É caso para pedir: Um quarto por favor!

Corpos que se desejam na inocência de um café. Tardes quentes. Um café cheio de sombras e um canto lá ao fundo a aguardar por nós. Sentados frente a frente a partilhar vidas, a minha vida assumiu a rebeldia do desejo. No cantinho daquele café e na inocência do diálogo, a minha mente agitava-se comandada…

Não tenho pressa de chegar ao fim.

Aqui, te confesso que seduziste a minha pele e deste um novo despertar ao meu corpo.   Sim, ele aclama pelo teu corpo, despido, no meu. Aquela noite que subtilmente lançávamos ao vento o desejo de acontecer, teve, finalmente direito ao primeiro episódio. Sei que tu, estejas onde estiveres, estejas a fazer o que quer…