Arquivo de etiquetas: destino

Podia ser um fado…

É tão triste este meu fado.
Toda esta enorme sina.
Que canto num grito abafado.
De mulher mas tão menina.
Continuar a lerPodia ser um fado…

O tempo do destino…

Como é bom estar apaixonada…
Acordar e adormecer com aquele ser a ocupar os sentidos, a despertar um sorriso doce…
Como sabe bem o coração em constante palpitação, a mente em constante viagem, como são sentidos os suspiros esperançosos de que agora tudo fará sentido…
Pensamos Continuar a lerO tempo do destino…

Sonhos perdidos

Como é possível a vida, o destino, seja o que for,
conseguir suprimir os nossos desejos, os nossos sonhos.
Porque temos sempre se sucumbir a algo que devíamos ser nós a comandar?
Porque acabamos sempre por deixar decidirem por nós.
Mesmo que,  digamos que a decisão é nossa, mas é mentira.
Somos sempre influenciados.
Somos marionetas sem fios.
Porque temos de abdicar?
Eu não me consigo resignar a ficar de mãos atadas,
a algo que sei que posso concretizar.
Que me faz realizar como pessoa, que me faz feliz.
Se quero ser feliz, luto.
Se me querem ver feliz acompanhem-me lado a lado
e não cortarem-me as pernas.
©Lola 2017 #69Letras


Obtém 10% de desconto em todas as tuas encomendas! 69 novas formas de prazer!

Regista-te em www.aubaci/69letras

História por terminar…

Não sei como aconteceu, aliás até sei, mas não sei o porquê de te teres atravessado no meu caminho, foi algo inesperado que me virou do avesso assim como a minha maneira de encarar a vida e o sentir.

Deixei de tentar encontrar explicações, só sei o quanto sinto e o quanto isso me assusta.

Mais velho, dotado de uma inteligência fora do comum, carregado de charme e de saber como seduzir, encaminhaste-me para um mundo excitante de submissão que só em sonhos conhecia, e eu ingénua e curiosa, armada em forte, deixei-me levar.

Não me arrependo, de nada, com tudo isso conseguiste despertar o meu eu oculto que há tanto tempo estava adormecido, talvez à espera de encontrar alguém como tu para se revelar, alguém que não me julgasse pelos meus desejos e me aceitasse como sou.

Mas… Como sempre tinha que haver um mas… É algo impossível, embora precise de ti tanto como precisas de mim, embora distantes e fazer-mo-nos tão bem, há muito mais envolvido do que apenas nós os dois e os nossos desejos.

Tento constantemente afastar-me, dói-me não poder estar contigo, não poder viver tudo o que já falámos e sentimos os dois, mas em vão… Acabo sempre por voltar a procurar-te, tamanho é o poder que tens sobre mim que me prende, me faz delirar de prazer pela maneira como me tocas sem me tocares, pelas palavras de ordem que proferes para teu e meu prazer, e que me faz sentir tão liberta.

Acordaste um demónio em mim que agora não me larga, tudo o que seja banal e considerado normal para mim já não me chega, deixou de me satisfazer, de me saciar.

Tantas vezes me interrogo porque tinhas que te cruzar no meu caminho, mas se não o tivesses feito hoje não seria a mulher que sou, completa…

© Miss Kitty 2017 #69Letras

Primeiro-ministro manda os portugueses imigrar

Desculpem-me lá mas eu vou ter que comentar uma notícia que acabei de ler. Qual é a ideia do senhor primeiro-ministro de mandar os portugueses emigrar? Estupidez? Só pode ser. É que nenhum primeiro-ministro devia de ter a infeliz ideia de mandar o próprio povo emigrar. Em primeiro lugar devia de querer era todos os portugueses em Portugal, já que é o “nosso” país. E em segundo lugar se não sabe dar conta do recado que faça lugar para quem sabe.

Eu sou sincera – não entendo nada de política. Mas uma coisa sei – sei que não se emigra só por um “político” dizer isso ao povo.

Não se emigra de um dia para o outro. Não se chega ao “destino” e lá está uma casa e um trabalho onde se ganha bem a esperar-nos. Não, o que espera os emigrantes é trabalho duro, infelicidade e muitas lágrimas. É preciso saber para onde se vai antes de ir para lá. É preciso ter a certeza que teremos um trabalho e dinheiro a cair todos os meses na nossa conta bancária. É preciso sofrer para viver.

Eu nunca tive a “sorte” de viver em Portugal, já que os meus pais emigraram a muitos anos. E sei o que lhes custa estar a viver na suíça e não em Portugal. Eles aqui não são felizes. Eles estão cá para poder proporcionar uma vida melhor aos filhos. Pode haver agora pessoas que pensem – ah aqueles estão na suíça, são ricos. – para essas pessoas tenho uma notícia bombástica: Não somos ricos! Nós – os meus pais já passaram grandes dificuldades aqui. Fartamo-nos de trabalhar para podermos ter dinheiro para ir visitar a família. Caiem lágrimas todas as vezes que temos de nós ir embora. É um aperto enorme no coração quando por telefone vamos sabendo o estado dos membros mais velhos da família. Não podemos sair de casa e ir lá ter, porque estamos a muitos quilômetros de distância das pessoas que gostamos. Das pessoas com quem os meus pais cresceram e viveram. Ta certo que aqui podemos comprar mais facilmente um bom par de tênis ou uma peça de roupa mais cara. Mas sabem uma coisa? Eu prefiro ser feliz do que andar com roupas de marca. Eu preferia poder ir todos os dias a praia do que comprar algo mais sofisticado.

Espero que entendam. Vida de emigrante não é fácil nem bonita.

?? © Peregrinus 2017 #69Letras

DESTINADA!

Se não me estás destinada,
Prefiro morrer aqui,
Não lhe posso chamar de Vida,
Se tiver que a viver sem ti!

Se não me estás destinada,
Porque cruzaste o meu caminho?
Desde que te conheci,
Que não sei viver sozinho!

Se não me estás destinada,
Porque a vida me provoca esta dor,
Prefiro morrer a te perder,
Não sei viver sem o teu Amor!

Preciso de ti,
Como do sangue que me percorre o corpo,
Se não me estiveres destinada,
Sentir-me-ei tão morto!

Não me perguntes como sei,
Mas sinto que me estás destinada,
Sem ti não sou vida, não sou pó,
Não sou Alma, não sou nada!

Se não me estás destinada,
A minha vida deixa de fazer sentido,
Só contigo a meu lado,
É que eu me sinto vivo!

Que me cortem as asas,
Se não me estiveres destinada,
Pois sei que no dia que te perder,
Minha vida estará acabada!

©Poeta Solitário 2017 #69Letras

Prometo

Prometo,
Prometo que não te vou magoar
Prometo que só te quero ver feliz
Prometo reconstruir esse teu coração despedaçado
Voltar a fazer-te sorrir,
Só quero a tua felicidade e voltares amar
Amares-me como eu te amo.
Refazer as nossas vidas,
Erguer o nosso presente
Reconstruir o nosso futuro.
Sim, acredito!
Acredito que poderemos ter um futuro juntos,
sem angústia, sem dor, sem subterfúgios.
No dia em que nos deixamos ler um ao outro,
foi o dia em que descobri que estávamos
destinados.
O nosso destino estava selado.
©Lola 2017 #69Letras