Arquivo de etiquetas: destroçado

Quando foi a última vez que te sentiste amada?

Quando foi a ultima vez que te sentiste amada?
Somos amadas de tantas formas,
Mas amada de corpo e alma, são raras as vezes.
Quem nunca desejou ter aquela sensação de plenitude,
de saber que é amada.
Sentir em cada gesto, em cada olhar, em cada toque.
Que és única para aquela pessoa.
Perderes a noção de quando e onde estás.
É uma das melhores sensações que existe.
Vives no paraíso, se isso existe.
Mas…
Há quem só tenha conhecido um lado
O de amar e não ser amado.
É tão doloroso, amar por dois
não é fácil, é penoso.
Sentes-te incompleta, perdes o brio
Em ti, a vontade de viver.
Mas sobrevives…
Nestas duas situações, tudo tem o revês tanto para o bom como para mau.
O mais solitário de tudo é quando nunca és amada, mas sim usada.
Vives numa ilusão de que realmente poderás vir a saber o que é ser amada, mas a única coisa que pretendem é combater a solidão, terem sexo, nada mais que um companheirismo..
Sentes-te um trapo, uma peça incolor.
Libertem-se de tudo o que vos faz mal, de tudo o que vos destrói por dentro e corrompe quem vocês são.
Todos temos direito a ser amados e saber amar pelas diferenças.
Nada é mais gratificante, do que saber e sentir que quem caminha ao nosso lado, ama de igual forma que nós.
©Lola 2017 #69Letras

Brincadeira de mau gosto

Tem momentos em que a saudade aperta.

Ainda tudo parece uma brincadeira de mau gosto sem data de terminar. Mas estive lá, vi que não foi brincadeira mas mesmo assim continua a ser surreal de mais para ser verdade. Se eu não tivesse lá estado, poderia achar que tudo isto não passa de um equivoco, mas estive e ainda assim dentro de mim, existe a esperança que um dia destes tudo vai voltar ao normal, porque nada disto pode ter acontecido.

Não pode. A minha mente está doente, ou não será a mente, mas a alma e o coração destroçado? Como posso eu delirar e esperar que retornes do oposto da vida? Da morte?

Eu estive lá vi o teu corpo repousar, escutei os sinos e a terra a tapar a tua nova casa…. eu estive lá, então porque me parece tudo mentira? Não pode existir esperança na morte.

Oh meu amor! Daria a minha alma em troca da certeza de te voltar a ver. Derrubaria esta grande divisão, tudo para te ver uma vez mais sorrir.

O meu sorriso é decoração, os planos que faço para esta minha vida são colagens em cima de tristeza sem coração. Caminho desanimada, caminho perdida cheia de saudade!

Desejaria que me fosse arrancado o meu ultimo fôlego para deixar de sonhar contigo enquanto durmo e poder sonhar acordada a olhar para ti e voar imortalmente ao teu lado.

E tudo isto é demência, é dor gritante, escondida dentro de mim, não consigo te deixar ir, embora soe a loucura é esta realidade distorcida que ainda me segura.

 

 

A Vizinha #69Letras