as cuecas. O frio que senti quando saí de casa foi substituído pelo calor infernal de um dia de verão.

Afastas-te. E encostas-te à parede paralela.

Sinto-me frágil, totalmente desprotegida. A ideia de alguém ver o que se está a passar neste beco, deixa-me nervosa.
Hoje a tua loucura tomou conta da tua mente. Não queres saber. Queres matar saudades do calor que te envolve assim que entras em mim.
Observas-me. Quase que consigo ver os teus olhos a reluzir de malícia. Sorris. O teu sorriso invade-me e faz-me corar. Aproximas-te de mim, já com o corpo despido perto o suficiente para me embriagares com a tua respiração. Ferves. Percorres o meu corpo com a tua fome, mordendo e beijando todos os centímetros da roupa que me veste.
Com o teu braço contra a parede, olhas-me nos olhos. Demoras-te. Invades a minha alma, e percorres os meus desejos mais obscuros. Desejos fechados a sete chaves que escondo do mundo.

«Eu sabia que atrás desse rosto de menina está um paraíso que nem tu nem ninguém nunca explorou. »

Irritas-me. Detesto o domínio que tens em mim. Tento-te afastar, e debato-me sobre a tua força, até cair exausta no teu ombro.
Seguras o meu rosto e afogas-te na minha boca.
O teu beijo vence a minha revolta pela forma que me lês, e sossego na tua boca.
O teu beijo, é intenso e demorado, as nossas línguas travam um combate incessável. O meu ventre procura-te. Quero-te dentro de mim.

Puxo-te a favor do meu corpo, e desaperto-te as calças. Atordoas-me com a rigidez do teu desejo.
Contra a parede, abriste as cicatrizes que me provocaste da ultima vez e num só movimento, perfuras-me. Procuras os meus olhos húmidos de desejo e com uma das mãos a apertar o meu pescoço exploras as profundezas do meu ventre.

Juntos alcançámos a paz. Desencaixámos num beijo, terno e apaixonado que traz vida ao meu coração.

Enrolas-me numa manta que desconhecia trazeres contigo, e proteges-me do frio que agora já se faz sentir.
Deixámos aquele canto escuro com as roupas rasgadas no chão e ao colo levaste-me para a tua cama…

 

?Cátia Teixeira, Vizinha 69Letras® 2013